• O top dez de nomes de gatos

    O top dez de nomes de gatos
    O Simba da Mayara está no top 10

    Pela primeira vez, o PetCenso da DogHero passou a contar com dados sobre os gatos. Com base em 37.084 felinos cadastrados na plataforma, 51,9% são machos e 48,1% são fêmeas. Os nomes preferidos têm certa semelhança com os nomes de cachorros, como o caso do nome Nina que lidera o ranking dos felinos fêmeas. Em seguida, entram Mia (2ª), Luna (3ª) e Mel (4ª). Para os machos, o queridinho é o nome Tom (1º), seguido por Simba (2º), Fred (3º) e Mingau (4ª).

    Top 10 Nomes de gato

    Fêmeas

    1.  Nina

    2.  Mia

    3.  Luna

    4.  Mel

    5.  Lola

    6.  Mimi

    7.  Amora

    8.  Mag

    9.  Lua

    10. Frida 



    Machos



    1.Tom

    2. Simba

    3. Fred

    4. Mingau

    5. Gato

    6. Teo

    7. Chico

    8. Frajola

    9. Thor

    10. Pipoca

  • Os 10 nomes mais usados para cães

    Os 10 nomes mais usados para cães
    O beagle Luke da Mariana e da Larissa

    Escolher o nome do pet é algo desafiador. Tem gente que opta por algo bem inusitado e haja inspiração e outros seguem a lista dos mais comuns. Uma pesquisa da plataforma Dog Hero revelou os dez nomes mais adotados para cães e gatos.

    Mel, Nina e Luna para as fêmeas e Theo, Luke (na foto) e Bob para machos lideram a lista dos nomes de cães. Gatos faço outro post em breve. 

    O nome da minha poodle é Bebel. Não está na lista dos mais comuns. Noveleira que sou, me inspirei na personagem de Camila Pitanga na novela Paraíso Tropical, a inesquecível Bebel. Mas poderia ser também a Bebel do seriado A Grande Família. No insta ela é @bebelcaiudoceu, uma inspiração e tanto...

    Confira os dez mais:

    Fêmeas

    1. Mel

    2. Nina

    3. Luna

    4. Meg/Mag

    5. Lola

    6. Amora

    7. Bellinha

    8. Bela

    9. Maia

    10. Cacau

     

    Machos

    1. Thor

    2. Luke

    3. Bob

    4. Teo

    5. Fred

    6. Billy

    7. Marley

    8. Max

    9. Zeus

    10. Nick

     

  • Amores na caneca!

    Amores na caneca!

    Amores na caneca!

    Uma opção para eternizar seu bichinho de estimação é personalizá-lo em desenhos em objetos, como canecas e squeezes. E é exatamente essa a proposta da Caricanecas. Com desenhos inspirados no Cartoon, que traz traços mais sofisticados e realistas, os bichinhos podem se tornar itens de decoração em diferentes ambientes.

    A Caricanecas produz mais de 500 desenhos por dia, sempre feitos por desenhistas profissionais, que podem ser aplicados em produtos como canecas, copos de chopp, squeeze entre outros. Para adquirir o produto, basta acessar o site da Caricanecas, escolher o tema e enviar a foto preferida.

     

    Preço: R$ 59,00
    Onde encontrar: www.caricanecas.com.br

  • Sessão Focinhos com o filme Dolittle

    Sessão Focinhos com o filme Dolittle

    A próxima sessão Focinhos do Cineplus do Shopping Jardim das Américas, em Curitiba, acontece no sábado (29), às 13h30. O evento pet friendly terá a exibição do filme Dolittle. O valor do ingresso é único: R$ 10,00 e a organização incentiva a doação de um quilo de ração, que será doada para o Instituto Aumigão.

    A Sala é a TSX Laser onde os tutores e seus bichinhos poderão mais uma vez irem juntos ao cinema. Vale lembrar que todas as Sessões Focinhos contam com conforto para os donos e seus pets: Ar-condicionado e som moderados para não atrapalhar os bichinhos, tapetes higiênicos dentro e fora da sala, veterinário na sala, brinquedos e doação de ração sempre para uma ONG parceira. A sala é acessível para pessoas com deficiência visual e auditiva.

  • Piscina e Pets

    Piscina e Pets

    Confira cinco dicas da veterinária Thaís Matos, da Dog Hero, sobre cuidados com cães em dias quentes e antes de deixá-los dar aquele mergulho na piscina.

    1. Atenção com a saúde e alimentação do cãozinho

    Evite alimentar o cão antes dele entrar na piscina, pois o pet pode passar mal e até ter uma congestão. O ideal é entrar na água três horas depois de alguma refeição. 

    2. Cuidado com traumas e acidentes na piscina

    Procure deixar o cachorro bem à vontade para ele entrar da piscina como desejar ou, então, coloque-o lentamente e com cuidado. Não jogue o animal na piscina, achando que é uma brincadeira. Pelo contrário, essa atitude pode gerar um trauma muito grande e até machucá-lo.

    3. Evite queimaduras indesejadas no seu pet 

    Assim como os humanos, os cães sentem muito calor, ficam cansados e podem sofrer queimaduras nas patas nos períodos mais quentes do dia. Procure curtir os dias de verão com ele nos horários em que o sol estiver mais ameno. Uma dica importante é o uso de protetor solar próprio para pets. Aplique o produto nas orelhas e no focinho para evitar queimaduras. 

    4. Utilize proteção no cão para evitar afogamentos 

    Para os cães que não são acostumados a entrar na piscina, uma dica é colocar uma coleira de peito para que, caso o animal fique cansado ou tenha câimbras, seja possível puxá-lo rapidamente. Outra opção é investir em coletes salva-vidas próprio para cães, o produto é muito parecido com o de humanos.

    5. Invista nos cuidados pós piscina 

    Depois que o cãozinho sair da piscina é fundamental dar banho nele com shampoo próprio para cães para tirar o cloro dos pelos. A secagem após o banho é essencial para evitar micose, dermatites e alergias ao cloro. Também é importante secar bem as patas dos pets. Prestar atenção se há água no ouvido do pet, pois este acúmulo pode gerar um quadro de inflamação chamado de otite. Busque secar bem as orelhas e observar se ele está com algum incômodo no ouvido.

     

  • CarnavAU pet solidário no Shopping Curitiba

    CarnavAU pet solidário no Shopping Curitiba

    Ninguém vai ficar de fora das festanças de Carnaval na capital paranaense. No Shopping Curitiba, os animais de estimação ganham uma comemoração especial para curtir ao lado dos seus tutores, é a 2ª edição do CarnavAU.

    A folia acontece neste sábado (15), a partir das 15h, e terá cortejo pelos corredores do shopping, estação de fotos e um CãoCurso. Na atração, os pets fantasiados desfilarão com seus tutores e serão avaliados por jurados em 3 categorias: fantasia, simpatia e originalidade.

    A inscrição para o CãoCurso é um quilo de ração, que será destinado a ONG Cão Amigo. Podem participar até 40 pets e as inscrições acontecem às 14h30, no Piso L1.  Vale lembrar que os pets participantes do desfile precisam estar com coleiras e guias. Os três primeiros colocados irão ganhar prêmios.

    Algumas regras e informações são importantes: a participação é aberta a todos os cães de pequeno, médio e grande porte, com o uso obrigatório de coleiras e guias. Aqueles classificados como cães de guarda (Pitbull, Pastor Alemão, American Stafforshire Terrier, Dobermann, Rottweiller, Bull Terrier e raças mestiças ou variações dessas raças), devem utilizar focinheira.

    Estação de fotos

    Em parceria com a Revelex, todos os participantes do CãoCurso irão ganhar, ao fim do evento, uma foto com seu pet, para eternizar o momento de alegria.

    Serviço

    CarnavAU do Shopping Curitiba

    Quando: sábado (15)

    Horário: 15h

    Quanto: gratuito

    Inscrições para o Cãocurso: doação de 1 kg de ração de qualquer tipo, a partir das 14h30. Número de participantes limitado. ONG beneficiada: Cão Amigo.

    Local: Piso L1 – em frente ao Lady & Lord

     Fonte: divulgação Shopping Curitiba

     

  • Bloco de carnaval pet agita o domingo

    Bloco de carnaval pet agita o domingo

    Neste domingo (9), a partir das 14h, tem bloco pet de Carnaval em prol da Ong Animais Sem Teto.  O Cãobada 2020 acontece no bar Hop'n Roll. Além do tradicional Desfile & "Cãocurso" de Fantasias, o evento contará com muitas atrações: open bar de "cãomidinhas" naturais, "cãotinho" da massagem, espaço "aulístico", dicas de comportamento canino com profissionais da área, parquinho pet, ”cobertura” fotográfica, bazar de marcas curitibanas, flash tattoo, 32 torneiras de chopp, burgers, fritas, muita musica e diversão!

    O Bloco da Cãobada já está em sua terceira edição e é organizado pela Pet Chef Thaisa Salles com o objetivo de arrecadar doações para os grupos de proteção animal. A  organizadora ressalta que o evento é de muito importante, pois janeiro e fevereiro são meses difíceis para as ONGs já que as doações caem muito e o número de resgatados sobe.

    Todos podem doar, pessoas físicas e jurídicas, e toda doação é bem-vinda: remédios, ração, cobertores, toalhas, casinhas... “Para este Bloco da Cãobada, já conseguimos uma doação de 100kg de ração que será entregue pelo Clube Puppyfi”, comemora Thaisa.

    A entrada no evento é gratuita. Para participar do Desfile de Fantasias, basta doar (no minimo) 1kg de ração ou o valor equivalente em dinheiro.

    O Hop'n Roll fica na Rua Mateus Leme, 950, Centro Cívico, pertinho do Shopping Mueller.

  • Recicle e doe para os animais de rua

    Recicle e doe para os animais de rua
    Separe o papel velho e doe para os animais de rua

    Que tal separar o lixo reciclável em 2020 e ainda doar para a causa animal?

    Criado no ano passado, o Papel Bom pra Cachorro foi iniciativa de uma protetora independente e tem o objetivo de arrecadar dinheiro com a venda de papel reciclável para custear despesas com os animais de rua de Curitiba e Região Metropolitana, que precisam de tratamento veterinário a castrações.  

    No próximo domingo (12), o material poderá ser entregue durante evento de adoção, que acontece no Parque Barigui, das 14h às 17h, próximo ao Restaurante Maggiore.

    Entre os materiais que podem ser doados: papel sulfite usado, agendas, cadernos, apostilas, revistas, jornais e todo o tipo de papel limpo, que possa ser utilizado em reciclagem, exceto caixas de papelão.

    Confira mais informações no insta @papelbompracachorro

  • Turismo com pets em alta

    Turismo com pets em alta

    Pesquisa divulgada pelo Booking.com revela que os pets estão mais presentes do que nunca na escolha de locais para o aluguel nas viagens. Um levantamento feito com mais de 22 mil viajantes de 29 mercados, incluindo o Brasil, e em mais de 195 milhões de avaliações de hóspedes verificadas, a Booking.com listou as tendências de viagens que podemos esperar para 2020, entre elas a de viagem com pets.

     

    Pets em primeiro lugar

    Quase dois terços dos brasileiros (65%) que têm um bichinho de estimação dizem que seu pet é tão importante quanto um filho. O número é 10 pontos acima da média global (55%). Assim, não surpreende que, em 2020, será aberta uma nova era de férias com foco nos pets. Ao escolher para onde ir, onde ficar e o que fazer, os viajantes colocarão as necessidades de seus bichinhos em primeiro lugar.


    51% desses brasileiros com animais de estimação concordam que em 2020 a escolha de seu destino de viagem dependerá da possibilidade de levarem ou não seus pets junto. Mais do que isso: um número ainda maior (59%) diz que estaria disposto a pagar a mais por uma acomodação pet-friendly. Acompanhando essa tendência, o número de propriedades pet-friendly na Booking.com só aumenta. De olho nesse mercado, mais acomodações ao redor do mundo vão buscar formas inovadoras de atender a esse público, oferecendo serviços e comodidades sob medida para pets, como caminhas para eles dormirem de graça, serviços de spa, serviços de quarto especializados e até mesmo restaurantes pensados para eles. Uma coisa é certa: os bichinhos terão uma experiência cinco estrelas nas férias.

     

    Fonte: Booking.com

  • Cozinhe como uma pet chef

    Cozinhe como uma pet chef
    cãomidinhas do Cãolinarista

    Os segredos da culinária do Cãolinarista, de Curitiba, estão prestes a serem revelados. No próximo dia 18/01 (sábado) está programado um curso prático de alimentação natural para cães com a pet chef Thaisa Salles, fundadora da empresa. 

    Se você quer deixar de lado as rações industrializadas essa pode ser uma boa oportunidade para aprender a fazer as comidinhas de seus cães. Sabendo usar os alimentos e temperos certos e na medida certa. 

    Mais informações e inscrição no site www.caolinarista.com

  • Expo Pet

    Expo Pet

    Você é apaixonado pelos animais? A Vila da Imagem também.

    Foi pensando em quem gosta dos pets que o fotógrafo Fabrício Grigoletto organizou uma exposição incrível na galeria do laboratório fotográfico Ticcolor (rua Conselheiro Laurindo, 506), em Curitiba.

    A visitação é gratuita, de segunda a sábado, em horário comercial. Encerrada. 


    Fabrício explica que seu estúdio, o Vila da Imagem (@viladaimagem), tem um espaço exclusivo para a fotografia de pets e que as fotos ficaram tão lindas que ele resolveu compartilhar. “É uma forma de compartilhar o amor pelos bichinhos e também mostrar um pouco da atividade na qual somos especialistas”, destaca dizendo que ainda dá tempo para visitar.

    De acordo com números mais recentes levantados pelo IBGE e atualizados pela inteligência comercial do Instituto Pet Brasil, em 2018 foram contabilizados no país 54,2 milhões de cães; 39,8 milhões de aves; 23,9 milhões de gatos; 19,1 milhões de peixes e 2,3 milhões de répteis e pequenos mamíferos. A estimativa total chega a 139,3 milhões de animais de estimação entre os brasileiros. A região Sul concentra 17,6% dos animais de estimação do Brasil, ficando atrás das regiões Sudeste e Nordeste

    Fotos Natalinas

    A Vila da Imagem existe há 14 anos, mas Fabrício Grigoletto já fotografa há duas décadas. Foi observando a paixão dos filhos e da família pelos pets que ele resolveu se especializar nesse mercado também.


    Segundo ele, é importante que o profissional tenha empatia com os animais e uma área exclusiva para eles no estúdio a fim de que fiquem tranquilos e interajam com os tutores e com a câmera.


    Um dos destaques do segundo semestre foram as fotos natalinas para pets. Entre os clientes que fizeram seus registros estão os fofíssimos da @familiabiewer e a @rafagomes.oficial

  • Pets livres de parasitas

    Pets livres de parasitas

    O parasita é um organismo que retira de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência, podendo viver tanto fora como dentro do corpo do hospedeiro. No caso de cães e gatos, pulgas e carrapatos são exemplos de parasitas externos, que vivem ou invadem sua pele ou pelo. Já os parasitas internos são organismos que se alojam, crescem e se alimentam dentro do corpo dos pets, como é o caso de vermes intestinais e verme do coração, por exemplo.

    “Cada um tem sua característica própria, ciclo de vida e forma de contágio diferente, por isso, é muito importante entender suas particularidades para prevenir o pet da melhor forma”, explica o veterinário Ricardo Cabral, da Virbac, indústria farmacêutica veterinária.

    Confira os principais parasitas em cães e gatos, como identificar os sintomas e formas de prevenir e tratar:

    Vermes intestinais e giárdia (parasita interno)

    Os vermes mais comuns nos pets são os intestinais, que podem ser redondos, como Ancylostoma ou Ascarídeos (lombrigas) ou chatos como o Dipylidium caninum, que se alojam no intestino delgado do animal e podem trazer diversos problemas de saúde. Já giárdia é um protozoário que adentra o organismo do animal, causando infecções.

    Sintomas:

    Diarreia, pelagem opaca, fraqueza, apatia, vômito, tosse, perda de apetite e peso são alguns dos sinais que podem indicar uma possível infestação de verminoses no animal de estimação. “Os sintomas devem ser analisados o quanto antes, pois podem levar o animal ao óbito”.

    Incidência:

    Os vermes e giárdia não dependem do clima ou temperatura para surgirem, podendo aparecer em qualquer época do ano e em qualquer região. “Quando os animais vivem em conjunto ou comunidade, como é o caso dos canis, é perceptível uma maior incidência das verminoses, já que para fechar o ciclo do parasitismo existe a dependência de um contato orofecal”.

    Prevenção e tratamento:

    Manter o ambiente higienizado é o primeiro passo para a prevenção dos vermes. “A limpeza das fezes e urina deve ser feita, de preferência, após a defecação”. Além disso, é necessário realizar frequentemente a prevenção através de vermífugos -- remédios administrados em cães e gatos, de maneira oral, e que combatem as verminoses. “No mercado, existem várias opções de vermífugos, mas o importante, além de consultar um veterinário, é escolher uma marca que seja tradicional e confiável no ramo”.

    Verme do coração (parasita interno)

    Também conhecido como dirofilariose canina, o verme do coração é um parasita que afeta o sistema cardiopulmonar dos cães domésticos e silvestres.

    Sintomas:

    No início, a doença pode não ter sintoma algum. Posteriormente, os cães e gatos podem apresentar problemas respiratórios, como respiração acelerada ou respiração curta e rápida, tosse e cansaço fácil, além de perda de peso, apatia e fraqueza. Quando os vermes adultos se alojam no coração, os sintomas de insuficiência cardíaca como tosse e cansaço fácil podem se intensificar.

    Incidência:

    “O verme do coração possui uma característica de sazonalidade mais marcante, já que sua transmissão aos cães depende de um mosquito vetor. Esse mosquito prefere se reproduzir em épocas com mais calor e chuvas, como no verão. No Brasil, no entanto, regiões mais quentes e úmidas, como regiões litorâneas ou próximas a lagos e represas, podem ter uma prevalência alta da doença durante todo o ano”.

    Prevenção e tratamento:

    Assim como a prevenção dos vermes intestinais, os vermífugos auxiliam na proteção contra o verme do coração, contribuindo para que o cachorro não seja picado pelo vetor. “Primeiramente, a consulta com o veterinário é essencial para que este indique o melhor vermífugo ao seu animal. Os vermífugos que previnem o verme do coração devem ter em sua composição princípios ativos específicos para este fim, como a ivermectina, e devem ser administrados todos os meses para uma proteção correta”.

    Pulgas e carrapatos (parasita externo)

    Estão entre os parasitas externos mais conhecidos e que são apresentados em grande quantidade em cães e gatos. “Os carrapatos são aracnídeos que se alimentam do sangue do hospedeiro. Já as pulgas são pequenas e ágeis, o que as tornam esquivas e difícil de visualizá-las”.

    Sintomas:

    Um forte sinal de que seu animal pode estar com pulgas e carrapatos é a coceira. Muitos cães e gatos são alérgicos à saliva destes parasitas e, se livrar deles, é o primeiro passo para o controle eficaz da alergia. Em situações mais graves de parasitismo, cães e gatos podem apresentar sintomas mais graves como perda de peso e anemia. O problema maior, é que pulgas e, principalmente os carrapatos, são transmissores de muitas doenças infecciosas que podem trazer problemas ainda mais sérios.

    Incidência:

    Os parasitas externos, especialmente as pulgas, são mais presentes no calor (meses de verão). “Entretanto, como no Brasil não tem uma divisão clara de clima, não é possível ver a sazonalidade principalmente nos estados do Norte e Nordeste, onde é possível perceber a infestação de pulgas e carrapatos durante todo o ano”.

    Prevenção e tratamento:

    A prevenção de pulgas e carrapatos está totalmente ligada ao ambiente, já que esses parasitas botam o ovo no recinto e não diretamente no animal. “95% das pulgas estão no ambiente, na forma de ovos e larvas. Por isso é muito importante que haja o controle ambiental frequentemente”. Outra forma de prevenção é tratar todos os contactantes. “Por exemplo, se o tutor tem um cachorro e um gato e trata só um animal, o outro também pode ser fonte de re-infestação”. Tratar todos os animais que vivem no ambiente e o próprio ambiente é uma das formas adequadas de prevenir a presença dessas pragas. O tratamento pode ser realizado através de produtos antiparasitários que podem ser encontrados em forma de spray, pipeta e coleiras.

    Além disso, manter o ambiente higienizado também é uma importante forma de prevenção contra as pragas. “O indicado é realizar uma limpeza constante do ambiente com o uso de aspiradores de pó e sempre lavar os objetos do pet, como brinquedos, casinha, cobertores, cama, travesseiros, ou qualquer outro utensílio relacionado ao animal”.

    #DicadoVeterinário: Atenção com os filhotes!

    Os filhotes precisam de mais atenção com relação ao parasitismo e verminoses. Eles podem receber algumas verminoses que são passadas através da placenta da mãe ou por meio do leite materno. “É uma idade onde o animal não tem um sistema imunológico competente, que ajuda a agir contra verminoses. Se houver uma grande quantidade de parasitas no filhote, podem ocorrer problemas mais graves como anemia, má nutrição, subdesenvolvimento e outras consequências”.

     

    Fotos e Fonte: Divulgação Virbac

     

     

     

  • Pet Noel na Casa do Produtor

    Pet Noel na Casa do Produtor
    (Foto: Janna Vanessa/Divulgação)

    Que tal uma foto do seu pet com o Papai Noel para fazer parte do álbum da família? Neste domingo, dia 01, o Papai Noel dos pets estará na Casa do Produtor para uma sessão de fotos exclusivas. A partir das 12h, ele estará a disposição para saber qual presente seu animalzinho quer ganhar e tirar uma foto. Para ajudar pets e crianças carentes do Instituto São Zygmunt Felinski II, a Casa do Produtor propõe que cada cliente doe um produto (ração, acessório ou medicamento) ou roupas e brinquedos para crianças, em troca de uma foto profissional feita pela fotógrafa especialista em pets, Fernanda Simões da Fontoura. “Quem quiser comprar os produtos na Casa do Produtor ajudará duas vezes, pois parte do valor arrecadado será revertido para protetores independentes e orfanatos”, explica a diretora-executiva da Casa do Produtor, Vanessa Melo.

     

    O evento acontece no estacionamento do petshop no bairro Rebouças. Mas, antes disso, uma carreata do Papai Noel sairá da unidade da Casa do Produtor no bairro Seminário até Rebouças. Na ocasião, a Magnus (empresa parceira da Casa do Produtor) irá realizar a entrega oficial de 200kg de ração para a Delegacia do Meio Ambiente (DPMA) no encerramento da campanha lançada na internet pelo delegado Matheus Laiola para ajudar cães e gatos.

     

     

    Serviço

     

    Data: 01/12 (Domingo)

    Horário: 12h às 14h horas

    Local: Estacionamento da Casa do Produtor no bairro Rebouças

    Endereço: Rua Engenheiros Rebouças, 1826 - Rebouças, Curitiba - PR

     

  • Cuidados de verão

    Cuidados de verão

    Faça chuva ou faça sol, os nossos companheiros de quatro patas precisam se exercitar regularmente para manter um estilo de vida saudável. No entanto, quando a temperatura aumenta, é preciso tomar alguns cuidados na hora de levar os pets para passear. Se o termômetro passa dos 22 °C a atenção já deve ser redobrada.

    “Os cachorros não têm glândulas sudoríparas e transpiram através da salivação e patas. A temperatura deles demora mais tempo para diminuir, por isso é fundamental estar atento para que a caminhada não se torne um motivo de preocupação”, afirma a médica veterinária Wendi Caetano, do CEVET – Hospital Veterinário.

    Queimadura nas patas, desconforto, cansaço excessivo, desidratação e até hipertermia - quando a temperatura do corpo está mais alta do que o normal - são alguns problemas que podem acometer os pets em dias quentes. “O perigo aumenta dependendo da raça do seu pet. As chamadas braquicefálicas, ou seja, aquelas que possuem focinho achatado, como buldogues, pugs e gatos persas, sofrem ainda mais, já que possuem dificuldades respiratórias”, alerta Wendi.

    Confira abaixo algumas dicas da especialista para manter o seu animal de estimação seguro durante os passeios de verão.

    De olho no relógio

    “Passeie com o seu cão ou gato nos momentos mais frescos do dia, pela manhã ou início da noite. Os melhores horários são antes das 10h e após às 16h”, recomenda. “Para se certificar de que o pet saia em segurança é possível utilizar a técnica dos 40 segundos: basta pressionar a palma da mão contra o chão durante este tempo. Caso você consiga mantê-la sem se queimar, o sinal está verde para passear”.É importante lembrar que as chamadas “almofadinhas” das patas dos filhotes podem não suportar a temperatura tão bem quanto as dos adultos.

    Hidratação é indispensável

    Durante o passeio é importante oferecer água limpa e fresca para que o pet se refresque e recupere o líquido perdido no trajeto. Caso ele não queira tomar, molhe a cabeça, pescoço, peito e virilha do animal.

    Use filtro solar

    Sim, você leu certo! Os peludos também precisam de protetor solar para sair nos dias quentes. Invista em um produto adequado para a pele do pet e aplique no focinho, patas e nas pontas das orelhas antes de sair de casa. “Animais albinos, com pelos brancos, pele clara ou descobertos precisam de mais atenção e é recomendado que o protetor seja passado em todo o corpo.”

    Tosa curta é a mais recomendada

    Os pelos atuam como isolantes térmicos e são capazes de proteger os pets de queimaduras no calor, mas o excesso faz com que a temperatura aumente e por isso a melhor opção é a tosa curta, mesmo que esteticamente não caia muito bem.

    Fique atento aos sinais

    Se o seu pet estiver ofegante em poucos minutos de caminhada, é um grande sinal de que está quente demais e é hora de voltar para casa. Se ele se recusar a andar ou estiver muito cansado, constantemente com a língua para fora, é importante fazer uma pausa com água fresca na sombra por alguns minutos até que a respiração volte ao normal. Caso o animal esteja babando, com a língua e gengivas pálidas e mucosas cinza-azuladas a situação é de risco e ele deve ser encaminhado imediatamente ao veterinário.

    A quantidade de caminhadas varia

    Você talvez já tenha se perguntado qual é a frequência ideal para passear com os pets em dias quentes. Wendi esclarece que isso está relacionado ao porte, temperamento e raça do animal de estimação. “Os mais ativos precisam passear mais para gastar energia, ao menos duas vezes ao dia. Já os mais calmos podem sair uma vez ao dia”.

    Vacinar previne doenças

    A vacinação não é capaz de evitar os danos causados pelo sol e calor, mas é essencial para prevenir doenças e parasitas devido ao contato com outros animais e pessoas durante os passeios diários. Leve o seu pet ao veterinário anualmente para deixar a carteirinha de vacinação sempre em dia.

    Não deixe o pet sozinho no carro

    Se o passeio vai ser de carro a recomendação é jamais deixar o animal sozinho dentro do automóvel.A temperatura pode atingir níveis altíssimos e ele pode não suportar. O carro esquenta rapidamente, mesmo quando não está tão quente. “Para se ter uma ideia, quando está a 22 °C do lado de fora, dentro de uma hora com as janelas fechadas a temperatura em um carro pode atingir 47 °C”, finaliza a médica veterinária.

     Fonte: Ieme Comunicação Fotos: Divulgação

  • Outubro Rosa também é alerta para pets

    O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce e prevenção do câncer de mama nas mulheres e, em menor escala, nos homens. Mas, você sabia que tumores de mama também podem afetar os animais domésticos?  De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), a doença é muito comum nos pets e atinge cerca de 45% das fêmeas caninas e 30% das felinas, sendo que em 85% dos casos os nódulos descobertos podem ser malignos. Os dados também revelam que a incidência de tumores malignos é maior em gatos.

    Apesar de ser comum nas fêmeas, por conta da produção de hormônios como estrógeno e progesterona, o câncer de mama também atinge cachorros e gatos machos, por isso a prevenção deve ser feita em ambos os sexos. Além disso, não existe pré-disposição racial, portando qualquer pet pode ser alvo da doença. 

    COMO PREVENIR

    Para a médica veterinária Wendi Caetano, do CEVET - Hospital Veterinário, a principal forma de prevenção dos tumores mamários é a castração. "Alguns estudos revelam que se a castração for feita antes do primeiro cio, após os 4 meses de idade, a prevenção da doença pode chegar a 99%", afirma. Castrar as fêmeas depois do primeiro cio também ajuda a prevenir o câncer de mama, mas o efeito vai diminuindo com o tempo, logo a castração deve ser feita o quanto antes. 

    "A castração previne também tumor ovariano, tumor uterino, piometra (infecção bacteriana no útero bem comum em cadelas após o terceiro cio), doenças venéreas transmitidas por animais de rua, os incômodos do cio e, claro, a gestação não planejada", reforça a médica veterinária. A cirurgia é recomendada para todo e qualquer animal doméstico. 

    Assim como em nós humanos o diagnóstico precoce é uma forma de prevenção nos animais, por isso é indispensável que os tutores estejam sempre atentos aos sintomas do câncer de mama. Quanto antes for descoberto, maiores são as chances de um tratamento bem sucedido que, em muitos casos, podem levar a cura da doença.

    COMO IDENTIFICAR

    Para detectar a doença nos animais domésticos a recomendação é a mesma feita para as mulheres: palpação. "Os tutores devem ficar atentos a qualquer sinal de anormalidade, como aparecimento de nódulos, aumento de volume no tecido mamário e mamas rígidas", revela Wendi. Consultas periódicas ao veterinário, preferencialmente a cada 6 meses, e exames de rotina ajudam no diagnóstico.

    É essencial observar também o comportamento dos bichinhos. Tristeza, falta de apetite, febres e vômitos podem ser sintomas da doença. Sem palpar os pets é difícil identificar a enfermidade, já que muitas vezes ela age de forma silenciosa, provocando alterações comportamentais apenas em estágios avançados.

    Nos exames clínicos das mamas, que devem ser solicitados por um veterinário, o diagnóstico é feito por meio de raio-x do tórax, citologia, tomografias, radiografias, ultrassom de abdômen e exames de sangue. Já as biópsias são realizadas para reconhecer se o tumor é maligno os benigno.

    A CAUSA DOS TUMORES

    Assim como nos humanos, a doença não tem uma causa definida, mas a veterinária Wendi alerta sobre o uso de anticoncepcionais. "A utilização dos mesmos aumenta muito a incidência de câncer de mama. Vacinas, injeções, comprimidos e qualquer outro método que seja dado com essa função é indutor da doença". Ela ainda relembra que a única forma anticoncepcional aceitável é a castração. 

    TRATAMENTO

    Quando o tumor mamário é diagnosticado, por exames e  avaliação no veterinário, o primeiro passo é identificar o estágio da doença e assim definir o melhor tratamento. Na maioria dos casos de nódulos benignos a cirurgia para retirada completa do tumor é eficaz e suficiente. Já se o câncer de mama está em um estágio mais avançado, alojado no pulmão e espalhado pelo corpo, em metástase, o tratamento recomendado é a quimioterapia e remédios para aliviar os sintomas da doença. Neste caso, as chances de cura são mais baixas.

    "Os casos de pacientes com tumores mamários vêm diminuindo graças ao maior índice de castração e conscientização dos tutores, tanto para gatos quanto para cachorros, conta a médica veterinária Wendi. Ainda assim, a doença é uma grande ameaça para os pets e deve ser prevenida", alerta. 

     

     Fonte: Assessoria Cevet

     

  • Tartuferia pet friendly em Curitiba

    Você é apaixonado pelo seu pet, gosta de passear e não deixar seu peludo em casa? Em Curitiba, a Tartuferia San Paolo abraça o movimento “Pet Friendly” e tem um deck especial para os clientes de quatro patas enquanto você almoça ou janta. Além de uma área especial Pet Friendly, os cães que vão ao restaurante ganham água fresca – num lindo potinho personalizado em cerâmica que mantém o frescor da bebida, um delicioso snack e, conforme disponibilidade, uma bandana personalizada com a marca do restaurante. Ao colocar a bandana, os pets ficam caracterizados como verdadeiros farejadores de trufas, tiram fotos e vão parar nas redes sociais da casa.

    E, em parceria com a ORIGENS, a casa ainda tem à disposição um MENU de refeições e petiscos para cachorros, assim os donos podem agradar os #pets com estilo.

    A Tartuferia San Paolo Curitiba, que fica na Rua Saldanha Marinho 1582,  funciona de terça a sábado, das 10h às 23h e aos domingos, das 12h às 16h.

    Curiosidade: Na Itália, de onde vêm as trufas frescas servidas no restaurante, os cães são únicos que têm capacidade de encontrar tartufos embaixo da terra, então nada mais justo do que a Tartuferia acolher o melhor amigo do homem e preparar alguns mimos para eles, não é mesmo?

    Divulgação / Tartuferia San Paolo

  • SOUQ Curitiba promove evento de adoção de cães no domingo (13)

    Aqueles que buscam um novo amor nos pets vão poder adotar um cãozinho no SOUQ Curitiba neste domingo (13), das 13h às 18h. Em comemoração ao mês dos animais, o complexo gastronômico receberá o projeto “Adotar é demais”, com uma programação completa para quem é apaixonado pelos dogs.

    Em edição especial, o evento terá cerca de 20 cães disponíveis para receberem um novo lar e uma nova família, avaliação odontológica para os pets – realizada pela Dra Munique Fogaça, médica veterinária da Clínica Dog Gato e também atividade de reiki para os pets e os tutores, para arrecadação de ração. Quem doar 1 kg de ração, poderá trocar por uma sessão de reiki. A lojinha Projeto Ajudei também estará por lá com camisetas, canecas e presentes diversos, com a renda também sendo revertida aos animais resgatados.

    Como as atividades não param por aí, a Zoo plaquinhas Pet estará confeccionando na hora plaquinhas de identificação para os dogs, também com renda revertida em ração aos cães resgatados. Produtos Ai Que Fofo, parque pet, dicas com adestrador e apresentação de cães policiais também vão deixar o dia “Adotar é demais” muito mais divertido no SOUQ. Para os amantes das tatoos, a Flor da Pele tattooaria estará realizando um flash day, com a renda das tatuagens revertida ao Projeto.

    Regras para adotar - Para adotar um cãozinho no dia do evento, o adotante precisa ser maior que 21 anos, fazer uma entrevista e um preencher um termo de adoção. Deve ter em mãos documentos pessoais e comprovante de endereço. Vale lembrar que os filhotes não castrados serão adotados com castração paga pelo adotante no ato da adoção e aos já castrados será restituído o valor do procedimento.

     

    SERVIÇO

    SOUQ Curitiba: Av. Iguaçu, 4399

    Domingo - 13/10 - das 13h às 18h

     

    *Divulgação SOUQ Curitiba 

  • Coração forte em cães e gatos

    O Papo Pet conversou com a médica veterinária do Serviço de Cardiologia CardioSarraff da Clinivet, em Curitiba, e professora da PUC Paraná, Ana Paula Sarraff, para saber quais são as doenças do coração que mais atigem cães e gatos e como devemos preveni-las. Confira: 

    Papo Pet: quais doenças cardíacas mais comuns em cães e gatos? E qual costuma ser o tratamento?

    Ana Paula: em cães pequenos são a doenças nas válvulas cardíacas(endocardiose), nos cães grandes no músculo cardíaco (cardiomiopatia dilatada) e nos gatos na musculatura cardíaca (cardiomiopatia hipertrófica).

    Nem sempre é preciso tratar. É importante a realização de exames como a ecocardiografia e a radiografia de tórax para verificar a necessidade ou não de tratamento.

    Papo Pet: os gatos apresentam os mesmos problemas cardíacos?

    Ana Paula: os gatos também apresentam problemas cardíacos, porém costumam manifestar somente quando a doença progride, quando param de andar ou têm falta de ar.

    Papo Pet: quais raças mais propensas a desenvolver problemas no coração? Elas atingem machos e fêmeas na mesma proporção?  

    Ana Paula: nos cães de pequeno porte o Poodle, Daschund, Lhasa Apso, Shith Szu, entre outros. Cães grandes seriam o Doberman, Boxer, São Bernardo, Dogue Alemão. Gatos predispostos incluem o Persa, Maine Coon, Ragdol e Sphinx. Têm maior frequência nos machos.

    Papo Pet: qual recomendação para manter o coração dos pets saudável?

    Ana Paula: fazer exercícios diários, alimentação adequada e avaliações de rotina a partir da meia idade, seis a sete anos.  

     

     

  • Curso em Curitiba dá dicas para ambientar espaços pensando nos cães e gatos

    A PUCPR promove no dia 21 de setembro, em Curitiba, o curso de extensão Ambiente do seu pet: do Arquiteto ao Veterinário. O objetivo é apresentar de forma prática as características e necessidades dos cães e gatos mantidos dentro de casa como animais de companhia com ênfase em pequenos espaços, mantendo em perspectiva os cuidados com saúde e bem-estar.

    A formação destina-se a arquitetos e estudantes de Arquitetura, médicos veterinários e estudantes de Medicina Veterinária e interessados em design de interiores adequados para cães e gatos.

    O curso tem duração de dez horas, realizado em um dia e custa R$ 180,00.

    Acesse o site e inscreva-se! https://www.pucpr.br/cursos-extensao/ambiente-do-seu-pet-do-arquiteto-ao-veterinario/

  • Canabidiol também para pets

    O uso do canabidiol, um dos princípios ativos da Cannabis sativa (nome científico da maconha) vem sendo indicado para o tratamento de saúde de seres humanos. Mas a substância já é recomendada também para o tratamento de pets. O custo ainda é alto, mas já é uma alternativa para quem pode pagar para aliviar as dores relativas a uma série de doenças que atigem os pets.

    Um Congresso Nacional reúne neste sábado (17), em Curitiba, veterinários e outros especialistas que vão tratar do tema, no encontro que acontece na Ópera de Arame. 

    A farmacêutica da Drogavet, Sandra Schuster, rede de farmácias de manipulação, que promove o evento adianta um pouco sobre o assunto.        

    Papo Pet: O canabidiol é indicado em quais tratamentos?

    Sandra: Ele é indicado para tratamento de dor crônica em casos de câncer, problemas de coluna, tratamento de epilepsias, problemas cognitivos e melhora o bem-estar geral.

    Papo Pet: Em quais deles tem se mostrado mais eficiente?  

    Sandra: Ele tem apresentado ótimos resultados em casos de dor crônica, bem como em casos de epilepsias.

    Papo Pet: É para cães e gatos? Outros pets? 

    Sandra: Os estudos tem sido realizados na maioria das vezes em cães.

    Papo Pet: Como é possível adquir o produto? É caro o tratamento com o canabidiol? 

    Sandra: Com prescrição veterinária em duas vias. O custo do tratamento varia de acordo com o tamanho e peso do animal. Pode custar de R$ 500 a R$ 2 mil por mês.

    Papo Pet: No aspecto legal como é a liberação do uso na veterinária? 

    Sandra: Não há regulamentação específica para o uso veterinário. No caso do CBD, que não possui qualquer efeito psicoativo, ou seja, não causa dependência psíquica ou química, a ANVISA estabeleceu todo um procedimento para a importação e utilização através da RDC 17/15, inclusive classificando a substância como controlada. Já no âmbito do Ministério da Agricultura, que é o órgão competente para a regulamentação dos medicamentos de uso veterinário, o CBD  não consta no rol de substâncias sujeitas a controle especial, conforme disposto na IN 35/17.  

     

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES