Eleições 2022

Alvaro Dias vai disputar reeleição para o Senado contra Moro

Alvaro Dias (Pode): senador vai disputar cargo com ex-pupilo
Alvaro Dias (Pode): senador vai disputar cargo com ex-pupilo (Foto: Franklin de Freitas)

O senador Alvaro Dias (Podemos) confirmou hoje que será candidato à reeleição. A candidatura dele deve ser confirmada na sexta-feira, na convenção do Podemos do Paraná. Até então, Alvaro vinha sendo assediado pelo Podemos para disputar novamente a Presidência da República ou o goverrno do Estado. 


"Minha decisão pessoal é essa. Na minha cabeça já estava definido há tempos", afirmou o senador. Para Alvaro, não há espaço para uma terceira via para a disputa presidencial. "Nessa eleição, a polarização é inevitável só um fato inusitado poderia mudar isso. Vejo a consolidação da polarização, e qualquer outra candidatura seria 'cristianizada'", explicou. 

Sobre a disputa pelo governo do Paraná, Alvaro afirma que o apoio a algum dos candidatos colocados vai depender das alianças que o Podemos fechará no Estado. "Teremos uma candidatura avulsa ao Senado. Mas não ficaremos isolados. Já disputei isolado em 98 e em 2006", disse. 

Segundo ele, as alianças são necessárias diante do pouco tempo que seu partido tem na propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV. "(Apoio ao governo) vai depender do tipo de aliança", afirmou.

Alvaro também confirmou que o Podemos não terá candidato à Presidência. O partido tem sido assediado pelo MDB para apoiar a candidatura da senadora Simone Tebet (MS). 

O governador Ratinho Júnior (PSD) já definiu que apoiará a candidatura ao Senado do deputado federal Paulo Martins (PL), aliado do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O senador vinha hesitando sobre o rumo a tomar, após ficar isolado diante da decisão de Ratinho Jr. Até então, Alvaro esperava ter o apoio do governador e integrar a coligação situacionista. Com a decisão de Ratinho Jr de apoiar Bolsonaro, o candidato escolhido pela coligação governista acabou sendo Paulo Martins. 

Como candidato à reeleição, o senador terá que enfrentar o ex-juiz Sergio Moro. Alvaro foi responsável por levar Moro a se filiar ao Podemos em novembro passado, como pré-candidato à Presidência da República. Sem espaço no partido para suas pretensões, Moro acabou migrando em março para o União Brasil, onde também não conseguiu a legenda para tentar chegar ao Palácio do Planalto.

Mesmo assim, Alvaro não considera que essa eleição será mais difícil que as anteriores. "Tenho muita confiança na sociedade paranaense. A postura, a experiência, o trabalho têm que ser valorizados", opina.

Inicialmente, o partido ofereceu ao ex-juiz a vaga de candidato ao Senado ou a deputado federal por São Paulo. Depois que a Justiça rejeitou seu pedido de transferência de domicílio eleitoral para São Paulo, Moro foi obrigado a voltar ao Paraná para disputar a eleição pelo estado de origem.

Alvaro chegou a ser cogitado como candidato à Presidência pelo Podemos, cargo que já disputou em 2018. Também foi especulado que ele poderia disputar o governo do Estado.