Política em Debate

Publicidade
Ataque

Bolsonaro divulga repúdio à Globo e acusa emissora de tentar envolvê-lo no caso Marielle

Bolsonaro: presidente reagiu à carta de diretor de jornalismo da emissora, que elogiou reportagem sobre caso Marielle
Bolsonaro: presidente reagiu à carta de diretor de jornalismo da emissora, que elogiou reportagem sobre caso Marielle (Foto: reprodução/Facebook)

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) divulgou nota de repúdio contra o que diz ser "perseguição da TV Globo ao presidente Jair Bolsonaro", na tentativa de envolvê-lo no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco. A nota é uma resposta à carta do diretor-geral de jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, que parabenizou os jornalistas da emissora que fizeram a matéria veiculada na semana passada sobre a citação de Bolsonaro na investigação do assassinato da vereadora.

"É lamentável que a TV Globo considere motivo de comemoração a veiculação de matéria que, sob o verniz de jornalismo imparcial, somente leva desinformação aos brasileiros. Caso a emissora tivesse realmente pautado seu trabalho pela imparcialidade, rigor na apuração e profundidade de investigação, não teria levado ao ar matéria tão frágil do ponto de vista jornalístico", diz o texto divulgado pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom).

Na terça-feira (29), o Jornal Nacional exibiu uma reportagem sobre as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL/RJ), ocorrido em março de 2018. Segundo a reportagem, o porteiro do condomínio onde morava Bolsonaro à época disse em depoimento que alguém com a voz "do seu Jair" autorizou a entrada de um dos suspeitos da morte da vereadora no dia do crime.

O presidente reagiu com palavras pesadas para se referir à emissora, como "patifaria", "canalha", "porra", "imprensa porca", "jornalismo podre", "nojenta" e "imoral". Também disse que a renovação da concessão da Globo, prevista para 2022 só ocorrerá se o processo estiver “enxuto e legal”. “Não vai ter jeitinho pra vocês, nem pra ninguém", alegou Bolsonaro.

Veja abaixo a íntegra da nota da Secom:

"A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) repudia a perseguição da TV Globo ao presidente Jair Bolsonaro, na tentativa de envolvê-lo no caso Marielle.

É lamentável que a TV Globo considere motivo de comemoração a veiculação de matéria que, sob o verniz de jornalismo imparcial, somente leva desinformação aos brasileiros.

Caso a emissora tivesse realmente pautado seu trabalho pela imparcialidade, rigor na apuração e profundidade de investigação, não teria levado ao ar matéria tão frágil do ponto de vista jornalístico.

A reportagem seguiu adiante mesmo sabendo que o depoimento que relacionava o presidente da República não passou de fraude e se apresenta como outro crime que merece apuração. Jornalismo não pode ser feito com suposições.

É evidente o foco da emissora em promover discórdias e enfraquecer o governo, enquanto outros fatos notórios positivos do país são silenciados, pois não interessam aos cofres da empresa.

Se a TV Globo fizesse bom jornalismo, como defende, investigaria e publicaria, por exemplo, sua própria participação em supostos pagamentos de propina a dirigentes da Fifa para compra de direitos de transmissão da Copa do Mundo."

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES