Política em Debate

Publicidade
Assembleia

Deputado bolsonarista do Paraná lança petição 'pelo fim da Rede Globo'

Arruda: deputado do PSL alega que rede violou Código Brasileiro das Comunicações com ataques a Bolsonaro
Arruda: deputado do PSL alega que rede violou Código Brasileiro das Comunicações com ataques a Bolsonaro (Foto: Sandro Nascimento/Alep)

O deputado estadual paranaense Ricardo Arruda, do PSL – partido do presidente Jair Bolsonaro – lançou uma petição na internet para reunir assinaturas para pedir a cassação da concessão da Rede Globo de Televisão. Na petição, Arruda – que se apresenta como missionário da Igreja Mundial do Poder de Deus, alega que a emissora teria violado o artigo 53, do Código Brasileiro de Comunicações, que define condutas consideradas criminosas que podem resultar em sanções contra concessionárias de serviços de comunicação. Até o início da tarde de hoje, a página na internet criada pelo deputado para angariar apoio à petição registrava 10.509 assinaturas. 

Para justificar o pedido, Arruda lista uma série de supostas denúncias contra a Globo. Na petição, o parlamentar reproduz links para textos como “Rede Globo de Televisão ataca DEUS, JESUS CRISTO E A BÍBLIA ofendendo os Católicos e Evangélicos em programa 'Zorra Total'”, do “Jornal O Maricá”, do interior do Rio de Janeiro; “Rede Globo chacota com a fé dos Católicos, zombam o Santíssimo Sacramento e menospreza a Eucaristia”, do blog “Linguagem do Céu”; “Humorista da Rede Globo usa bigode de Hitler e imita Bolsonaro”, da coluna de Celebridades do jornal O Dia, também do RJ, entre outros.

Ainda no texto, o deputado do PSL aponta que o artigo 36 do Código Brasileiro de Comunicações prevê que “os serviços de informação, divertimento, propaganda e publicidade das empresas de radiodifusão estão subordinadas às finalidades educativas e culturais inerentes à radiodifusão, visando aos superiores interesses do País”. Segundo Arruda, “diante de algumas das inúmeras matérias veiculdas massivamente a cada dis, se demonstra abaixo que a Representada está desatendendo diretamente os preceitos acima”.

O parlamentar pede ainda, em caráter de urgência, a “imediata intervenção” do Ministério das Comunicações na Rede Globo. No mérito, requer que seja encaminhada representação ao presidente da República “para a cassação de todas as concessões administrativas renovadas à Representada”.

Caso Marielle -  No último dia 29, o Jornal Nacional veiculou reportagem que revelou a visita de Élcio Queiroz, um dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco ao Condomínio Vivendas da Barra, onde mora outro principal suspeito do assassinato, Ronnie Lessa, e também onde o presidente Jair Bolsonaro tinha residência.

O porteiro contou à polícia que, horas antes do assassinato, em 14 de março de 2018, Élcio de Queiroz, entrou no condomínio e disse que iria para a casa de Bolsonaro. Áudio da portaria do condomínio divulgado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro apontou que o suspeito teria visitado a casa de Ronie Lessa.

Bolsonaro reagiu à reportagem com uma transmissão ao vivo na internet, acusando a Globo de veicular notícia falsa para tentar incriminá-lo no caso Marielle. "Isso é uma patifaria, TV Globo! TV Globo, isso é uma patifaria! É uma canalhice o que vocês fazem. Uma ca-na-lhi-ce, TV Globo. Uma canalhice, fazer uma matéria dessas em um horário nobre, colocando sob suspeição que eu poderia ter participado da execução da Marielle Franco, do PSOL", disse ele.

O presidente também ameaçou não renovar a concessão da emissora, que vence em 2022. Temos uma conversa em 2022. Eu tenho que estar morto até lá. Porque o processo de renovação da concessão não vai ser perseguição, nem para vocês nem para TV nem rádio nenhuma, mas o processo tem que estar enxuto, tem que estar legal. Não vai ter jeitinho pra vocês nem pra ninguém”.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES