Política em Debate

Publicidade
Corrupção

Presidente da Câmara de Astorga é preso em flagrante por tentativa de suborno

José Carlos Paixão (PTB): vereador teria oferecido dinheiro a integrante de ONG para que ele não denunciasse irregularidades na gestão da Câmara
José Carlos Paixão (PTB): vereador teria oferecido dinheiro a integrante de ONG para que ele não denunciasse irregularidades na gestão da Câmara (Foto: Câmara Astorga/divulgação)

O presidente da Câmara de Vereadores de Astorga (região Norte), José Carlos Paixão (PTB) e um assessor de comunicação da Casa foram presos hoje em flagrante, em operação do Ministério Público, por meio do Núcleo de Londrina do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria).

Segundo o MP, os dois foram presos no momento em que estavam pagando para que um representante de organização não-governamental (ONG) da cidade não denunciasse irregularidades que havia descoberto na gestão da Câmara. De acordo com a promotoria, a intenção dos dois detidos seria era evitar que o caso chegasse ao conhecimento do Ministério Público.

As prisões ocorreram por volta das 14h30, na Câmara de Vereadores. De acordo com o MP, o vereador teria oferecido R$ 3 mil mensais para que o integrante da ONG não denunciasse as irregularidades. "Os vereadores e o assessor propuseram essa quantia até que a Câmara aprovasse uma alteração no regimento interno e ele fosse contratado como assessor legislativo. Os seis vereadores da base do prefeito repassariam R$ 500 por mês para pagar a propina", explicou o promotor Renato de Lima Castro ao G1

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES