Ansa

Ratinho Jr se reúne com presidente da Petrobras para discutir fechamento de fábrica em Araucária

Ratinho Jr: governo do Estado diz que está procurando alternativas para fechamento de fábrica
Ratinho Jr: governo do Estado diz que está procurando alternativas para fechamento de fábrica (Foto: Arnaldo Alves / AEN.)

O governador Ratinho Júnior (PSD) reuniiu hoje parte da bacada federal do Paraná no Palácio Iguaçu para discutir as prioridades do Estado no Congresso. Entre os assuntos debatidos estão o fechamento da fábrica de fertilizantes Ansa, em Araucária (região metropolitana de Curitiba). Ratinho Jr informou que na quinta-feira (30), vai ao Rio de Janeiro para uma reunião com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para discutir o assunto. Segundo ele, o governo do Estado está mobilizado em busca de alternativas para o encerramento das atividades da empresa. De acordo com o governo paranaense, a empresa contava com 396 funcionários, todos demitidos.

Segundo a Petrobras, os resultados da Ansa demonstrariam a falta de sustentabilidade do negócio: somente de janeiro a setembro do ano passado, o prejuízo teria sido de quase R$ 250 milhões. As previsões apontariam para um resultado negativo superior a R$ 400 milhões em 2019. “É um assunto muito delicado, que gera muitas dúvidas. O governador vai ao Rio em busca de uma solução adequada à realidade do nosso Estado”, afirmou o deputado federal Rubens Bueno (Cidadania).

Na pauta também está a privatização do primeiro lote de refinarias da Petrobras, previsto para ocorrer ainda neste ano e que deve incluir a Repar. “Entendemos que privatizar é algo do mercado, mas vamos buscar o maior número de informação possível para que a população não seja prejudicada”, disse. “O governo do Estado está em busca de uma alternativa”, acrescentou.

No encontro com a bancada federal, o governador conversou ainda sobre reforma tributária, e a nova visita do presidente Jair Bolsonaro ao Paraná, prevista para 7 de fevereiro. Ratinho Junior destacou que o objetivo da reunião, a primeira em 2020 com os parlamentares, foi criar uma agenda comum do Estado em Brasília, unificando forças em torno de pautas federais que são importantes para o Estado. “Esse tipo de encontro com a bancada não era muito comum no Paraná. Fizemos várias no ano passado e seguiremos nos encontrando periodicamente. É preciso que a nossa bancada esteja atenta lá em Brasília, buscando ajudar o Paraná”, afirmou.

Bolsonaro – Ratinho Jr informou também que o presidente Bolsonaro confirmou uma nova visita ao Paraná, prevista para 7 de fevereiro. Na ocasião, serão anunciados a liberação de recursos para Apaes e outras entidades do Estado. Parte do investimento foi possibilitado por emendas parlamentares da bancada federal.

“Vamos aproveitar para organizar uma grande reunião entre deputados, governador e o presidente. Debater tudo aquilo que é mais importante para o Paraná”, destacou a deputada federal Aline Sleutjes. O local e o horário da agenda ainda não estão definidos.

Reforma tributária – O governador ressaltou que o Estado está atento à movimentação da União em torno da reforma tributária. O novo sistema de tributação prevê a unificação impostos federais, estaduais e municipais (especialmente ICMS e ISS) para a criação de um tributo único, chamado de IBS (Imposto de Bens e Serviços). A expectativa é que a reforma seja votada no primeiro semestre de 2020.

“Há uma série de questões que envolvem o Paraná diretamente. Pontos que podem nos beneficiar e outros que podem nos prejudicar, por isso a colaboração dos nossos deputados é fundamental”, disse Ratinho Jr.

Pedágio – Durante o encontro ficou estabelecido, também, que o governo do Estado e os parlamentares vão se reunir com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em Brasília, para detalhar o cronograma da nova concessão de rodovias no Estado, previsto para entrar em vigor em novembro de 2021. O Paraná passará de 2,5 mil para 4,1 mil quilômetros de estradas pedagiadas, em processo que envolve também a União.

A bancada tentará acrescentar uma nova rodovia ao pacote, os 205 quilômetros da ligação entre Campo Mourão e Guarapuava. A via contempla trechos da BR-487, entre Campo Mourão e Iretama; da PR-460, entre Iretama e Pitanga; e da PR-466, entre Pitanga e Guarapuava.