Câmara Municipal

Vereadores querem barrar aumento de salário de políticos em Curitiba

Para os vereadores, o projeto da Câmara prevê reajuste de 11,59%.
Para os vereadores, o projeto da Câmara prevê reajuste de 11,59%. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Quatro vereadores apresentaram proposta para impedir o reajuste no salário dos parlamentares da Câmara Municipal de Curitiba, prefeito, vice-prefeito e secretários. A iniciativa é assinada por Amália Tortato (Novo), Indiara Barbosa (Novo), Denian Couto (Podemos) e Flávia Francischini (PSL).

De acordo com o texto protocolado pelo grupo de vereadores, agentes políticos não seriam contemplados com a recomposição salarial, que vai de 11% a 19% dependendo do tempo que estavam sem reajuste.

O aumento está previsto no pacote de projetos enviados pela Prefeitura à Câmara Municipal de Curitiba e também em iniciativas da própria Mesa Executiva da Câmara .

No caso do prefeito Rafael Greca (DEM) e do primeiro escalão, o aumento é o mesmo dos servidores, 10,25%. O salário do prefeito passaria dos atuais R$ 27.495,43 mensais, para R$ 31.262,30. Em relação aos secretários, o salário passaria de R$ 18.281,10 para R$ 20.785,61.

Para os vereadores, o projeto da Câmara prevê reajuste de 11,59%. Com o aumento, o salário dos parlamentares da cidade passarão dos atuais R$ 15.594,73 para R$ 17.401,42.

Na justificativa da proposição, os autores alegam que “os mesmos que estão neste mandato já detinham conhecimento dos valores quando do pleito eleitoral, bem como que neste período de retomada econômica em razão dos efeitos da pandemia do Coronavírus, outras demandas se tornaram prioritárias”.

Neste começo de 2022, durante o recesso da Câmara, foram convocadas reuniões extraordinárias para a votação do reajuste do salário de servidores, conselheiros tutelares e agentes políticos.