Helena Carnieri

  • Antropofocus apresenta em Jacarezinho um espetáculo teatral de comédia sem nenhum diálogo

    (Foto: Paulo Feitosa/Divulgação)

    Fazer o público rir, sem que os atores digam uma palavra sequer. Este é o desafio do grupo Antropofocus, que vai se apresentar em Jacarezinho pela primeira vez, nos dias 01 e 02 de julho, no CAT - Conjunto Amadores de Teatro. As duas apresentações serão realizadas às 20 horas, e tem entrada gratuita.

    O espetáculo intitulado Contos Proibidos de Antropofocus, faz parte do projeto de circulação "CONTOS EM TODOS OS CANTOS", viabilizado por meio do Profice, com apoio da Copel. O elenco conta com cinco atores, que pesquisam a comédia e a improvisação em suas produções, e um dos integrantes do grupo, o ator e produtor Edran Mariano, é conterrâneo da região Norte Pioneiro, nascido e criado na cidade de Quatiguá.

    Além das apresentações abertas para a comunidade, o grupo também oferece uma sessão exclusiva para alunos do ensino médio de escolas públicas e uma oficina de improvisação teatral com carga horária de 9 horas.

    Em julho o projeto CONTOS EM TODOS OS CANTOS circulará pela região Norte e Norte Pioneiro, e além de Jacarezinho, passará com sua programação também pela cidade de Ibiporã.

    ROTEIRO

    * Jacarezinho

    01 e 02 de julho, no CAT - Conjunto Amadores de Teatro

    * Ibiporã

    08 e 09 de julho, no Cine Teatro Padre José Zanelli

    O ESPETÁCULO

    Em Contos Proibidos de Antropofocus, o grupo enfrenta o desafio de fazer um espetáculo sem nenhum diálogo, onde a comunicação acontece apenas por meio do som. Partindo da metáfora da incomunicabilidade, as cenas – ou contos – acontecem em ambientes onde pessoas desconhecidas se encontram, mas raramente iniciam uma conversa: dentro de um ônibus, debaixo de uma marquise num dia de chuva ou em um banheiro masculino.

    O projeto, que é uma investigação do grupo sobre a força dramatúrgica que o som tem, nasceu da frequência com que grandes artistas cênicos e cinematográficos usam medidas sonoras para falar de seus trabalhos: o tom da cena, ritmo da ação e timming.

    A OFICINA

    Voltada para artistas e não-artistas, a oficina de Improvisação Teatral visa estimular o participante a conhecer e descobrir seu potencial inato de criatividade através de exercícios teatrais.

    E, por meio da improvisação, fazer com que ele tenha capacidade de ousar, perceber, ouvir, ser espontâneo, improvisar e se relacionar.

    SOBRE O ANTROPOFOCUS

    O Antropofocus está prestes a completar 22 anos de trajetória e sempre teve como premissa artística observar o ser humano e seu comportamento no cotidiano, sabendo que todas as suas ações podem ser consideradas cômicas, dependendo do prisma pelo qual é observado. Desde a sua fundação, em 2000, o grupo dedica-se ao processo colaborativo na busca de um resultado estético que representa as vozes, ideias e desejos de todos os seus integrantes.

    Para isso o grupo vem se aprofundando nas ferramentas da dramaturgia dinâmica como metodologia para as criações de seus espetáculos. Em sua trajetória, o grupo realizou uma série de experimentos artísticos e intercâmbios com artistas nacionais e internacionais, que resultaram em criações de espetáculos e atividades pedagógicas realizadas em sua sede.

    SERVIÇO

    CONTOS PROIBIDOS DE ANTROPOFOCUS

    Dias: 01 e 02 de julho

    Horário: 20 hrs

    Local: CAT - Av. Getúlio Vargas, 968 - Centro

    ENTRADA GRATUITA - retirar o ingresso a partir de 1 hora antes

    Informações: (43) 3525-0671 e @antropofocus

    OFICINA DE IMPROVISAÇÃO TEATRAL

    Dias: 02 e 03 de julho

    Sábado: das 09 às 12 hrs | das 14 às 17 hrs

    Domingo: das 09 às 12 hrs

    Local: CAT - Teatro de Arena

    Informações e inscrições: @antropofocus e https://bit.ly/OficinaImprovisaçãoJACAREZINHO

    FICHA TÉCNICA

    Elenco: Anne Celli, Andrei Moscheto, Bruno Lops, Edran Mariano e Marcelo Rodrigues

    Sonoplastia e assistente de direção: Célio Savi

    Operador de som: Célio Savi

    Iluminação: AnryAider e Paulo Rosa

    Operação de luz: Paulo Rosa

    Cenografia: Sérgio Richter &Antropofocus

    Figurino e Adereços: Fabiana Pescara & Renata Skrobot

    Designer Gráfico: Lula Carneiro

    Fotos de Divulgação: Paulo Feitosa

    Assessoria de Imprensa: Com Leite Comunicação Integrada

    Articulador Local - Jacarezinho: Cleiton Santos

    Articuladora Local -Ibiporã: Lívia Zeferino

    Diretor de Produção: Edran Mariano

    Direção Geral: Andrei Moscheto

    Realização: Antropofocus

    Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e Cultura | Governo do Estado do Paraná

    CANAIS DE COMUNICAÇÃO - ANTROPOFOCUS

    Site: www.antropofocus.com.br

    Instagram: https://www.instagram.com/antropofocus

    Facebook: https://www.facebook.com/antropofocus

  • Espetáculo de dança leva a emancipação feminina dos anos 1920 ao interior do Paraná

    Para a arte, é impossível avançar sem olhar para trás: essa é a proposta de “Dois Olhares”, espetáculo de jazz contemporâneo da EF Jazz Company de Curitiba, com coreografia de Eliane Fetzer, que agora circula por cidades pequenas do interior do Paraná, com menos de 20 mil habitantes. O trabalho, que lança um olhar investigativo sobre a revolução da mulher nos anos 1920, chega dia 1º de julho a Rebouças, e, no dia 3 de julho, a Tibagi, com entrada franca.

    A década em questão foi um tempo de mudança de valores, libertação da mulher e efervescência cultural. O jazz ganhou popularidade, marcado pela improvisação musical e, no Brasil, a Semana de Arte Moderna e a inovação industrial marcavam uma grande revolução. A coreógrafa e diretora Eliane Fetzer conta que, para “Dois Olhares”, realizou um recorte da emancipação feminina do período, enfocando a entrada no mercado de trabalho, o direito ao voto e a recusa ao casamento arranjado, entre outros marcos.

    Em “Dois Olhares”, esse contexto se materializa em cena nos corpos de 14 bailarinos e bailarinas que enfocam as dificuldades vividas pela mulher em seu processo de emancipação. “No cenário, uma poltrona vermelha sinaliza ambientes ora reprimidos, ora noturnos, onde a mulher está presa ou iniciando um percurso de libertação”, explica Eliane. “Também trazemos pérolas como símbolo da riqueza e de um poder de encantamento dessas mulheres, chegando até questões sociais atuais, como a própria quebra de paradigmas da masculinidade.”

    A circulação pelo interior do Paraná leva o espetáculo a nove cidades com pouco acesso a produções culturais autorais. A regionalização proposta pelo projeto inclui aulas e estudos coreográficos ministrados pelos bailarinos da companhia  para alunos de dança selecionados nos locais, e também conta com a participação destes na abertura do espetáculo. “Essa foi uma forma de estimular a produção artística de outras regiões, proporcionar novas experiências e aprimoramento técnico aos professores e estudantes de dança e democratizar o acesso às artes”, explica a coordenadora da BPC Produções, Simone Bönisch.

    Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná. Apoio: COPEL.

    SERVIÇO

    “Dois Olhares”, com EF Jazz Company - espetáculo de jazz com entrada franca

    Coreografia de Eliane Fetzer

    Rebouças (PR): dia 1º de julho, às 19h (Centro Cultural e Recreativo Cabral)

    * Participação do Native Studio

    Tibagi (PR): dia 3 de julho, às 20h (Teatro Tia Inália)

    * Participação da Escola Municipal de Dança de Tibagi e do Grupo de Dança Ana Karina Cruz


    Fotos: https://www.dropbox.com/sh/hudr5ukteua7hxt/AABbSyr6TjQaV-HxNJEQ6uEMa?dl=0
    Crédito: Juliano Peçanha/Divulgação

    Vídeo
    https://www.dropbox.com/sh/0yadqrxblti5lqx/AADoIOharoOidKf7wpRw1-Vqa?dl=0

    Ficha Técnica:

    Direção e Concepção Coreográfica: Eliane Fetzer

    Criação de iluminação: Edson Rolin

    Projeto musical: Bruno Gomes

    Ensaios: Eliane Fetzer

    Elenco: Amanda Fetzer, Beatriz Gotti, Cleiton Martins, Erickson Oliveira, Gabriela Trianoski, Guilherme Dalazuana, Jana Maria, Jean Afonso, Jéssica Berlando, Jordano Berlando, Julia Meirelles, Lais Cristina Oliveira, Mariana Guimarães e Vinicius Ribas

    Diretor de Produção: Jorge Schneider

    Coordenação geral: Simone Bönisch

    Realização: Eliane Fetzer Centro de Dança

    Produção: BPC Produções Culturais


    BPC Produções - A Bönisch Produções Culturais foi criada em outubro de 2017 pela produtora cultural Simone Bönisch. A empresa atua na elaboração, execução, produção, gerenciamento e consultoria de projetos culturais e iniciativas artísticas socioeducacionais. Desde a sua fundação, vem atuando na coordenação e produção dos projetos: Brasil x Israel (intercâmbio cultural entre artistas da dança contemporânea brasileira e israelense), Vilosidade (trabalho solo em dança contemporânea da artista Lívea Castro aprovado no Edital da Área da Dança – Solar 2018), Vário (espetáculo de dança-música aprovado no Edital de Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba), Autorretrato (projeto de Cayo Vieira que usa a fotografia em intervenções psicoterapêuticas no tratamento de adolescentes internos no Hospital San Julian), Do Avesso (iniciativa da Nó movimento em rede, contemplada pelo Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020) e Batucando (proposto por Diandra Minatti e aprovado no PROFICE, para a formação de uma orquestra de percussão com crianças da cidade de Ipiranga).

     

  • Conheça os benefícios da Psicomotricidade Relacional aplicada ao contexto escolar

    Um dos recursos utilizados pelas escolas para trabalhar a relação entre as crianças é a psicomotricidade relacional, um braço da educação física associado à psicologia, criada na década de 1970 por Anne e André Lapierre e trazida ao Brasil por Leopoldo Vieira. 

    “Essa é uma abordagem que auxilia as crianças nos aspectos sociais, cognitivos e comportamentais, por meio da brincadeira e do jogo simbólico”, explica a educadora física e psicomotricista Fernanda Fernandes. 

    Professora do Peixinho Dourado Berçário e Educação Infantil, ela tem observado vários ganhos no desenvolvimento de crianças de 0 a 6 anos com esse método, por meio da aceitação de limites, do ajuste positivo da agressividade, elevação da autoconfiança, aprimoramento das potencialidades individuais e do desenvolvimento da afetividade nos relacionamentos.

    Nas sessões semanais, são utilizados bolas, arcos, bastões, cordas, tecidos e caixas, sendo que cada material tem seu significado e um objetivo. “Tivemos um caso de criança agressiva com os coleguinhas, e pudemos ajudá-lo enfocando o positivo, aquilo que ele sabe fazer bem. Isso permitiu que ele se sentisse capaz e amado. A forma negativa de chamar atenção ficou em segundo plano e ele foi inserido no grupo: passou a ensinar os outros a subir, escalar, amarrar pontas…usar sua energia em coisas boas.”

    A profissional conta que tudo que se trabalha corporalmente está ligado ao nosso emocional. “As crianças trazem muitas questões emocionais e de aprendizagem que estão interligadas. Por exemplo: se ela tem dificuldade para escrever, em geral tem  também pouco equilíbrio e coordenação motora”, analisa Fernanda.

    Com o apoio da escola, as crianças podem se desenvolver plenamente e trabalhar cada interação da melhor forma.

     

  • "Nunca Desista de seus Sonhos", de Augusto Cury, ganha versão teatral com Myrian Rios e Nizo Neto

    Considerado o psiquiatra mais lido do mundo nas últimas duas décadas, com 35 milhões de livros em mais de 60 países, Augusto Cury é autor do livro Nunca Desista de seus Sonhos, título que ganha versão teatral adaptada pelo próprio Augusto - dos espetáculos de sucesso O Vendedor de Sonhos e O Homem Mais Inteligente da História - e produção de Luciano Cardoso, da Applaus, responsável pelas duas montagens citadas acima.

    A direção é de Rogério Fabiano e o elenco é formado por Myrian Rios, Nizo Neto, Mari Feil e Murilo Cunha.

    Myrian Rios comemora estar no elenco do espetáculo: “Sempre fui admiradora de Augusto Cury. Desde o nosso primeiro encontro, na TV Canção Nova, acompanho sua trajetória e coloco em prática seus ensinamentos através dos livros”. Para o diretor Rogério Fabiano, o objetivo da montagem é que o público saia motivado a buscar a felicidade. “Em cena, coloquei emoção e humor para contar a bela história que é Nunca Desista de seus Sonhos”.

     

    Sobre o espetáculo

    Você compreende a fundo o que significa sonhar e por que é vital que nunca desista de seus sonhos? Sonhar pode ser interpretado como uma maneira de busca pela felicidade, mas que comportamentos podem garantir sua conquista?

    (Augusto Cury)

    No espetáculo Nunca Desista de seus Sonhos, a psiquiatra Camila, enquanto estudante de medicina, assiste a uma palestra de Dr. Augusto Cury e toma a decisão de seguir os seus ensinamentos. Apesar de almejar uma especialização fora do País, protela a realização por vários motivos.

    A profissional é muito apaixonada pela sua área e auxilia seus pacientes, estimulando-os ao contar como homens brilhantes da história fracassaram e, ainda assim, foram persistentes e não desistiram de seus propósitos.

    A psiquiatra expõe seu lado humano ao confessar que tem um filho viciado em tecnologias e jogos digitais. Sua experiência com a problemática tão presente na atualidade faz parte do enredo. Ela também trabalha temas como depressão e ansiedade. Para superar seus desafios, Camila tem como aliada sua estagiária Helena, recém-formada em medicina psiquiátrica.

    A peça tem como pano de fundo passagens da vida do Dr. Augusto Cury, fonte de inspiração da protagonista.

     

    SERVIÇO:

     

    Nunca Desista de Seus Sonhos, de Augusto Cury

    Local: Teatro Fernanda Montenegro

    Endereço:  Shopping Novo, R. Cel. Dulcídio, 517 - Batel, Curitiba - PR

    Data/Hora:

    25 de junho, sábado, 20h

    26 de junho, domingo, 19h

    Ingressos: https://www.diskingressos.com.br/

    Classificação: 10 anos

    Duração: 75 min

    Gênero: Drama

     

    Ficha Técnica

    Adaptação: Augusto Cury

    Direção: Rogério Fabiano

    Elenco: Myrian Rios, Nizo Neto, Mari Feil, Murilo Cunha

    Direção Geral de Produção: Luciano Cardoso

    Produção Executiva: Mari Feil

    Cenário e Criação de Luz: Rogério Fabiano

    Técnico de som e luz: Magnus Nicollas

    Trilha Sonora: Amanda Annunciato

    Coordenação de Produção: Mari Feil

    Assistente de Produção: Junior Godin

    Design Gráfico: Lucas Peixoto

    Gestão Tráfego Digital: Vinicius Cassiano

    Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

    Assessoria Jurídica: Ranzolin – Propriedade Intelectual

    Promoção: Dreamsellers

    Realização: Applaus

     

  • "A Arca de Noé" segue viagem para Paranaguá

    Que tal se encantar com uma viagem pelo mundo das rimas e da imaginação? Assim será o espetáculo A Arca de Noé, que faz parte da rede de projetos culturais selecionados pelo Programa Petrobras Cultural.
    Inspirada em canções de Vinícius de Moraes e Toquinho, a peça que estreiou em Curitiba no início de maio, se apresenta neste sábado, dia 18 de junho, em Paranguá, no Teatro Municipal Rachel Costa. A apresentação contará com uma ação de promoção do acesso à cultura. Parte dos ingressos serão distribuídos gratuitamente para crianças de 0 a 6 anos estudantes da rede pública de ensino, para organizações não-governamentais e instituições comunitárias.
    Os poemas escritos por Vinícius de Moraes aos filhos que, mais tarde, se transformaram em cantigas infantis pela parceria com Toquinho, dão o tom da apresentação e envolvem a plateia com a inocência das crianças. Entre as canções estão as famosas “O Pato”, “Corujinha”, “Pinguim” e “São Francisco”, conhecidas em todo Brasil.
    Em um clima de encanto e envolvimento com a literatura e música popular brasileira, o elenco em cena é composto por Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal e Joseane Berenda.
    O diretor do espetáculo, Edson Bueno, acredita que A Arca de Noé é um patrimônio artístico brasileiro. “Essa peça é uma daquelas jóias que, transformadas em teatro, adquirem um valor inigualável. Seus personagens, animais, cantores e crianças brincam e cantam a beleza da vida e deixam uma mensagem eterna para as crianças, que seguirá para sempre até a fase adulta. Ela precisa ser encenada e cantada por gerações e gerações”, ressalta.
    O produtor artístico e diretor da MRG Produções, promovedora do espetáculo, ressalta a importância da captação de patrocínios importantes para viabilizar a turnê. “E lá vai a Arca, encantando plateias e divulgando a linda obra musical do Vinícius de Moraes e do Toquinho. Estamos felizes com os patrocínios da Petrobras e da Copel. Tenho certeza que será uma turnê de amor, da promoção da boa arte e de muita celebração pela vida.”
    Depois de Paranaguá receber o espetáculo, a turnê se encerra na capital sulmatogrossense, Campo Grande, em data ainda a ser agendada.
    Os ingressos já estão à venda com tem preços populares e crianças até 02 anos não pagam entrada.
    O Programa Petrobras Cultural apoia a cultura brasileira como força transformadora e impulsionadora deste desenvolvimento, nas áreas de artes cênicas, música, audiovisual e múltiplas expressões. Mais informações estão no site www.mrgcultural.com.br.

    SERVIÇO

    PARANAGUÁ – PR
    18 de junho (sábado) às 16h
    Teatro Municipal Rachel Costa – Rua: Quinze de Novembro, 87 – Centro Histórico
    Entrada: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

    TELÊMACO BORBA – PR
    02 de julho (sábado) às 16h
    Centro Cultural Eloah Martins Quadrado - Av. Chanceler Horácio Laffer, 1160 - Centro

    CAMPO LARGO – PR
    09 de julho (sábado) às 16h
    Centro da Juventude Bom Jesus – Rua: Ademar de Barros, 120 – Bom Jesus

    CAMPO GRANDE – MS
    Local e data será divulgado em breve


    ELENCO:
    Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal, Joseane Berenda.


    FICHA TÉCNICA:
    Inspirado na obra de Vinícius de Moraes e Toquinho. Direção Artística: Edson Bueno. Direção de Produção: Márcio Roberto. Direção Musical e Sonoplastia: Marcela Zanette, Du Gomide. Cenografia e Adereços: Aorélio Domingues. Iluminação: Rodrigo Ziolkowski. Coreografia: Eliane Campelli. Figurino: Mariana Zanette. Maquiagem: Lilian Marchiori. Designer Gráfico: Kim Takeuchi. Fotografias: Chico Nogueira | Maringas Maciel. Comunicação Visual: Rafael Falvo. Assessoria de Imprensa: Smartcom Inteligência em Comunicação. Produção Executiva: Claudia Zanca. Assistência de Figurinos: Regina Celli e Thaisa Aielo. Operador de Luz: Luiz Henrique. Operador de Som: Marlon Marques. Maquinistas: Luiz Henrique e Marlon Marques.
    MRG PRODUÇÕES – A produtora cultural promove espetáculos teatrais por meio de clássicos da literatura, a fim de divulgá-las dentro de princípios éticos, buscando manter a sua sólida reputação baseada em sua responsabilidade social. Marcio Roberto Gonçalves é produtor, diretor de teatro e arte-educador há 30 anos. Fundador da MRG Produções Artísticas e do Centro Cultural Boqueirão, em Curitiba. Foi conselheiro Municipal de Cultura de Curitiba, sendo representante dos pontos de cultura do Paraná. Trabalha com a democratização e difusão da cultura, em parceira com Instituições públicas de ensino, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba, Teatro Guaíra, entre outros._

  • Projeto Brincar - Circulação/Livro realiza transmissões e distribui livros pelo Paraná

    Entre 1º e 10 de junho de 2022 acontece a segunda etapa do projeto “Brincar – Circulação/Livro”, realizado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o patrocínio do Atacadão*, da Copel, da Sanepar, da Neovia Engenharia e da Gelopar, com incentivo do Programa de Incentivo Paraná Cultural, da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, do Governo do Estado do Paraná e com o apoio da Celesc e da Parlare.

    Serão realizadas 14 transmissões gratuitas através do YouTube do espetáculo de teatro infantil “Brincar Brincar Brincar”, de Ligia Ferreira e Flávio Araújo, em parceria com escolas públicas dos municípios paranaenses de Curitiba, Guarapuava e Umuarama. As sessões serão acessíveis em libras. Na primeira etapa do projeto, realizada em 2021, foram atendidos 10 municípios e mais de 6.000 espectadores.

    Além das transmissões, o projeto “Brincar – Circulação/Livro” prevê a distribuição gratuita de 1.000 exemplares do livro onde a história narrada no espetáculo é apresentada em formato literário. O livro foi publicado em 2020 e, desde então, já foram distribuídos gratuitamente 500 exemplares para bibliotecas, escolas e espaços públicos. Em 2022, estão sendo distribuídos mais 500 livros.

    O projeto conta ainda com o áudio do livro, com a história e as músicas, para garantir o acesso ao conteúdo aos que não sabem ler e a pessoas com deficiência visual. O material pode ser acessado em viravoltacultural.com.br.

    O espetáculo “Brincar Brincar Brincar” já foi apresentado para mais de 30 mil pessoas desde 2016, fez parte da programação de festivais, mostras e contemplado em diversos editais, tendo sido apresentado mais de 100 vezes. O trabalho destaca a importância da brincadeira na vida das crianças. O texto, de autoria de Ligia, se passa numa vizinhança muito tranquila, baseada em sua rua de infância, com personagens inspirados na vida dos dois artistas. Ao longo da peça, a dupla ainda executa músicas compostas por Flávio, que enriquecem a narrativa.

    Ficha Técnica:

    Ligia Ferreira: Produtora Executiva, Atriz e Escritora.

    Flávio Araújo: Coordenador Geral, Músico e Compositor.

    * Maior atacadista brasileiro em número de lojas, o Atacadão está presente em mais de 160 cidades espalhadas por todos os estados do Brasil. Com uma história de 59 anos e cerca de 60 mil colaboradores, a empresa tem cerca de 240 unidades de autosserviço e mais de 30 atacados de entrega, que garantem o abastecimento de comerciantes, transformadores e consumidores finais. Também atua no e-commerce, integrando o canal de vendas online do próprio Atacadão com uma robusta operação de marketplace, com mais de 300 sellers parceiros de atacado.

  • Espetáculo de dança "A Maré de Maria" chega a Araucária

    Desenvolvido especialmente para as crianças pequenas, o espetáculo solo de dança contemporânea “A Maré de Maria” conta a história de uma menina, que costuma navegar em sua própria imaginação com um barquinho de papel. Por meio de um visual lúdico repleto de bonecos coloridos que dançam em cena com a bailarina, o público é envolvido pelas aventuras da pequena sonhadora.

    O espetáculo, que foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, em 2013, finaliza a temporada de circulação em Araucária, no dia 11 de junho, às 16h, no Teatro da Praça.

    Em 2020, das 8 cidades programadas para a circulação, apenas 3 puderam receber o espetáculo, por conta da pandemia da covid. A circulação foi aprovada pelo Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, do Governo do Paraná, e tem o apoio da COPEL.

    O espetáculo, colorido, alegre, poético e sensível, se passa no fundo do mar, onde a personagem principal viaja após navegar em um barquinho de papel. Para contar as aventuras da menina Maria neste mundo misterioso, animais marinhos aparecem em cena e são manipulados pela própria bailarina.

    Para a diretora, coreógrafa e criadora do projeto, Eunice Oliveira, o Paraná tem uma certa carência por criações de dança voltadas ao público infantil, especialmente direcionadas à primeira infância. “Queremos levar o espetáculo aos municípios do estado por entender a importância em democratizar o acesso à cultura na região”, diz a artista.

    O projeto A Maré de Maria estreou em Curitiba em fevereiro de 2015, e agora volta aos palcos com produção da Bönisch Produções Culturais.

    SERVIÇO

    A Maré de Maria

    Circulação

    Aberto ao público

    Dia 11 de junho às 16h: Teatro da Praça de Araucária (Rua São Vicente de Paulo, 1.091 – Centro)

    Escolas

    Serão realizados espetáculos dirigidos exclusivamente para escolas públicas, onde também será disponibilizado transporte para os alunos, tanto das cidades-sedes, quanto de outras cidades pequenas próximas (com menos de 50 mil habitantes), que não têm a possibilidade de receber a obra. Veja quais são:

    - Região de Fazenda Rio Grande: Mandirituba, Agudos do Sul e Quitandinha

    - Região de Araucária: Contenda e Balsa Nova

    FICHA TÉCNICA

    EUNICE OLIVEIRA

    Iniciou os estudos de dança no Teatro Guaíra em 1975 e ingressou o Balé Teatro Guaíra em 1980. Em 1993 foi dançar na Alemanha, em Gelsenkirchen e, mais tarde, em Nordhausen. No MusiktheaterImRevierGelsenkirchen colaborou com a criação coreográfica na obra La BelleetlaBète. No StadtheaterNordhausen participou das três Oficinas Coreográficas realizadas com os trabalhos In YourHands, Em Louvor e Gratidão, NotreAmour e Theeof a Kind. Coreografou também duas peças para teatro: Heinrich V de IgnaceCornelissen e Kleiner Mann, wasnun? De T.Dorst e P.Zadek. Retornou ao Brasil e ao Centro Cultural Teatro Guaíra em 2001, onde atuou até 2012 como ensaiadora do Balé Teatro Guaíra. Coreografou Sem texto, sem contexto para o Atelier Coreográfico do Balé Teatro Guaíra em 2007, e em 2009, o espetáculo Faces para a G2 Cia de Dança. Graduou-se em pedagogia em 2008 e concluiu em 2010 o Mestrado e em 2017 o Doutorado em Educação, pela Universidade Federal do Paraná.

    Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná.

    Apoio: Copel

    Mais informações:

    www.facebook.com/bpcproducoes/

    BPC Produções - A BPC Produções Culturais foi criada em outubro de 2017 pela produtora cultural Simone Bönisch. A empresa atua na elaboração, execução, produção, gerenciamento e consultoria de projetos culturais e iniciativas artísticas socioeducacionais. Desde a sua fundação, vem atuando na coordenação e produção dos projetos: Brasil x Israel (intercâmbio cultural entre artistas da dança contemporânea brasileira e israelense), Vilosidade (trabalho solo em dança contemporânea da artista Lívea Castro aprovado no Edital da Área da Dança – Solar 2018), Vário (espetáculo de dança-música aprovado no Edital de Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba), Autorretrato (projeto de Cayo Vieira que usa a fotografia em intervenções psicoterapêuticas no tratamento de adolescentes internos no Hospital San Julian)

  • "O Vendedor de Sonhos" em Curitiba no dia 11 de junho

    (Foto: Divulgação)

    A adaptação do best-seller para o palco é do próprio Augusto Cury com Erikah Barbin e Cristiane Natale (que também assina a direção) e o elenco é formado por Luiz Amorim, Mateus Carrieri, Adriano Merlini, Fernanda Mariano, Pedro Casali e Guilherme Carrasco.

    A trama conta a história do personagem Júlio César (Mateus Carrieri), que tenta o suicídio e é impedido de cometer o ato por intermédio de um mendigo, o Mestre (Luiz Amorim), que lhe vende uma vírgula, para que continue a escrever a sua história. Juntos encontram Bartolomeu (Adriano Merlini), um bêbado boa-praça que decide unir-se a eles na missão de vender sonhos e de despertar a sociedade doente. Mas a revelação de um passado conflituoso do Mestre pode destroçar a grande missão do Vendedor de Sonhos.

    O livro O Vendedor de Sonhos já foi traduzido para mais de 60 idiomas e também virou filme – e é a primeira obra de Augusto Cury (o psiquiatra mais lido no mundo atualmente) a receber uma adaptação para o teatro. “Ver os atores interpretando no palco os personagens que eu construí nas mais diversas situações estressantes em que eles passaram, levando o espectador a fazer uma viagem para dentro de si mesmo para encontrar o mais importante endereço que poucos encontram, o endereço em sua própria mente, é de fato um grande prazer”, conta Cury.

    “Entre as diversas apresentações pelo Brasil, a peça vem atingindo em cheio os espectadores”, conta a diretora Cristiane Natale. Para ela, a correria no dia a dia acaba reprimindo a demonstração dos sentimentos, principalmente os medos. “Muitas pessoas não conseguem lidar com desafios e fracassos e acabam por viver um caos emocional”, enfatiza ela, que, entre os seus trabalhos de destaque, estão os infantis “A Bailarina Azul”, de Cecília Meireles, como autora e figurinista; “Arca de Noé”, de Vinicius de Moraes, como produtora; e recentemente estreou “O Homem mais Inteligente da História”, mais uma parceria com Augusto Cury.

    Para Luiz Amorim, que interpreta o Mestre, o texto tem uma função além da literatura. “É uma história muito humana, bonita, que nos traz identificação. Propõe uma reflexão, instiga pensamentos. Tudo isso me atrai bastante”, diz ele, que esmiúça o seu personagem, o Vendedor de Sonhos: “Ele é riquíssimo, um homem que passou por muitas experiências, traumas na vida e desafios. Ele propõe caminhos que transformam a vida das pessoas. Você pode mudar o mundo através de sua própria mudança”.

    “Sentimos a boa recepção do público quando as pessoas contam suas experiências e como a peça, de alguma forma, modificou a vida delas”, conta Amorim, que coleciona em sua carreira grandes trabalhos, como as peças “Deus lhe pague” e “Sete minutos”, com Bibi Ferreira; o musical “Di repente”, com o Grupo Luz e Ribalta; entre outros. Além de passagens pela TV, como nas novelas “Chiquititas” e “Maria do Bairro” (SBT); e no cinema, em “Corda bamba” e “Sábado”.


    FICHA TÉCNICA
    Adaptação: Augusto Cury, Cristiane Natale e Erikah Barbin
    Direção: Cristiane Natale
    Elenco: Luiz Amorim, Mateus Carrieri, Adriano Merlini, Fernanda Mariano, Pedro Casali, Marcus Veríssimo e Guilherme Carrasco
    Direção Geral de Produção: Luciano Cardoso
    Produção Executiva: Guilherme Carrasco
    Design de Luz: Bruno Henrique França
    Técnico: Pitty Santana
    Trilha Sonora: Lino Colantoni
    Figurino: Valentina Oliveira
    Cenário: Cristiane Natale e Applaus
    Coordenação de Produção: Mari Feil
    Design Gráfico: Lucas Peixoto
    Gestão Tráfego Digital: Vinicius Cassiano
    Assessoria de Imprensa: Pombo Correio
    Assessoria Jurídica: Ranzolin – Propriedade Intelectual
    Promoção: Dreamsellers
    Realização: Applaus

    Serviço

    DATA: 11/06
    HORÁRIO: 20h
    LOCAL: Teatro  Fernanda Montenegro -  Shopping Novo Batel
VALOR INGRESSO – INTEIRA: R$ 90
    MEIA R$ 45

    Compre aqui!
    https://www.diskingressos.com.br/evento/3018/11-06-2022/pr/curitiba/o-vendedor-de-sonhos

  • “Quem Prospera Sempre Alcança” une humor e educação financeira

    (Foto: João Caldas Filho)

    Que tal passear domingo na tradicional “Feirinha do Largo da Ordem”, aproveitar para se divertir e, ainda, ter noções de educação financeira básica, por meio de um espetáculo musical, em que o humor é o elemento de aproximação com o público? Essa é a proposta da peça Quem Prospera Sempre Alcança, que terá única apresentação gratuita aberta ao público em Curitiba, no próximo domingo (5), às 12h, no Teatro Londrina, localizado no hall principal do Memorial de Curitiba. A peça já passou por mais de 15 cidades e oito estados e conta com acessibilidade, incluindo interprete de Libras e programa em braille.


    Quem Prospera Sempre Alcança é um espetáculo para toda a família, cuja a dramaturgia concilia com as raízes do teatro popular, do circo-teatro e da comédia de costumes. O humor é a linguagem que aproxima o público do palco, por meio de um texto ágil, contemporâneo e de comunicação direta, características presentes nos trabalhos de Leonardo Cortez, autor e diretor da montagem, considerado um dos mais importantes profissionais da atual dramaturgia paulistana e aclamado por sua estrutura dialógica, bastante marcada em seus textos como “Amor à vista”, “Pousada Refúgio”, “Rua do Medo” e “Sala dos Professores”. Os atores André Santos e Djair Guilherme se revezam em onze interpretações, que iniciam com a entrada de dois técnicos de uma companhia de teatro, que são encarregados de montarem o palco para a apresentação que será feita no local. Alternando os diferentes personagens, eles envocam situações sobre empreendedorismo a partir de quatro histórias. A primeira delas é sobre a própria companhia teatral. Na segunda, duas divertidas fãs de uma dupla sertaneja, decidem juntas, no meio da fila da entrada do show dos artistas, como deverão gastar o dinheiro que juntaram com muito sacrifício. Já na terceira, dois animados desempregados decidem empreender como vendedores ambulantes em uma atrapalhada sociedade. E, pra finalizar, um dono de boteco falido recebe a visita de uma irreverente fada-madrinha.


    Segundo o diretor Leonardo Cortez, o espetáculo aborda de forma leve o conflito de muitos brasileiros em encontrar possíveis novas opções de trabalho por conta própria e, em tempos de pandemia, ganhou novas modulações. “O espetáculo é anterior à pandemia e, devido ao cenário econômico, já dialogava muito com o público. Agora, que a situação piorou, acredito que falar de empreendedorismo e educação financeira de forma descontraída pode ser um alerta para situações diárias que muitas pessoas estão passando”, explica o dramaturgo. De acordo com Cortez, a mostra não tem a pretensão de ser didádica, mas, apresenta com muito humor e descontração algumas situações e ciladas que qualquer pessoa pode se meter, por conta da inexperiência na vida pessoal e nos negócios. Essas questões ficam bastante nítidas a partir do cenário montado, que é revelado aos olhos da plateia, onde os personagens surgem por meio do uso de acessórios e figurinos pelos atores, em uma sucessão de cenas com características de esquetes, que permitem aos espectadores aproveitarem quatro histórias em uma única mostra. A música e da dança, que são elementos de linguagens artísticas presentes, que transmitem versatibilidade, energia e multiplicidade à peça, ajudam a surpreender, revigorar e empolgar o público conforme as tramas se desenrolam.


    “Quem Prospera Sempre Alcança” vai ao encontro da
    realidade de milhares de curitibanos


    Mesmo que o espetáculo não tenha a intenção de ser didático, a montagem acaba abordando de forma divertida a realidade de milhares de brasileiros e, também, de curitibanos, em meio às problemáticas contemporâneas que estão presentes no dia a dia, como se organizar, planejar, inventar e, realizar o trabalho, quando falta o emprego e a educação financeira. “Acabamos de passar por um complicado período causado pela pandemia da Covid-19, em que muitos brasileiros tiveram que reinventar seus métodos de trabalho, muitas vezes, passando a ser os seus próprios chefes”, comenta Sonia Kavantan, diretora de produção da Kavantan Projetos e Eventos Culturais, realizadora do espetáculo. Essa também é uma das preocupações da Visa do Brasil, patrocinadora de “Quem Prospera Sempre Alcança” , que acredita que levar informação de forma gratuita, artística e descontraída para possíveis empreendedores individuais, famílias, micros e pequenos empresários da sociedade, é um preceito importante, ainda mais no período econômico em que passamos. “As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia. Porém, apesar de importantes, elas normalmente não dispõem do treinamento, da tecnologia e das ferramentas financeiras que as ajudariam a crescer. Por isso, a Visa está globalmente comprometida a ajudar as empresas a crescerem por meio de acesso a capital, ativos, expertise e parcerias, assumindo o compromisso de levar informação relevante de maneira gratuita para os empreendedores do Brasil”, completa Sabrina Sciama, Diretora de Comunicação Corporativa da Visa do Brasil.


    Além da apresentação para o público no dia 5 de junho, a peça ainda terá três sessões direcionadas aos alunos da Universidade Federal do Paraná, assim como duas oficinas para escolas públicas. “Quem Prospera Sempre Alcança” em Curitiba é apresentado por Visa, com produção da Kavantan Projetos e Eventos Culturais e realização do Ministério do Turismo, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura. A classificação é livre, sendo um espetáculo para toda a família, com entrada por ordem de chegada. Acompanhe as novidades pelas redes sociais oficiais, pelo Facebook @quemprospera e pelo Instagram @quemprospera.

     

    Ficha Técnica
    Texto e Direção – Leonardo Cortez
    Elenco – André Santos e Djair Guilherme
    Assistência de Direção – Rogério Barsan
    Composição e Direção Musical – Jonatan Harold
    Cenário e Figurino – Márcio Araújo e equipe
    Iluminação – Ricardo Bueno
    Coreografia – Fabiana Santos
    Operação de Som – Rogério Barsan
    Fotografia – João Caldas Filho
    Identidade Visual – Fernando Moser
    Direção de Produção – Sonia Kavantan
    Produção – Tiago Barizon e Rogério Barsan
    Assistente Administrativo – Milka Master
    Patrocínio – Visa
    Realização – Kavantan Projetos e Eventos Culturais, Ministério do Turismo - Secretaria Especial de Cultura



    Serviço:

    “Quem Prospera Sempre Alcança”
    Espetáculo Gratuíto
    Entrada por ordem de chegada
    Data: 5 de junho
    Horário: 12h
    Local: Teatro Londrina (Memorial de Curitiba – Rua Dr. Claudino dos Santos, 79 – Largo da Ordem)
    Classificação: Livre
    Duração: 45’
    Patrocínio e apresentação:
    Visa
    Realização: Ministério do Turismo –  Lei Federal de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura – Governo Federal
    Produção: Kavantan Projetos e Eventos Culturais

    Redes Sociais oficiais:Instagram | Facebook

  • Folclore e incentivo à leitura: "O curioso causo do Boi Bolé" é livro gratuito

    Inspirado no folclore brasileiro do Bumba meu boi, o livro O curioso causo do Boi Bolé, do autor Nélio Spréa e ilustrado por Eduardo Santos, teve 588 exemplares distribuídos gratuitamente para as 196 bibliotecas da Rede Municipal de Bibliotecas Escolares de Curitiba (RMBE), nos meses de março e abril de 2022.

    Feita a partir de uma imersão lúdica, cultural e histórica, a obra tem como destaque as quadrinhas: criação poética composta por quatro estrofes, em que o segundo e o quarto versos rimam. “As quadrinhas são estruturas literárias muito potentes para trabalhar no ambiente pedagógico. São uma importante ferramenta para o letramento de crianças, incentivam a leitura e aguçam a criatividade. É gratificante saber que crianças terão acesso a essa forma poética, somada ao conhecimento do folclore do nosso país”, explica Nélio Spréa.

    A entrega dos livros foi feita para a gerência de Faróis e Bibliotecas da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, que encaminhou os exemplares para os Agentes de Leitura - professores que atuam com atividades, experiências e contações de história para incentivo à leitura nas bibliotecas, gibitecas e Faróis do Saber da capital paranaense.

    Spréa conta que ministrou para os Agentes de Leitura uma palestra especial sobre oralidade infantil, parlendas e quadrinhas, onde pode destacar detalhes importantes da criação do livro: “A ideia foi mostrar a esses profissionais que é possível abraçar o livro e mergulhar nas setenta quadras apresentadas, como uma oportunidade de aproximar as crianças da escrita formular e gerar encanto - além de explorar as ilustrações e motivar que os estudantes criem também seus próprios desenhos”.

    Sobre o livro

    Setenta quadrinhas, cada qual com suas 4 linhas, e cada linha com suas sete sílabas: essa é a forma literária do livro O curioso causo do Boi Bolé, idealizado para crianças de até 12 anos, estudantes do ensino fundamental (1° ao 5° ano).

    A história tem como inspiração o auto folclórico do Bumba meu boi, com quadras em sequência e uma série de ilustrações que criam cenários baseados na estética das danças dramáticas do Brasil. A obra aborda um tema de expressiva relevância, destacando o valor das festas populares e seu papel como ato de resistência cultural e continuidade da vida.

    Os textos de Nélio Spréa narram os apuros de Chico e Catirina diante do boi que está prestes a morrer, e as ilustrações de Eduardo Santos dão vida aos cenários repletos de emoções. “Trabalhei com uma técnica mista com uso de lápis de cor, aquarela e pastel seco sobre tinta látex, criando desenhos que retratam os acontecimentos descritos, mas que também encorajam a percepção de múltiplos significados”, detalha Santos.

    O projeto foi realizado pela Parabolé Educação e Cultura e contou com apoio da Lojacoor e foi realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

  • Espetáculo A Arca de Noé segue viagem para São Mateus do Sul

    Que tal se encantar com uma viagem pelo mundo das rimas e da imaginação? Assim será o espetáculo “A Arca de Noé”, que faz parte da rede de projetos culturais selecionados pelo Programa Petrobras Cultural.

    Inspirada em canções de Vinícius de Moraes e Toquinho, a peça, que estreou em Curitiba no início de maio, terá apresentações neste sábado, dia 28 de maio, em São Mateus do Sul, no CEPE - Centro Cultural do Clube dos Empregados da Petrobras, incluindo uma ação de democratização do acesso à cultura. Parte dos ingressos serão distribuídos gratuitamente para crianças de 0 a 6 anos, estudantes da rede pública de ensino, organizações não-governamentais e instituições comunitárias.

    A obra traz poemas escritos por Vinícius de Moraes para seus filhos e que, mais tarde, se transformaram em cantigas infantis pela parceria com Toquinho. São elas que dão o tom da apresentação e envolvem a plateia no universo de inocência das crianças. Entre as canções estão as famosas “O Pato”, “Corujinha”, “Pinguim” e “São Francisco”, conhecidas em todo o Brasil.

    Em um clima de encanto e envolvimento com a literatura e música popular brasileira, o elenco é composto por Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal e Joseane Berenda.

    O diretor do espetáculo, Edson Bueno, explica que “A Arca de Noé” é um patrimônio artístico brasileiro. “Essa peça é uma daquelas joias que, transformadas em teatro, adquirem um valor inigualável. Seus personagens, animais, cantores e crianças brincam e cantam a beleza da vida e deixam uma mensagem eterna, que seguirá para sempre até a fase adulta. Ela precisa ser encenada e cantada por gerações e gerações”, ressalta.

    Produtor artístico e diretor da MRG Produções, promovedora do espetáculo, Márcio Roberto ressalta a importância da captação de patrocínios importantes para viabilizar a turnê. “E lá vai a Arca, encantando plateias e divulgando a linda obra musical do Vinícius de Moraes e do Toquinho. Estamos felizes com os patrocínios da Petrobras e da Copel. Tenho certeza de que será uma turnê de amor, da promoção da boa arte e de muita celebração pela vida.”

    Depois de São Mateus do Sul, será a vez de Telêmaco Borba, Campina Grande do Sul, Campo Largo e Paranaguá receberem o espetáculo. A turnê se encerra na capital sulmatogrossense, Campo Grande, em data ainda a ser agendada.

    Os ingressos já estão à venda com preços populares, e crianças até 2 anos não pagam entrada.

    O Programa Petrobras Cultural apoia a cultura brasileira como força transformadora e impulsionadora deste desenvolvimento, nas áreas de artes cênicas, música, audiovisual e múltiplas expressões. Mais informações no site www.mrgcultural.com.br.


    SERVIÇO​

    SÃO MATEUS DO SUL – PR
    28 de maio (sábado) às 16h
    CEPE - Centro Cultural do Clube dos Empregados da Petrobras - R. Manoel Cunha Bitencourt - Vila Canoas
    Entrada: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

    CAMPINA GRANDE DO SUL – PR
    11 de junho (sábado) às 16h
    Teatro Municipal José Carlos Zanlorenzi – Av. Pres. Jucelino Kubitschek de Oliveira, 975 – Jardim Paulista

    PARANAGUÁ – PR
    18 de junho (sábado) às 16h
    Teatro Municipal Rachel Costa – Rua: Quinze de Novembro, 87 – Centro Histórico

    TELÊMACO BORBA – PR
    ​02 de julho (sábado) às 16h
    Centro Cultural Eloah Martins Quadrado - Av. Chanceler Horácio Laffer, 1160 - Centro

    CAMPO LARGO – PR
    09 de julho (sábado) às 16h
    Centro da Juventude Bom Jesus – Rua: Ademar de Barros, 120 – Bom Jesus

    CAMPO GRANDE – MS
    Local e data será divulgado em breve


    ​​​ELENCO:
    Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal, Joseane Berenda.


    FICHA TÉCNICA:
    Inspirado na obra de Vinícius de Moraes e Toquinho. Direção Artística: Edson Bueno. Direção de Produção: Márcio Roberto. Direção Musical e Sonoplastia: Marcela Zanette, Du Gomide. Cenografia e Adereços: Aorélio Domingues. Iluminação: Rodrigo Ziolkowski. Coreografia: Eliane Campelli. Figurino: Mariana Zanette. Maquiagem: Lilian Marchiori. Designer Gráfico: Kim Takeuchi. Fotografias: Chico Nogueira | Maringas Maciel. Comunicação Visual: Rafael Falvo. Assessoria de Imprensa: Smartcom Inteligência em Comunicação. Produção Executiva: Claudia Zanca. Assistência de Figurinos: Regina Celli e Thaisa Aielo. Operador de Luz: Luiz Henrique. Operador de Som: Marlon Marques. Maquinistas: Luiz Henrique e Marlon Marques.

    MRG PRODUÇÕES – A produtora cultural promove espetáculos teatrais por meio de clássicos da literatura, a fim de divulgá-las dentro de princípios éticos, buscando manter a sua sólida reputação baseada em sua responsabilidade social. Marcio Roberto Gonçalves é produtor, diretor de teatro e arte-educador há 30 anos. Fundador da MRG Produções Artísticas e do Centro Cultural Boqueirão, em Curitiba. Foi conselheiro Municipal de Cultura de Curitiba, sendo representante dos pontos de cultura do Paraná. Trabalha com a democratização e difusão da cultura, em parceira com Instituições públicas de ensino, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba, Teatro Guaíra, entre outros.

  • IR para o bem: é possível destinar parte do imposto para ajudar projetos sociais

    Ajudar projetos sociais é mais simples do que se imagina. De acordo com a legislação brasileira, qualquer pessoa contribuinte interessada pode utilizar parte do Imposto de Renda anual para incentivar o funcionamento de projetos que auxiliam a sociedade. A Lei Federal 8.069/1990 aprova a contribuição para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente, que financia programas, projetos e ações voltados para a promoção e a defesa dos direitos da criança e do adolescente e suas respectivas famílias. Já a Lei 12.213/2010 institui o Fundo Nacional do Idoso, destinado a financiar os programas e as ações relativas ao idoso com vistas em assegurar os seus direitos sociais e criar condições para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade.

    Pessoas físicas podem destinar até 3% do IR devido em doações para o FIA e para o Fundo do Idoso, ajudando instituições filantrópicas diretamente na declaração, sendo necessário apenas preencher um formulário à parte. Durante a realização da declaração do IR, basta selecionar o fundo para qual deseja destinar o percentual. A pessoa escolhe o modelo completo da declaração, checa o valor do imposto devido e confirma a opção “Doações Diretamente na Declaração”. Depois de escolhido o fundo, o sistema emite o Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF). O DARF deve ser pago até o último dia de entrega da declaração, junto com o Imposto de Renda. Também é possível apoiar projetos esportivos e culturais, com diferentes percentuais, mas daí a destinação geralmente acontece no final do ano-base.

    Responsabilidade social ao alcance de todos
    Existem empresas que atuam para tornar a destinação de impostos ainda mais fácil, auxiliando para que pessoas e empresas sejam parte do impacto benéfico à sociedade. A Sauí Responsabilidade Social é uma delas: A empresa foi criada para conectar projetos a objetivos nobres, atuando com gestão de investimentos sociais, captação de recursos, consultorias, treinamentos e ferramentas de gestão.

    Simone Nunes, Diretora Geral da Sauí, acredita que fazer essa contribuição com o IR traz muitos benefícios. “Contribuir com projetos sociais é uma forma de praticar a empatia e ter uma visão diferente do mundo, auxiliando pessoas e instituições que dedicam-se a ajudar o próximo. Destinar um percentual do IR é um ato simples, mas que tem um grande impacto.”

    A Sauí Responsabilidade Social atua com diversos projetos que colaboram com um ecossistema social colaborativo e próspero, e um deles é voltado a crianças e adolescentes. O Projeto Criança Semente, da Associação Solar Ita Wegman, prevê o atendimento diário para até 75 crianças entre 03 e 07 anos. A ação acontece no contraturno escolar, em escolas públicas de Campo Magro, cidade da Região Metropolitana de Curitiba.

    O Projeto Criança Semente utiliza a Antroposofia - filosofia voltada conhecimento da natureza do ser humano e do universo - com atendimentos pedagógicos, artísticos e terapêuticos, para promover chances para que os jovens superem limitações e traumas. O objetivo é proporcionar que as crianças e adolescentes restabeleçam a confiança no mundo, desenvolvendo autoestima, resiliência, autonomia e talentos.


    Serviços
    Para conhecer mais sobre a Sauí Responsabilidade Social e saber como ajudar esse e outros projetos, acesse https://saui.com.br/
    E acesse também o passo a passo de como contribuir:
    https://www.instagram.com/p/CdqZ4T8tj4w/

  • Corpos instáveis emite ecos de uma sororidade necessária

    (Foto: Gus Benke/Divulgação)

    Em pleno ano de 2022, do século XXI, ainda é importante evidenciar a causa das mulheres. E, de uma forma sensível e delicada, o teatro-ballet-espetáculo da peça Corpos Instáveis, de Ane Adade e Patrícia Machado, emite essa força, levando ao palco o cotidiano de seis mulheres que trabalham nos  bastidores do famoso Teatro Guaíra de Curitiba. Elas tecem, limpam, alinhavam, costuram, projetam, correm e se debatem para tornar o show inesquecível.

    Um dos destaques do espetáculo é o desempenho das seis bailarinas criativas -  Ane Adade, Deborah Grossmann, Gal Freire, Marcela Pinho, Nayara Santos e Patrícia Machado - que além de atuarem e algumas tomarem a frente da peça, pesquisaram a vida das personagens reais, em uma dramaturgia muito bem pensada e pesada por Nadja Naira. Elas realmente dão vida às trabalhadoras do teatro, com uma desenvoltura invejável ao encarnarem os corpos alheios em uma história que, embora tivesse tudo para ser dramática, ressalta as cores do entretenimento.

    Tem encenação? Tem. Tem drama? Também. E diversão com pegadas de comicidade? Em uma ótima medida! E é tudo isso que diferencia tanto a sororidade dos momentos retratados no palco. Elas cantam maravilhosamente lembrando musicais hollywoodianos, dançam magicamente e demonstram um domínio de cabeça, tronco e membros sobre o que está sendo mostrado como quem viu, conhece e representa com orgulho aquelas vidas até então invisibilizadas.

    Mas por que é necessário mostrar essas mulheres invisíveis?

    Simplesmente porque sem elas o espetáculo não acontece. Em um país como o Brasil, com desigualdades sociais e de gênero gritantes, ressaltar a presença dessas mulheres profissionais invisíveis joga luz sobre realidades tão fundamentais e esquecidas.

    Muitas, inclusive, sonharam antes em estar onde estão, demonstrando o significado que o palco tem para o imaginários de muitas pessoas expostas às mutações e realizações que a arte impulsiona.

    Em outras palavras: a apresentação transforma uma rede oculta do teatro em cena principal, em um jogo de pernas e movimentos fortes, belos e inesquecíveis. Vale a pena cada minuto com elas para conhecer suas histórias de mulheres do teatro!

     

    Não perca as próximas apresentações!

    Sexta 20h

    Sábado e Domingo 16h e 20h

    Até 29 de maio

    Gratuito

    Local: Teatro José Maria Santos - Curitiba

     

    *Josi Quevedo é jornalista, Mestre em Comunicação e Informação, Doutora em Políticas Públicas e assessora de imprensa na Smartcom Inteligência em Comunicação.

  • OSP leva “Clássicos Sertanejos” em versões orquestradas para cidades do Paraná

    (Foto: Maringas Maciel/Divulgação)

    Ao completar 37 anos, a Orquestra Sinfônica do Paraná revela toda sua capacidade de encantar plateias, do erudito ao popular, passando pela música antiga e contemporânea. Com o concerto “Clássicos Sertanejos”, o corpo musical do Centro Cultural Teatro Guaíra parte em viagem pelo Paraná para apresentar versões orquestradas de músicas populares que tocam o coração dos paranaenses, de 20 de maio a 5 de junho.

    Na programação estão desde “No Rancho Fundo”, de Chitãozinho e Xororó, passando por “Bicho do Paraná”, de João Lopes e “É o amor”, de Zezé Di Camargo, até “Luar do Sertão”, de Catulo da Paixão Cearense e “Amanheceu Peguei a Viola”, de Renato Teixeira, entre outras músicas que compõem os 50 minutos de encantamento.

    Para trazer ainda mais sintonia com o público, as apresentações são gratuitas e realizadas ao ar livre. A estreia será no dia 20 de maio, em Guarapuava, com um concerto na Praça da Fé às 20h. Na sequência, o grupo segue para Cascavel, com apresentação na Praça da Catedral dia 22, às 20h30. A cidade de Londrina recebe a programação em plena Concha Acústica no dia 27, 19h, e Maringá recebe a orquestra no parque Alfredo Werner Nyffeler (Buracão) no dia 29, às 18h. O fechamento ocorre em Curitiba, no Museu Oscar Niemeyer, dia 5 de junho, às 11h.

    Um segundo concerto especial será realizado em Londrina, dessa vez no Cine Teatro Ouro Verde, dia 28 de maio, às 20h30, em comemoração ao aniversário de 37 anos da OSP. No repertório, Beethoven (Abertura Coriolano e Sinfonia nº 5 completa) e Bach (Concerto para dois violinos).

     

    “Entendo uma orquestra como organismo vivo, pulsante e flexível. Por mais que tenha quase a totalidade de sua temporada dedicada aos clássicos, o conjunto pode - e deve - trocar musicalmente com a sociedade à sua volta”, avalia Carlos Prazeres, maestro convidado dessa empreitada e que rege a Orquestra Sinfônica da Bahia desde 2011. “Ao executar música sertaneja, esta troca está estabelecida. O público que ali está, passa a ter uma nova imagem da orquestra, se dispondo a conhecê-la em seu habitat natural, onde reinam de Bach a Villa-Lobos. Trocar, jamais tentar ‘civilizar’, este é o mote. E, como diria Milton Nascimento, temos que ir aonde o povo está.”

    No dia 19 de maio, às 9h, a Orquestra ainda realiza um ensaio aberto para cerca de 1 mil estudantes de escolas públicas da região de Curitiba, no Guairão. Será uma oportunidade para as crianças conhecerem tanto o Teatro quanto a OSP, e  ainda o maestrofará uma abertura interativa, apresentando a orquestra, os diferentes naipes, demonstrando o som de alguns instrumentos e mencionando questões sobre ritmo, melodia e harmonia, de forma muito educativa, conta o Diretor Artístico do Teatro Guaíra, Áldice Lopes.

     

    SERVIÇO

    Clássicos Sertanejos

    Guarapuava – Espaço Fiori Eventos (R. Sen. Nereu Ramos, 2.353) - 20 de maio, às 20h

    Cascavel – A confirmar – 22 de maio, às 20h30

    Londrina – Clássicos Sertanejos na Concha Acústica – 27 de maio, às 19h e Repertório erudito no Cine Teatro Ouro Verde - dia 28 de maio, às 20h30

    Maringá - Parque Alfredo Werner Nyffeler (Buracão) – 29 de maio, às 18h

    Curitiba - Museu Oscar Niemeyer - 5 de junho, às 11h

    Confira a programação completa em www.comunicacao.pr.gov.br

    Projeto realizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com apoio da SANEPAR, Prefeitura Municipal de Guarapuava, Prefeitura Municipal de Cascavel, Prefeitura Municipal de Londrina e Prefeitura Municipal de Maringá; com o patrocínio da COPEL; e com realização da Associação Brasileira de Apoiadores Beneméritos do Teatro Guaíra, Palco Paraná, Centro Cultural Teatro Guaíra, Superintendência-Geral da Cultura, Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, Governo do Estado do Paraná, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal - Pátria Amada, Brasil.


    Seguem fotos (créditos no nome dos arquivos:)

     

    https://www.dropbox.com/sh/x7cm9yrsfsk9707/AAApj_yAYRtUdgL_ag0WqYcoa?dl=0

     

    Vídeos de divulgação

     

    - Cascavel:

    https://www.dropbox.com/s/ul98tqjasg9w531/CASCAVEL_1080p.mp4?dl=0

     

    - Guarapuava:

    https://www.dropbox.com/s/bx5rriv1ow249c9/GUARAPUAVA_1080p.mp4?dl=0

     

    PROGRAMA

     

    BRAHMS, Johannes

    Dança Húngara nº 5

     

    Chitãozinho e Xororó

    No Rancho Fundo

     

    João Lopes

    Bicho do Paraná

     

    Zezé Di Camargo

    É o amor

     

    Catulo da Paixão Cearense

    Luar do Sertão

     

    Renato Teixeira

    Amanheceu Peguei a Viola

     

    Lourival dos Santos

    Rio de Piracicaba

     

    Renato Teixeira

    Romaria

     

    Marília Mendonça

    Infiel

     

    Di Paullo e Paulino

    Estrelinha

     

    José Augusto e Paulo Sérgio Valle

    Evidências

     

    Maiara, Frederico Nunes e Gabriel Agra

    Lágrimas

     

    Sobre a OSP - Desde 28 de maio de 1985, a Orquestra Sinfônica do Paraná escreve uma história admirável de talento e dedicação à música. Por sua trajetória, já passaram os maestros Alceo Bocchino, Osvaldo Colarusso, Roberto, Jamil Maluf, Alessandro Sangiorgi, Osvaldo Ferreira e Stefan Geiger, além de mais de 40 maestros convidados e cerca de 200 solistas, com um acervo de 900 obras catalogadas de mais de 250 compositores, destacando os autores brasileiros Villa-Lobos e Camargo Guarnieri, e os paranaenses Henrique Morozowicz e Augusto Stresser. No currículo da OSP já constam mais de 500 apresentações dentro e fora do Paraná, com montagens de importantes óperas, balés, primeiras audições mundiais, sul-americanas e brasileiras.

  • Seis mulheres que atuam nos bastidores inspiram espetáculo de dança contemporânea

    (Foto: Gus Benke/Divulgação)

    Carmen, quando ninguém está olhando, larga o esfregão em frente ao espelho da sala de ensaio e se imagina em cena. Rose, costureira, ia atrás das bailarinas na cantina conferir o que estavam comendo – se engordassem ou emagrecessem, era mais trabalho para ajustar o figurino. Rozana, camareira, diz que seu trabalho só aparece quando dá errado, mas do que sai certo ninguém se lembra.

    Essas são algumas das histórias, entre tantas, retratadas no espetáculo de dança contemporânea “Corpos Instáveis”, de Ane Adade e Patrícia Machado, que estreia dia 20 de maio no Teatro José Maria Santos, em Curitiba (PR) e fica em cartaz até 29 de maio. A dramaturgia é de Nadja Naira, e estão em cena, além das criadoras, Deborah Grossmann, Gal Freire, Marcela Pinho e Nayara Santos.

    O ponto de partida para o espetáculo é inusitado: relatos de vida de seis mulheres que trabalham ou trabalharam nos bastidores do Teatro Guaíra, coletados em pesquisa iniciada pelas bailarinas em 2017. Mesmo após deixarem a companhia, elas voltaram ao tema e, agora, estreiam com nova proposta.

    Foram entrevistadas para a produção a camareira Rozana Santos, a coordenadora administrativa da Orquestra Sinfônica do Paraná Shirley Conceição, a auxiliar de limpeza Carmen da Silva, a chefe da costura Rose Matias, a assessora do departamento técnico Anelize Oliveira e a ex-presidente do Teatro Guaíra, Monica Rischbieter. Além de estar na plateia, em algumas das apresentações elas estarão em cena também.

    “Trabalhamos muitos anos no Balé Guaíra e sempre foi nosso desejo revelar os bastidores, mostrar como as cenas ganham vida. O resultado que iremos apresentar borra as fronteiras entre as linguagens e mescla dança, performance, teatro e musical, meios que encontramos para dar voz a essas mulheres por vezes invisíveis ao grande público”, explica a bailarina Patrícia Machado.

    “Sem elas não tem espetáculo. São elas que fazem a magia acontecer. Enquanto estamos no palco, elas dançam nos bastidores uma outra coreografia: correm, costuram, fecham o zíper, enxugam o suor, passam um batonzinho, nos dão um abraço… Sempre me chamou a atenção o carinho que elas tinham conosco, com os detalhes”, conta Ane Adade. “Algumas sonharam quando criança em trabalhar nos bastidores e hoje estão ali: elas não separam o teatro da sua vida.”

    “Foi muito bom fazer parte desse projeto, estou me sentindo muito agradecida e acariciada, vendo nosso trabalho ser visto e reconhecido”, comemora Rozana de Fátima Cunha dos Santos, 61 anos, camareira do Teatro Guaíra e uma das fontes de inspiração.

    O projeto é realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. Realização: Bönisch Produções Culturais.

     

    Serviço:

    Corpos Instáveis

    Teatro José Maria Santos (Rua Treze de Maio, 655, Curitiba).

    Dias 20 a 29 de maio. 6ª às 20h, sáb.  dom. às 16h e 20h. Entrada franca.

    Fotos (crédito: Gus Benke/Divulgação)

     

    https://www.dropbox.com/sh/bdigeo2nlbaz6ys/AABUZXNPcaXyzXEXxCh1Fl-9a?dl=0

     

    Teaser em vídeo:

    https://www.dropbox.com/s/cx3ajft0mv3e9lw/teaser1_1080p.mp4?dl=0

     

    Ficha técnica:

    Concepção e Direção: Ane Adade e Patrícia Machado

    Dramaturgia: Nadja Naira

    Elenco: Ane Adade, Deborah Grossmann, Gal Freire, Marcela Pinho, Nayara Santos e Patrícia Machado

    Cenografia: Guenia Lemos

    Figurino: Dani Nogueira

    Luz: Semy Monastier

    Trilha e preparação vocal: Edith de Camargo

    Identidade visual: Letícia Lampert

    Fotografia e documentação audiovisual: Cayo Vieira e Lívea Castro

    Fotógrafo: Gus Benke

    Produção: Jorge Schneider

    Coordenação geral: Simone Bönisch

    Realização: Bönisch Produções Culturais

     

    BPC Produções - A Bönisch Produções Culturais foi criada em outubro de 2017 pela produtora cultural Simone Bönisch. A empresa atua na elaboração, execução, produção, gerenciamento e consultoria de projetos culturais e iniciativas artísticas socioeducacionais. Desde a sua fundação, vem atuando na coordenação e produção dos projetos: Brasil x Israel (intercâmbio cultural entre artistas da dança contemporânea brasileira e israelense), Vilosidade (trabalho solo em dança contemporânea da artista Lívea Castro aprovado no Edital da Área da Dança – Solar 2018), Vário (espetáculo de dança-música aprovado no Edital de Mecenato Subsidiado da Fundação Cultural de Curitiba), Autorretrato (projeto de Cayo Vieira que usa a fotografia em intervenções psicoterapêuticas no tratamento de adolescentes internos no Hospital San Julian), Do Avesso (iniciativa da Nó movimento em rede, contemplada pelo Prêmio Festival Funarte Acessibilidança Virtual 2020) e Batucando (proposto por Diandra Minatti e aprovado no PROFICE, para a formação de uma orquestra de percussão com crianças da cidade de Ipiranga).

     

  • Pífano? Conheça o grupo "Le Pifolé" e seu novo álbum

    A sonoridade do Le Pifolé é inspiração para muitos músicos e fãs da música brasileira. O grupo musical fará o lançamento de seu primeiro álbum, em uma Live, no dia 21 de maio, no Canal Parabolé, no YouTube. O álbum contém 12 peças instrumentais, escritas para pífano – instrumento tradicional que no Brasil adquiriu contornos de linguagem muito peculiares e que reúne em torno de si uma importante tradição musical. O projeto é realizado pela Parabolé Educação e Cultura por meio do mecenato municipal com o patrocínio da Lojacorr, Positivo e Intersept.

    As músicas são inspiradas em temas tradicionais executados por bandas de pífano em diferentes regiões do Brasil e composições contemporâneas para pífano. O grupo é motivado pelos regionalismos da música brasileira, e principalmente os de origem rural. Neste álbum, apresenta suas experiências com o repertório e a instrumentação das bandas de pífano, em arranjos feitos por Carlos Malta e Sérgio Albach. Integram o grupo os músicos Leandro Teixeira (pífano, voz e percussão), Leon Adam (pífano, voz e percussão), Ary Giordani (acordeom e coro), Iê dos Santos (percussão e coro), Zé Ronaldo Ribeiro (dança, percussão e coro).


    Conhecido como pífaro em Portugal e piffero na Itália, na tradição do nordeste brasileiro, o pífano, ou apenas pife, é um tipo de flauta popular feita com diversos materiais como taquara, bambu, metal e até mesmo em tubo PVC. “Ele é um instrumento muito primitivo, mas com muitas possibilidades a serem exploradas. A ideia é estimular as crianças e adultos para que conheçam o instrumento e também aprendam a fazê-lo com as próprias mãos. O lançamento do CD ajuda a difundir os gêneros musicais populares e variações de estilo da música brasileira que são pouco conhecidas nos grandes centros de consumo cultural. É uma forma de democratizar o acesso para estilos que não são muito divulgados e explorados”, conta o músico Leandro Teixeira que junto com o produtor Nélio Spréa fundou a banda. Com mais de 200 apresentações realizadas, o Le Pifolé tem dois prêmios conquistados – Prêmio Funarte da Música Brasileira 2012 e Prêmio Funarte de Concertos Didáticos 2011.


    A proposta do álbum é apresentar a versatilidade do instrumento pífano e isso se dará a partir do aproveitamento de temas melódicos que são executados por pifeiros tradicionais, como João do Pife, Zabé da Loca e Mestre Bia, além de releituras de composições de instrumentistas como Carlos Malta, Egildo Vieira e Edmílson do Pífano.

    Serviços
    Live: Lançamento do álbum musical Le Pifolé
    Dia: 21 de maio
    Horário: 11h
    Link: https://www.youtube.com/watch?v=pyaV_xziMBo

  • Espetáculo A Arca de Noé segue viagem para Araucária

    Que tal se encantar com uma viagem pelo mundo das rimas e da imaginação? Assim será o espetáculo A Arca de Noé, que faz parte da rede de projetos culturais selecionados pelo Programa Petrobras Cultural.

    Inspirada em canções de Vinícius de Moraes e Toquinho, a peça que estreiou em Curitiba no início de maio, se apresenta neste sábado, dia 14 de maio, em Araucária, Região Metropolitana. A apresentação contará com uma ação de promoção do acesso à cultura. Parte dos ingressos serão distribuídos gratuitamente para crianças de 0 a 6 anos estudantes da rede pública de ensino, para organizações não-governamentais e instituições comunitárias.

    Os poemas escritos por Vinícius de Moraes aos filhos que, mais tarde, se transformaram em cantigas infantis pela parceria com Toquinho, dão o tom da apresentação e envolvem a plateia com a inocência das crianças. Entre as canções estão as famosas “O Pato”, “Corujinha”, “Pinguim” e “São Francisco”, conhecidas em todo Brasil.

    Em um clima de encanto e envolvimento com a literatura e música popular brasileira, o elenco em cena é composto por Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal e Joseane Berenda.

    O diretor do espetáculo, Edson Bueno, acredita que A Arca de Noé é um patrimônio artístico brasileiro. “Essa peça é uma daquelas jóias que, transformadas em teatro, adquirem um valor inigualável. Seus personagens, animais, cantores e crianças brincam e cantam a beleza da vida e deixam uma mensagem eterna para as crianças, que seguirá para sempre até a fase adulta. Ela precisa ser encenada e cantada por gerações e gerações”, ressalta.

    O produtor artístico e diretor da MRG Produções, promovedora do espetáculo, ressalta a importância da captação de patrocínios importantes para viabilizar a turnê. “E lá vai a Arca, encantando plateias e divulgando a linda obra musical do Vinícius de Moraes e do Toquinho. Estamos felizes com os patrocínios da Petrobras e da Copel. Tenho certeza que será uma turnê de amor, da promoção da boa arte e de muita celebração pela vida.”

    Depois de Araucária, será a vez de Ponta Grossa, São Mateus do Sul, Telêmaco Borba, Campina Grande do Sul, Campo Largo e Paranaguá receber o espetáculo. A turnê se encerra na capital sulmatogrossense, Campo Grande, em data ainda a ser agendada.

    Os ingressos já estão à venda com tem preços populares e crianças até 02 anos não pagam entrada. Em Araucária serão disponibilizados recursos com acessibilidade, conforme prevê a lei de incentivo à cultura.

    O Programa Petrobras Cultural apoia a cultura brasileira como força transformadora e impulsionadora deste desenvolvimento, nas áreas de artes cênicas, música, audiovisual e múltiplas expressões. Mais informações estão no site www.mrgcultural.com.br.

    SERVIÇO             

    ARAUCÁRIA –PR

    14 de maio (sábado) às 16h

    Teatro da Praça - R. São Vicente de Paulo, 1091 - Centro

    Entrada: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

    PONTA GROSSA – PR

    21 e 22 de maio (sábado e domingo) às 16h e 19h

    Cine-Teatro Ópera - R. Quinze de Novembro, 468 - Centro

    SÃO MATEUS DO SUL – PR

    28 de maio (sábado) às 16h

    CEPE - Centro Cultural do Clube dos Empregados da Petrobras - R. Manoel Cunha Bitencourt - Vila Canoas

    CAMPINA GRANDE DO SUL – PR

    11 de junho (sábado) às 16h

    Teatro Municipal José Carlos Zanlorenzi – Av. Pres. Jucelino Kubitschek de Oliveira, 975 – Jardim Paulista

    PARANAGUÁ – PR

    18 de junho (sábado) às 16h

    Teatro Municipal Rachel Costa – Rua: Quinze de Novembro, 87 – Centro Histórico

    TELÊMACO BORBA – PR

    02 de julho (sábado) às 16h

    Centro Cultural Eloah Martins Quadrado - Av. Chanceler Horácio Laffer, 1160 - Centro

    CAMPO LARGO – PR

    09 de julho (sábado) às 16h

    Centro da Juventude Bom Jesus – Rua: Ademar de Barros, 120 – Bom Jesus

    CAMPO GRANDE – MS

    Local e data será divulgado em breve

     

    ELENCO:

    Edgard Assumpção, Jeff Bastos, Marwem HD, Ingrid Bozza, Ronald Lima, Amanda Leal, Joseane Berenda.

     

     FICHA TÉCNICA: 

    Inspirado na obra de Vinícius de Moraes e Toquinho. Direção Artística: Edson Bueno. Direção de Produção: Márcio Roberto. Direção Musical e Sonoplastia: Marcela Zanette, Du Gomide. Cenografia e Adereços: Aorélio Domingues. Iluminação: Rodrigo Ziolkowski. Coreografia: Eliane Campelli. Figurino: Mariana Zanette. Maquiagem: Lilian Marchiori. Designer Gráfico: Kim Takeuchi. Fotografias: Chico Nogueira | Maringas Maciel. Comunicação Visual: Rafael Falvo. Assessoria de Imprensa: Smartcom Inteligência em Comunicação. Produção Executiva: Claudia Zanca. Assistência de Figurinos: Regina Celli e Thaisa Aielo. Operador de Luz: Luiz Henrique. Operador de Som: Marlon Marques. Maquinistas: Luiz Henrique e Marlon Marques.

    MRG PRODUÇÕES – A produtora cultural promove espetáculos teatrais por meio de clássicos da literatura, a fim de divulgá-las dentro de princípios éticos, buscando manter a sua sólida reputação baseada em sua responsabilidade social. Marcio Roberto Gonçalves é produtor, diretor de teatro e arte-educador há 30 anos. Fundador da MRG Produções Artísticas e do Centro Cultural Boqueirão, em Curitiba. Foi conselheiro Municipal de Cultura de Curitiba, sendo representante dos pontos de cultura do Paraná. Trabalha com a democratização e difusão da cultura, em parceira com Instituições públicas de ensino, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba, Teatro Guaíra, entre outros._

  • Posse da nova diretoria do Sindimetal - Paraná

    No próximo dia 12 de maio o SINDIMETAL/PR – Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná - realizará a cerimônia de posse da nova diretoria da entidade para o quadriênio 2022/2026. Eleito no dia 12 de abril último, o industrial Júlio Cesar Maciel será o novo presidente da entidade. O mandato da nova gestão inicia com a posse protocolar, a ser realizada durante a solenidade.

    O industrial Júlio Cesar Maciel é diretor-presidente da CNC Seals Ltda., empresa especializada em usinagem de alta precisão, localizada na cidade de Colombo, região metropolitana de Curitiba e, desde abril de 1998, participa do quadro associativo do SINDIMETAL/PR. Maciel substituirá o atual presidente da entidade, o empresário Alcino de Andrade Tigrinho, que esteve à frente do SINDIMETAL/PR nas últimas três gestões.

    Além de presidir o SINDIMETAL/PR pelos próximos quatro anos, Maciel também ocupará uma cadeira como delegado representante da entidade junto à Federação das Indústrias do Paraná (FIEP).

    A diretoria eleita é composta pelos seguintes industriais do setor:

                   

    Presidente:

    Julio César Maciel

     

    Vices-Presidentes:

    Nelson Roberto Hubner

    José Luiz Rauch

    Lauro Pastre Junior

    Edsel Rolf Schwarz

    Bernardo Luiz Coelho

    Luiz Jair Minatti

     

    Membros do Conselho Fiscal

    Tomas Christian Hogan

    Cleuber Lodovico

    Carlos Benecke

    Marcelo Szczepanik

    Aldedanio Vieira

    Edward Borgo

     

    Delegados representantes junto à FIEP:

    Julio César Maciel 

    Nelson Roberto Hubner

    José Luiz Rauch

    Edsel Rolf Schwarz

     

    O SINDIMETAL/PR

    O SINDIMETAL/PR - Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná é uma das mais expressivas entidades patronais do Estado e representa as empresas dos diversos segmentos industriais do setor metalmecânico em mais de 80 municípios. 

     

    Fundado em 30 de novembro de 1959, com o propósito de fortalecer e melhorar o relacionamento entre as empresas da categoria no Estado, hoje o SINDIMETAL/PR tem como objetivo primordial fornecer apoio, representação e defesa dos interesses das indústrias do setor, missão essa reconhecida por todas as empresas associadas e filiadas ao sindicato. 

     

    A Cerimônia de Posse da Nova diretoria do SINDIMETAL/PR ocorrerá no dia 12 de maio, a partir das 19 horas, na sede da entidade, no bairro Atuba, em Curitiba - PR.

  • Projeto Brasil Musical desperta o interesse pela música popular brasileira

    (Foto: Divulgação)

    O projeto Brasil Musical é um conjunto de dez videoaulas voltadas para crianças, adolescentes e educadores, que desperta o interesse pelas variações da música popular brasileira. O projeto é uma realização da Parabolé e do Grupo Isto é Bom, através do Mecenato Municipal com o patrocínio do Positivo e Celepar. O grupo é formado pelos músicos e educadores Cássio Menin, Alysson Reinert, Rodrigo Mendes e Lucas Baumer.

    Os vídeos apresentam um panorama da música brasileira e enfatizam a pluralidade cultural desse povo, passando por diversos gêneros musicais. Em meio a demonstrações dos instrumentos, os músicos trazem referências históricas e executam pequenos números musicais que demonstram a conexão entre gêneros musicais antigos e atuais.
    O material foi disponibilizado para a equipe pedagógica do Departamento de Artes da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, que está utilizando o conteúdo junto aos estudantes do ensino fundamental. Como as videoaulas também foram disponibilizadas no Canal Parabolé, no YouTube, a alcance do projeto se tornou ainda maior. Em poucos dias, um dos vídeos já sinalizava mais de 40 mil visualizações.

    O quarteto que integra este projeto realiza concertos didáticos desde 2009, tendo já circulado em escolas privadas e públicas de diversas cidades paranaenses. Para esta gravação, o grupo contou com apresentação da cantora Janine Mathias, direção de Levi Brandão, produção audiovisual de Lucas Rachinski, gravação e mixagem de áudio Ale Age e revisão histórica de Otavio Bob Zucon.

    Segundo um dos realizadores do projeto, Nélio Spréa, o Brasil Musical encanta crianças e adolescentes por revelar a diversidade, a mistura, e trazer conhecimento histórico. “Os quatro músicos integrantes possuem experiência em pesquisa e docência. Durante a apresentação, eles se revezam nos instrumentos de origem indígena, africana e europeia. Dentre os instrumentos utilizados, estão o violão, cavaco, viola caipira, vozes, pandeiros, flautas, caixas de folia, caxixis, agogôs, congas e tamborim. Em meio aos sons dos instrumentos, surgem histórias inusitadas sobre a MPB”, explica.

    Para Lucas Balmer, músico do Brasil Musical, fazer parte do programa é uma experiência única. “Através do contato com a obra de grandes compositores, podemos delimitar e compreender alguns gêneros e formas musicais que influenciaram nossa cultura. É importante que pessoas mais jovens tenham acesso a estes saberes e entrem em contato com a grande diversidade musical que possuímos”, relata.

    O projeto contribui para a formação de plateia e proporciona o contato dos estudantes com estas variações de linguagem da música popular. A falta de conhecimento sobre a formação da música popular, por parte da população em geral, é um fator que justifica e dá legitimidade a ações de cunho formativo no campo da música.

  • Viagem fantástica com os Brichos em cartaz no Novo Batel

    A peça “A viagem fantástica dos Brichos”, baseada na animação “Brichos”, com texto e direção de Paulo Munhoz e produção do estúdio Tecnokena, tem estreia marcada para este sábado, 30 de abril, no cineteatro do Shopping Novo Batel, em Curitiba. E fica em cartaz até 29 de maio.   

    Os personagens da peça, além de proporcionar diversão ao espectador, resgatam valores como amor à natureza, amizade verdadeira, importância da ciência, do trabalho, da coragem e do fiel e respeito às diferenças. A imaginação ultrapassa os limites do lúdico e se transforma em ferramenta de aprendizado e conhecimento. 

    A peça é interativa e dinâmica, integra várias linguagens e é rica em sensações e será apresentada em um balão inflável que ocupa cerca de 60 metros quadrados (10,3m x 6,4m) e com capacidade para 50 pessoas. 

    Trata-se de uma peça de teatro de bonecos misturada com desenho animado. Os bonecos foram criados pelo renomado bonequeiro Alfredo Gomes, num conceito em que os atores-manipuladores não apenas animam os bonecos, mas participam dos seus corpos integralmente. 

    O  voo de balão será comandado por Tales, filhote de jaguar. Corajoso e inteligente como piloto, ele buscará levar a tripulação e passageiros numa viagem tranquila. O adolescente e nerd Bandeira, filhote de tamanduá, será o co-piloto. E Jaca, a controladora do voo e “aerojacaroa”, orientará a tripulação sobre as normas de segurança. 

    Para preservar a segurança e a saúde do público, todos os protocolos de higienização são realizados como, por exemplo, afastamento dos atores das crianças, troca total do ar a cada sessão e limpeza dos assentos. Os materiais usados durante a apresentação da peça são lisos para a não fixação de vírus, bactérias e fungos que podem provocar doenças.

    Ficha Técnica

    A viagem fantástica dos Brichos

    Texto e direção: Paulo Munhoz

    Co-direção: Patrícia Maria

    Elenco: Patricia Maria e Jean Fox

    Cenografia e bonecos: Alfredo Gomes

    Direção de produção: Galvani Junior

    Luz e sonoplastia: Junel Prunes

    Desenho animado: Tecnokena & Dogzilla

    Músicas: Vadeco e Paulo Munhoz

    Realização: Tecnokena

    Projeto realizado com recursos do Programa de  Apoio e Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba. Incentivador: Colégio Positivo

    Serviço

    A viagem fantástica dos Brichos

    Período: 30 de abril a 29 de maio

    Horários: sábados: 14h, 16h e 18h; domingos: 15h, 17h e sessões extras

    Durante a semana: agendado

    Local: Rua Coronel Dulcídio, 571 – Batel – Curitiba – PR

    Mais informações: (41) 9 8414-9594