Helena Carnieri

  • Cursos gratuitos aprimoram mulheres técnicas

    A iluminadora e técnica Fábia Regina.
    A iluminadora e técnica Fábia Regina. (Foto: Carol Winter/Divulgação)

    Pensando nas condições de trabalho das mulheres técnicas e os entraves na conquista de capacitação das mesmas, Fábia Regina e Lucri Reggiani, iluminadoras e técnicas curitibanas, instigadas pela Iluminadora Nadja Naira, desenvolveram o projeto "MULHERES NA TÉCNICA", que consiste em selecionar 10 técnicas da cidade de Curitiba e garantir seu aprimoramento no conhecimento técnico em Eletricidade e Trabalho em Altura, por meio da disponibilização dos cursos de NR10 e NR35. 

    Os cursos serão ofertados GRATUITAMENTE graças ao Edital 016/2021 Ações Culturais Afirmativas, projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural De Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba.

    Esse tipo de curso costuma ser abrangente e trata dos temas em vários campos de trabalho. Pensando em trazer esses conhecimentos para prática na área teatral, criamos o Laboratório Experimental, um grupo de estudos com 04 encontros via zoom, onde as participantes poderão trocar experiências, tirar dúvidas e construir um espaço de discussão e estudo sobre a normatização e formalização do nosso trabalho. Esses encontros serão formados apenas por mulheres, com o objetivo de garantir um espaço tranquilo e seguro para as mesmas, sabendo que muitas vezes a presença masculina inibe o poder de fala de muitas. Os Laboratórios serão conduzidos por Lucri e Fábia, onde o objetivo será aplicar o conhecimento adquirido nos cursos NR 10 e NR 35 na nossa área profissional.

    Para finalizar teremos um Encontro Aberto a toda comunidade onde vamos expor quais foram os principais pontos levantados durante os encontros formativos e quais são os principais desafios e possíveis caminhos para melhorar nossas relações e condições de trabalho.

    Ao garantir o acesso à capacitação profissional a mulheres na área técnica, buscamos contribuir com a inserção de mulheres no mercado de trabalho, garantir o aprimoramento técnico dessas profissionais, melhorar sua remuneração e ainda estimular a formação de novas profissionais técnicas. Buscamos gerar renda para as mulheres trabalhadoras da cultura que construíram a iniciativa, além de oferecer formação e aprimoramento técnico de forma gratuita para 10 profissionais em iluminação cênica da cidade de Curitiba.


    Sobre as proponentes

    Fábia Regina e Lucri Reggiani, ambas profissionais com mais de 10 anos de prática diária e com um vasto repertório de experiência, sabem os percalços das mulheres no caminho para a profissionalização. O projeto "Mulheres na Técnica" tem o objetivo de mitigar essa carência formativa e de uma legislação mais específica sobre a profissão de técnica de iluminação e tenta apontar caminhos possíveis para valorizar a profissão e torná-la mais segura.

    Luccri Reggiani (@lucrireggiani) estuda e pratica a palhaçaria e a improvisação desde 2007, com trabalhos independentes em ruas, teatros, instituições e quintais. Tendo iniciado trabalhos específicos de palhaçaria hospitalar pela Trupe da Saúde em 2012, trabalho que realiza até hoje mediante a adaptação devido a pandemia, substituindo as visitas presenciais por chamadas de vídeo, lives e podcasts.

    Já os trabalhos com iluminação começaram em 2011, desde então atua como técnica, operadora, criadora e adaptadora de iluminação cênica. Nesse período trabalhou com algumas cias e grupos de teatro de curitiba, como Súbita Cia de Teatro e Grupo Antropofocus.

    Fábia Regina (@fabia_rguimaraes) tem como foco de atuação profissional a Iluminação cênica, além de atuar como Diretora teatral, Performer e pesquisadora. Como artista, Fábia já desenvolveu criações como as mais diversas funções criativas, diretora, atriz, performer, dançarina, autora. Como iluminadora também explorou a mesma gama de diversidade, tendo feito luz para as mais diversas linguagens, como teatro, dança, circo, shows, vídeos, exposições, ambientação e decoração. Como iluminadora e técnica responsável pela montagem e operação de luz, já apresentou-se em 26 Estados do Brasil e 13 países. Já foi curadora e jurada de festivais de teatro, ministrou workshops de iluminação no Brasil e em Portugal. 

    Sobre outros projetos associados

    AUTOBIOGRAFIA DE TODAS NÓS (iniciado em 2020)

    Uma plataforma digital de mapeamento das profissionais de iluminação cênica em Curitiba. 

    “Nós, um grupo de mulheres artistas que começamos a nos perguntar “quem escreveu as nossas histórias? Onde está escrita a estória das mulheres artistas, a historia das mulheres comuns?” Para tentar responder nós mesmas as nossas próprias perguntas, estamos ouvindo e registrando as histórias das iluminadoras e técnicas de luz da cidade de Curitiba. Temos descoberto que existem uma série de experiências que são comuns a muitas de nós. Percebemos também que somos muito diferentes e que a experiência de ser uma mulher é bastante complexa, mas a gente tem acreditado que essas diferenças não nos separam, mas conectam. Um projeto feito por mulheres para todas, todes e todos.”

    Acesse o site todasnos.art.br


    Serviço 

    Mulheres na técnica

    LINK Inscrições

    https://forms.gle/oQYpGrkYAK7a5Xv47

  • Obra apresenta os conceitos e fundamentos da direção teatral

    O livro Introdução à direção teatral apresenta conceitos e fundamentos da direção teatral como é vista hoje. Seu ponto central é a concepção de que a direção teatral deve englobar aspectos que advêm do coletivo e coadunam processos criativos distintos. O autor, Walter Lima Torres Neto, é doutor em Théâtre Arts du Spectacle pela Université de la Sorbonne Nouvelle – Paris III e foi professor no curso de direção teatral da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Com essa obra, ele aproveita sua experiência não apenas como estudioso do teatro, mas também como espectador, para transmitir os fundamentos da arte da direção teatral como disciplina.

    Lançando mão de aspectos da história do teatro e da crítica, mas situando-se no campo didático, o livro é um manual que introduz o leitor aos conceitos e técnicas fundamentais para a prática do ofício de direção cênica. O autor propõe uma reflexão sobre a atividade no Brasil, que, por seus inúmeros problemas de cunho social e econômico, pode oferecer desafios para os interessados nessa função.

    A obra dedica-se a fazer um panorama dos requisitos da arte da direção teatral ocidental, unindo aspectos históricos e estéticos, e, inicialmente, refletindo sobre os modelos ideais de coordenadores presentes na cena teatral brasileira. O autor aborda alguns criadores da cena teatral ocidental que se destacaram dentro da história do espetáculo, como Niemiróvitch‑Dântchenko, José Celso Martinez Corrêa e Antunes Filho, e foca nos elementos que constituem a encenação – texto, atuação, figurino, iluminação, dentre outros –, mostrando como é essencial que o diretor de teatro conheça os pormenores técnicos do processo em que está inserido. Ele ainda introduz a ideia de “projeto de encenação” e um roteiro que ajuda o aspirante a diretor a entender as etapas do trabalho de criação e produção da montagem.

    O livro traz um “Caderno de imagens”, no qual estão inseridos esquemas e plantas baixas desenhadas por Doris Rollemberg, arquiteta, cenógrafa e professora de cenografia na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Uni-Rio). Esse material serve de subsídio visual para o conteúdo do livro e enriquece a aprendizagem com a possibilidade de o leitor analisar diversos arranjos cênicos e a maneira como eles capturam ou direcionam o olhar do espectador ou o esforço criativo do ator.

    Introdução à direção teatral foi escrito em linguagem acessível, e é ideal não só àqueles que desejam aprender esse ofício, mas também a estudantes e críticos que buscam entender aspectos básicos da concepção e prática de uma exibição cênica.

    Introdução à direção teatral

    Autor: Walter Lima Torres Neto

    ISBN: 9786586253658

    Edição: 1

    Ano: 2021

    Páginas: 240 p.

    Dimensões: 23,00 x 16,00 x 1,50 cm.

     

  • Clima natalino toma conta do Guairão em grande estilo

    A magia do Natal tem tomado conta da cidade sorriso com o retorno gradativo das programações culturais pós pandemia e, claro, não poderia ficar de fora desse clima o teatro mais emblemático do Paraná. O maior auditório do Teatro Guaíra, o famoso Guairão, abrirá suas portas em grande estilo às 18h30 do dia 19 de dezembro para matar as saudades do público curitibano e aquecer os corações em uma noite repleta de esperança. Trata-se do Grande Concerto de Natal de Curitiba, que estima alcançar um público de mais de 2,5 mil pessoas e transbordar música aos parques da cidade por meio de telões com transmissão ao vivo.

    Do barroco aos clássicos natalinos, passando pelos sucessos da Broadway, o Grande Concerto de Natal de Curitiba vai reunir mais de 100 músicos sob a direção de Norton Morozowicz, maestro curitibano de carreira internacional responsável pela Orquestra Sinfonia Brasil e idealizador deste projeto. Orquestra, Coro Lírico e Coral Curumim juntos, vão transmitir a mensagem natalina enfatizando o tema escolhido para nortear o repertório: Abraçando a Vida. O público pode esperar fortes emoções com canções tradicionais – como Christmas Festival, White Christmas, Winter Wonderland e Hallelujah, temas de musicais famosos – como West Side Story Suite e I have dreamed, e uma pitada de música brasileira com Ave Maria no Morro.

    Mais de 2 mil pessoas terão o privilégio de assistir ao Grande Concerto de Natal de Curitiba no auditório do Guairão com ingressos solidários - preço simbólico R$ 5,00 com a bilheteria revertida ao Hospital Pequeno Príncipe.
    Para além da plateia do teatro, entretanto, o projeto objetiva emocionar os visitantes de parques da cidade que, enquanto usufruem da beleza desses pontos turísticos, poderão acompanhar a transmissão ao vivo do evento em grandes telões. A contrapartida da ação ainda distribuirá convites a escolas públicas da comunidade.

    Participações musicais
    Participa deste projeto como preparador do Coral Lírico o tenor e regente do coro masculino Ottava Bassa, Alexandre Mousquer, músico que já apresentou-se sob a regência de renomados maestros no Brasil e no Exterior, sendo vencedor e finalista de concursos internacionais. À frente do Coral Infantil está Joyce Todeschini, preparadora vocal e regente do Coral Curumim de Curitiba, entre outros importantes grupos musicais infantis. Também é criadora de roteiros e produziu e assinou a direção artística de diversos Cds e musicais para coro infantil.

    Para abrilhantar ainda mais a ocasião, um convidado especial participará da festa, o solista Paulo Szot, o primeiro artista brasileiro a ganhar o maior prêmio do teatro dos Estados Unidos, o Tony Award. O cantor já se apresentou com a Metropolitan Opera, com a Canadian Opera Company, Grande Teatro do Liceu de Barcelona, entre outras. Em 2008, ganhou todos os prêmios de teatro da Broadway como melhor ator em musical por sua atuação em South Pacific. Ele é um dos barítonos mais aclamados e versáteis do mundo, sendo reconhecido internacionalmente como cantor de ópera, premiado astro do teatro musical, consumado concertista e ator.


    Realização
    O Grande Concerto de Natal de Curitiba é um projeto do maestro Norton Morozowicz, aprovado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo e tem a Direção Geral de Glacy Antunes de Oliveira. A ação ainda conta com apoios da Superintendência da Cultura da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura do Paraná, do Teatro Guaíra e da Fundação Cultural de Curitiba.
    Serviço
    GRANDE CONCERTO DE NATAL DE CURITIBA
    Com Coro & Orquestra Sinfonia Brasil
    Data: 19 de dezembro Hora: 18hs30
    Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão
    Endereço: Rua XV de Novembro, 971 - Centro
    Ingressos: R$ 5 reais (inteira) e R$ 2,50 (meia)
    Retirada dos ingressos:
    https://www.ticketfacil.com.br/eventos/cctg-grande-concerto-de-natal-de-curitiba.aspx

    Programa
    ANDERSON, Leroy – 1908-1975
    Christmas Festival

    BACH, J.S. – 1685-1750
    In Dulci Jubilo -Chorale BWV 368
    Coral Curumim

    BERNSTEIN, Leonard – 1918-1990
    Simple Song
    Solista Paulo Szot

    BERLIOZ, L.H. – 1803-1869
    O Adeus dos Pastores à Santa Família
    L`enfance du Christ – Op25

    MENDELSSOHN, F. – 1809-1847
    Hark! The Herald Angels Sing

    HÄNDEL, Georg F. – 1685-1759
    The trumpet shall sound – do Oratorio Messias
    Solistas Paulo Szot e Fernando Dissenha

    Hallelujah – Chorus do Oratório Messias

    REDNER, L. – 1831-1908
    O Little Town of Bethlehem

    MARTINS, Herivelto – 1912-1992
    Ave Maria no Morro
    Solista Paulo Szot

    BERNSTEIN, Leonard – 1918-1990
    West Side Story Suite

    ROGERS, Richard – 1902-1979
    Some enchanted evening
    I have dreamed
    Solista Paulo Szot

    BERNARD, F. – 1897-1944
    Winter Wonderland – Solista Paulo Szot

    WADE, J.F. – 1711-1786
    Adeste Fideles – Solista Paulo Szot

  • Livro de partituras para coro infantojuvenil é novo projeto de Rosy Greca

    (Foto: Aleksander Schoeffel/Divulgação)

    Rosy Greca possui centenas de canções destinadas ao público infantil e, atualmente, é considerada uma referência nacional deste gênero de canção. O seu currículo conta com inúmeras trilhas sonoras compostas para o teatro, oito indicações e oito prêmios Gralha Azul na categoria “Melhor Trilha Sonora”, além de outros conquistados em Festivais de Teatro em todo o Brasil. Parte do seu reconhecido trabalho musical está registrado no livro de partituras “Vem voar - canções de Rosy Greca para coro infantojuvenil”, que será lançado no dia 27 de novembro, às 11 horas, no canal do Youtube da artista.

    O material contém trinta arranjos vocais para duas e três vozes de canções infantis da compositora, sendo seis delas em parceria com o dramaturgo, escritor e ator Enéas Lour. Além dos arranjos, encontram-se disponíveis ao leitor as letras das canções e as partituras das linhas melódicas com seus respectivos textos e cifras e, ainda, dois CDs com o registro dos arranjos vocais interpretados por crianças e jovens integrantes do tradicional Coral Curumim, fundado em 1988 por Joyce Todeschini e Carlos Todeschini.

    O “Vem voar” foi um projeto feito a muitas mãos, com a participação de oito arranjadores considerados grandes nomes na produção musical infantil. São eles: Mara Fontoura, Vicente Ribeiro, Sérgio Justen, Helena Bel, Ervin Fast, Plínio Oliveira, Herculano Araújo e Carlos Todeschini. Mara se sente privilegiada de ter participado do projeto como arranjadora e na formatação final das partituras. “Gosto muito de fazer arranjos, e, quando a gente tem canções de qualidade como são as composições da Rosy Greca, torna-se ainda mais prazeroso”, afirma.

    Rosy Greca se sente grata e feliz por ter parte de sua obra registrada nesse livro de partituras. Para ela, a alegria é ainda maior ao saber que o material possibilitará a interpretação de suas canções por milhares de crianças e jovens. Rosy afirma que é uma sensação gratificante trocar de lugar com o público. “Agora, eu, da plateia, assisto às crianças - para quem cantei a vida inteira - cantando para mim e para o mundo, minhas canções”, diz.

    Esse projeto, realizado pela Cântaro Arte-Educação & Cultura e produzido com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, pretende oferecer a regentes de coral, músicos, compositores, professores de música e demais interessados uma rica experiência estética, musical e afetiva, bem como um estímulo à formação de novos corais e a valorização do canto coral infantojuvenil brasileiro.

     

    Serviço

    Lançamento do livro “Vem voar - canções de Rosy Greca para coro infantojuvenil”

    Data: 27/11

    Horário: 11h

    Local: Youtube Rosy Greca

    https://www.youtube.com/channel/UC8mMHhf-Iwg_DWFOCrZZY5w

     

    Sobre a artista

    Rosy Greca é compositora, artista, arte-educadora e produtora cultural. Integrante do Movimento Latinoamericano e Caribenho da Canção Infantil, Rosy é autora do livro “A canção para crianças - uma contribuição ao reencantamento da infância”, importante referência bibliográfica no contexto da música infantil brasileira. Tendo a música como eixo principal de sua carreira artística, atua também nas áreas do teatro, da contação de histórias e da literatura infantil, como artista, escritora, professora e produtora cultural. Autora, diretora musical e preparadora vocal, foi inúmeras vezes premiada com o Troféu Gralha Azul, Troféu Poty Lazzarotto, entre outras premiações do teatro paranaense, na categoria de Melhor Trilha Sonora. Atualmente, é uma das coordenadoras da Cântaro - Arte-Educação & Cultura.

     

    Site: www.rosygreca.com

    Facebook: RosyGrecaCarneiro

    Instagram: @rosy_greca

    Canal Youtube: Rosy Greca

    LinkedIn: Rosy Greca de Oliveira Carneiro

    Spotify: Rosy Greca

  • Novo projeto de Ligia Ferreira e Flávio Araújo promove apresentações e oficinas gratuitas

    O projeto “Brincar, Brincar, Brincar no CCCIC” chega à Regional da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) através de cinco transmissões on-line. Será realizada 1 sessão aberta ao público em geral, além de 4 sessões para escolas municipais e oficinas gratuitas (veja no serviço abaixo).

    Após passar por 36 municípios de 4 estados e ser visto por cerca de 20 mil pessoas desde 2016, o espetáculo de teatro infantil Brincar, Brincar, Brincar chega às alunas e alunos das escolas Albert Schweitzer, Joaquim Távora e Maria do Carmo Martins, situadas na Regional CIC.

    Com relevante trajetória, “Brincar Brincar Brincar” já integrou a programação de festivais, mostras e foi contemplado em diversos editais, tendo sido apresentado mais de 70 vezes.

    Um grande diferencial do trabalho é trazer texto e canções autorais – algo nem sempre encontrado em produções culturais destinadas à infância. O texto, de autoria de Ligia, se passa numa vizinhança muito tranquila, baseada em sua rua de infância, com personagens inspirados na vida dos dois artistas. Ao longo da peça, a dupla ainda executa músicas compostas por Flávio, que enriquecem a narrativa.

     “O espetáculo traz para a cena um tema extremamente atual e próximo à realidade das crianças e das famílias. No enredo da peça, a brincadeira passa a ser substituída na vida dos personagens Guiga, Luna e Nano pelos elementos t-ble-ta, g-ppin-sho e são-vi-le-te, que representam alguns aspectos do mundo contemporâneo, como o uso excessivo das tecnologias, o consumismo desenfreado e a influência da mídia e da publicidade na vida das pessoas. “O trabalho propõe a reflexão sobre esses temas, cada vez mais urgentes em nossa sociedade”, explica a atriz Ligia Ferreira.

    Como criar e musicar um texto?

    Além de poder assistir gratuitamente ao espetáculo, o público é convidado a participar de oficinas online de criação baseadas na experiência do projeto Brincar. Destinadas a maiores de 18 anos, educadores e moradores da CIC, as oficinas “Qual o som da história?” e “Criação e Narração de Histórias” ocorrem nos dias 19 e 24 de novembro.

    Em “Qual o som da história?”, Flávio Araújo propõe a utilização de sons para textos de Ligia Ferreira. “O ponto de partida é a reflexão sobre o som e sua contribuição para a narração de histórias. Os participantes serão apresentados aos textos e estimulados a criar intervenções sonoras”, explica o músico.

    Já em “Criação e Narração de Histórias", Ligia Ferreira propõe um processo criativo autoral para os participantes, por meio da escrita e da narração de histórias. “Eu convido cada integrante a desenvolver sua oralidade, a expressão corporal, iniciativa, criatividade, imaginação e o espírito lúdico. Por meio da combinação entre gesto, voz e textos autorais, iremos elaborar narrativas cênicas inéditas”, explica a atriz e diretora.

    O projeto é realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

    SERVIÇO

    “Brincar Brincar Brincar”

    Dia 25 de novembro, das 10h30 às 11h15.

    Transmissão on-line gratuita do espetáculo. https://www.youtube.com/c/ViraVoltaCultural

    Oficinas:

    “Qual o som da história?". Oficina on-line com Flávio Araújo. Dias 19 e 24 de novembro, das 10h às 11h30. 20 vagas.

    “Criação e Narração de histórias". Oficina on-line com Ligia Ferreira. Dias 19 e 24 de novembro, das 15h às 16h30. 20 vagas.

    Inscrições até 17/11 pelo e-mail viravolta.cultural@gmail.com contendo as seguintes informações: nome completo / e-mail / telefone / qual oficina pretende seguir (é possível participar das duas).

    Ficha Técnica:

    Flávio Araújo: Coordenador geral, músico, oficineiro, técnico de som e transmissão.

    Ligia Ferreira: Produtora, atriz e oficineira.

     

    Comunicação Projeto Brincar:

  • Manifesto-show expõe dramas da Juventude

    (Foto: Rafael Saes/Divulgação)
    Roberto Carlos é apenas um rapaz latino-americano cheio de dúvidas, desejos e inseguranças.

    Em JUVENTUDE, manifesto-show cineteatral que dialoga com o gênero coming of age (amadurecimento), acompanhamos a saga do personagem desde o ensino médio até a sua formatura universitária, testemunhando seus conflitos perante a tomada de decisões profissionais, a interação com a tecnologia, a exaustão diante da vida, a idealização romântica e suas desilusões, os conflitos com os pais, as dimensões do político e o futuro do planeta.

    Tendo como referência vários ícones jovens que inspiraram a juventude de diversos momentos históricos, o manifesto-show JUVENTUDE questiona, de modo singelo e bem-humorado, o atual estado de coisas do mundo, e nos revela a fragilidade e a força vital de ser aquilo que se é, abarcando as possibilidades daquilo que se pode ser.

    Produzido com verba de Incentivo à Cultura Lei Municipal de Maringá nº 10988/2019 Prêmio Aniceto Matti.
    SERVIÇO
    Temporada virtual de estreia do espetáculo
    de 17/11/2021 a 21/11/2021 (quarta a domingo), às 20h
    Live de Lançamento do Espetáculo Juventude
    com @gabifregoneis @marianamelomm @nathanmilleogualda
    14/11/2021 às 19 horas no Instagram da @sol.te.companhia

    Bate-Papo com os artistas do Espetáculo Juventude
    17/11/2021 às 13 horas no site www.espetaculojuventude.com.br

    Oficina de Teatro:
    "O ator, o texto e a cena" - Espetáculo JUVENTUDE
    16,17 E 18 DE NOVEMBRO DE 2021 (9 H - 12 H)
    Oficina virtual via Zoom com certificação
    Inscrições em: www.bit.ly/juventudeoficina
  • Nova fornada de autores chega ao leitor

    A oficina “Ler, Interpretar, Escrever, Sonorizar” aconteceu em 30 encontros virtuais, dividida em dois módulos: Análise e Criação literária e Criação Sonora, ministrados por Sandrini e Bressanin, respectivamente. Os idealizadores compartilham com o público - professores, estudantes, escritores, produtores e gestores culturais, formadores de opinião, pedagogos, artistas em geral, entre outros – os resultados obtidos: a coletânea dos contos produzidos pelo oficinantes, chamada “Narrativas novinhas em folha [e em áudio]”, que sai pela Kafka Edições, e as produções sonoras que podem ser vistas no canal do Youtube: Ler, Interpretar, Escrever, Sonorizar.

    As atividades de conclusão da oficina serão realizadas em dois momentos. No dia 30 de outubro, às 18h, haverá uma Live de lançamento do livro com os ministrantes e oficinantes, em que será apresentada a coletânea, com leituras dos textos. Já nos dias 2, 6 e 8 de novembro, acontecem as Lives de Contrapartida Social, intituladas “Literatura, arte sonora & outros diálogos”, em que os ministrantes conversam com três oficinantes sobre as etapas do projeto, leituras feitas, teorias utilizadas, metodologia e também como o projeto dialogou com outras áreas da vida e do saber dos participantes etc. Além de exibirem ao público as produções sonoras. As transmissões serão às 19h:30 pelo YouTube, no canal do projeto.

    A oficina desenvolveu atividades pensadas para compartilhar os processos de criação interdisciplinar desenvolvidos no projeto e para formar uma rede de possíveis multiplicadores dos processos empregados. Para André Knewitz, um dos participantes, a oficina foi “um oásis nesta paisagem pandêmica de isolamento social”. André, que já é escritor, ressalta suas experiências: “analisar obras literárias, produzir textos, debater mais a fundo aspectos que seriam desapercebidos em leituras mais superficiais, além de ter contato com um formato artístico ainda desconhecido para muitos dos participantes, que é a Arte Sonora, produzindo assim nossas próprias peças sonoras a partir dos conteúdos ofertados por Paulo Sandrini e Marcelo Bressanin, que souberam conduzir e tirar o máximo de cada participante. Quanto custaria isso em uma sessão de psicanálise? Para mim: a literatura salva! A sonoridade salva! A arte cura muito mais do que os produtos da farmácia”.

    "Ler, interpretar, escrever, sonorizar: oficina de análise e criação literária" é um projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba e com o incentivo da Cibraco Imóveis, Kronberg Leilões e Baggio Imóveis.

     

  • Três livros gratuitos e uma biblioteca virtual

    Com a necessidade de realização de distanciamento social e a interrupção de eventos em razão da pandemia de Covid-19, ocorreram alterações em diversos âmbitos, sendo o teatro um segmento fortemente atingido. Uma das características do espetáculo teatral, que diverge do cinema e da televisão - por exemplo -, é a sua realização ao vivo, diante do espectador, em um encontro de partilha de experiências coletivas. Tanto a produção de um espetáculo é resultado de uma ação coletiva, envolvendo diferentes criadores e técnicos com conhecimentos especializados, quanto a fruição que se dá no conjunto de espectadores; assim, o evento social – que é o teatro – precisou interromper significativamente por muitos meses estes dois encontros: de produção e de apresentação presencial. Vários grupos e artistas experimentaram uma migração para plataformas virtuais testando as possibilidades do teatro via internet. Ainda é teatro? Apresentar e ser assistido ao vivo é importante? Como lidar com o corpo, com a contracena, com a iluminação, com a sonorização estando cada artista em um local diferente? Foram e ainda são muitos os questionamentos e inúmeras experiências realizadas, obviamente algumas frustrantes, mas certamente com surpreendentes novas possibilidades encontradas neste momento de crise mundial.

    Por outro lado, várias outras atividades ganharam mais espaço, como a realização de palestras, lives e entrevistas feitas pela internet, conectando pessoas indiferentes à distância em que se encontravam. Se a realização de uma palestra presencial era mais difícil de ser realizada com convidados de outras localidades ou mesmo assistidas em razão do cruzamento de agendas e disponibilização de recursos de transporte e hospedagem, pela urgência, a nova condição permitiu a troca de informações e a criação de redes pela “net”.

    Outra alternativa que o meio teatral encontrou se mantendo ativo e criativo foi a produção de documentários e livros, tanto revisitando acervos quanto produzindo novos conteúdos, o que gerou materiais de memória cultural, reflexões teóricas, produções artísticas e pedagógicas com diversos conteúdos cênicos.

    E não foi diferente com o TUT, projeto de extensão da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, do campus Curitiba. Desde 1972, ou seja, a quase 50 anos, o projeto vem realizando ações teatrais. Sua principal atividade sempre foi a manutenção de um grupo de teatro e a produção de um espetáculo anual. Sua última produção foi o espetáculo OCO, em 2019, que cumpriu uma temporada com excelente repercussão e acolhimento do público. No início de 2020, o grupo retomava os ensaios depois das férias de verão e se preparava para duas temporadas, para março e junho. A primeira seria no Fringe, na Mostra Universitária do Festival de Teatro de Curitiba, maior do gênero no país. Foi justamente o adiamento (e posterior cancelamento) do Festival, um dos primeiros pontos que indicou que a pandemia estava próxima e que o distanciamento social seria uma medida radical e fundamental para conter a propagação da doença e o número de mortos.

    Depois de aguardar várias semanas, compreendeu-se que a vida social não voltaria tão cedo à normalidade. Assim, o TUT decidiu seguir realizando atividades formativas online e se debruçando pedagogicamente sobre OCO (ainda guardando lá no fundo o desejo de voltar aos palcos). Foram diversos encontros realizados no Teatro em pauta – TUT 2020 e no Teatro em Pauta – TUT 2021, com diversos convidados em palestras, bate-papos, mesas redondas e cursos, sempre gratuitos e abertos à toda sociedade.

    Além disto, o coordenador do TUT, professor Ismael Scheffler, conduziu à produção e publicação de livros sobre teatro, prática que já era realizada pela UTFPR antes da pandemia e que, neste momento, ganhou ainda mais força. Iniciando a produção em 2020, o TUT lançou três livros com abordagens distintas sobre teatro, além de colaborar na produção de uma biblioteca virtual. Foram lançados, com distribuição digital gratuita: OCO: memórias e olhares; Artaud e o teatro sagrado; Caricaturas e tipos cômicos no teatro, todos pela Editora Arte Final, em 2021. Também foi criada a Biblioteca Virtual de Design Cênico com acesso aberto.

     

    OCO: memórias e olhares

    O livro OCO: memórias e olhares aborda o espetáculo teatral de mesmo título encenado em 2019, em 12 apresentações. A obra, organizada pelo professor e diretor do espetáculo Ismael Scheffler (Editora Arte Final, 184 págs.), traz, por meio de artigos e entrevistas, a reconstrução de uma trajetória de criação e produção do espetáculo, desde a reunião do elenco, preparação corporal, elaboração do figurino, produção dos bonecos, projetos de iluminação e cenário, além da composição da trilha sonora original. O livro foi escrito pelos diversos artistas que colaboraram na criação da peça, além de incluir ensaios e textos memorialísticos de espectadores que vivenciaram OCO.

    O livro conta com mais de 220 imagens, entre fotografias de aproximadamente 20 fotógrafos, tanto dos ensaios, da produção quanto das apresentações, assim como croquis e desenhos do processo de criação além dos registros de quatro desenhistas que acompanharam OCO. Existem assim, muitas memórias e muitos olhares sobre a peça.

    OCO foi um espetáculo que misturava teatro, acrobacia, circo, dança, teatro de bonecos com impactante visualidade e trilha sonora. O livro pode ser lido por diferentes públicos, sejam espectadores, que assistiram ao espetáculo, pesquisadores, estudantes e profissionais das artes. Mas sem dúvida, pessoas que não puderam assistir OCO e se interessam por processos criativos artísticos se encantarão com o livro, tanto pelos textos, quanto pelas imagens.

     

    Artaud e o teatro sagrado

    Em OCO: memórias e olhares, Scheffler abordou brevemente algumas propostas do encenador, ator e poeta francês Antonin Artaud (1896-1948) e como estas tiveram influências sobre o espetáculo. Em alguns eventos, em 2020, tratando sobre o processo criativo de OCO, surgiu recorrentemente um interesse pelas ideias de Artaud. Isso motivou o desejo de disponibilizar uma pesquisa mais aprofundada sobre ele.

    Artaud e o teatro sagrado é um livro teórico, no qual o diretor e professor Scheffle, agora atuando como pesquisador,  realiza uma leitura das propostas teatrais de Artaud em diálogo com os conceitos de sagrado, símbolo, mito e rito, a partir dos estudos do filósofo e cientista da religião Mircea Eliade (1907-1986) e do antropólogo Gilbert Durand (1921-2012). Ao longo do livro, ele lança um olhar cuidadoso para estes temas se aproximando também de discussões sobre espaço, tempo, política, e a compreensão de Artaud da fusão indissociável de teatro e de vida.

    Embora seja um livro de teoria, a escrita de Scheffler transcorre com fluência buscando conduzir o leitor, quer conheça ou não a produção escrita de Artaud, a reflexões provocativas que ponderam sobre a experiência potente que o espetáculo teatral pode alcançar rumo às profundidades humanas.

     

    Caricaturas e tipos cômicos no teatro

    O terceiro livro lançado em 2021, pelo TUT, tem uma proposta completamente diferente dos dois anteriores. Caricaturas e tipos cômicos no teatro, organizado também por Ismael Scheffler, com colaboração de José Marconi Bezerra de Souza, foi concebido e totalmente desenvolvido em 2021. É um livro fundamentalmente de imagens, mas mantém um caráter pedagógico ao trazer reflexões diversas sobre teatro e o desenho de personagens de espetáculos de teatro.

    São 192 desenhos de 96 personagens cômicos de nove produções cênicas realizadas pelo TUT, com direção de Scheffler, entre de 2005 a 2010. Cada desenhista assumiu uma das produções teatrais e foi instigado a criar um estilo diferente dos demais na aventura de desenhar caricaturas de personagens cômicas, retratando a expressividade, aparência (figurinos e maquiagens), assim como a anatomia dos atores e atrizes que deram vida a elas.

    O e-book se completa com informações sobre as peças, algumas fotos que inspiraram os desenhos e croquis de estudos anatômicos feitos no processo.

    Os cartunistas (Alan Rodrigues Rêgo, André Vieira, Danka Farias de Oliveira, João Pedro Neto, José Marconi de Bezerra de Souza, Letícia Máximo, Maiara Midori Cunha, Priscila Celeste Chiang e Vinícius Calegari Marocolo) são alunos e os organizadores (Ismael Scheffler e José Marconi de Bezerra de Souza) são professores do curso de Design da UTFPR, campus de Curitiba.

    Esse livro também inaugura as comemorações do TUT que, em 2022, completará seu cinquentenário. O livro é, em si, uma produção artística muito bonita, mas também é um trabalho de documentação histórica que usa o desenho criativo no resgate da memória teatral. Personagens e peças do passado ganham nova vida nos desenhos deste livro.

    Por abranger diferentes linguagens artísticas, a obra é indicada para desenhistas, designers, pessoas do teatro, da fotografia, das artes visuais e da literatura, sejam estudantes, profissionais ou amantes da arte em geral.

    Quem se interessar pelo projeto, pode conferir, além do livro, o evento de lançamento onde seus autores falam sobre o processo de criação para a obra: https://youtu.be/GarB-Vep-dc

     

    Biblioteca Virtual de Design Cênico

    A Biblioteca Virtual de Design Cênico(BVDC) é uma plataforma online que disponibiliza publicações em acesso aberto. Lançada em 2021 pela UTFPR - campus Curitiba, ela dispõe um acervo de pesquisas sobre diversas áreas: cenografia, arquitetura teatral, iluminação e maquiagem cênicas, figurinos, sonoplastia e teatro de formas animadas. Estão disponíveis estudos, especialmente, sobre teatro, mas pode-se ter acesso a trabalhos sobre dança, carnaval, festas populares, circo, exposições, entre outros temas sempre com o foco no design cênico.

    Ali são agrupados livros, dissertações de mestrado, teses de doutorado, dossiês temáticos de revistas especializadas, a maioria conteúdos produzidos no Brasil, em especial, por universidades públicas brasileiras, todos materiais gratuitamente acessíveis.

    A plataforma foi elaborada com bolsas estudantis de um edital de apoio ao Desenvolvimento de Recursos Educacionais Abertos (REAs), promovido pela Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional da UTFPR. A BVDC não abriga conteúdos, apenas disponibiliza os links de materiais em suas plataformas originais. Assim, as pessoas são conduzidas a repositórios oficiais em dezenas de instituições.

    A reunião desse acervo dá destaque a uma produção nacional relevante e facilita a pesquisa de quem e interessa por estes temas, sejam estudantes, professores, pesquisadores, artistas ou público em geral.

     

     

    ..........................................

    Os três livros podem ser baixados gratuitamente em PDF acessando: https://tut.ct.utfpr.edu.br/index.php/blog/

    A Biblioteca Virtual de Design Cênico é igualmente de acesso gratuito:  https://bibliotecadesigncenico.ct.utfpr.edu.br/ 

    ...............................................

    Se quiser conhecer mais sobre o TUT e suas atividades, acesse sua página na internet e siga o grupo nas redes sociais:

    Site: https://tut.ct.utfpr.edu.br/

    Instagram: @tut_utfpr

    Facebook: https://www.facebook.com/tut.utfpr

     

  • Áudio série curitibana tem trilha de vencedor do Emmy

    A companhia Bife Seco.
    A companhia Bife Seco.

    Em 2024, o misterioso desaparecimento de uma influenciadora digital leva um detetive de dados a uma investigação sem precedentes, que o colocará frente a frente com grupos terroristas e o submundo da deep web, ao mesmo tempo em que precisará enfrentar fantasmas de seu passado atormentado. Crimes cibernéticos, religião e busca pelo poder se misturam em País do Futuro 2024, um thriller épico que está disponível desde o dia 5 de outubro para ser conferido nas telas do... seu celular – mais exatamente no seu Spotify (ou outras plataformas de áudio).

    É isso mesmo. País do Futuro 2024 é a áudio série de estreia do canal Bife Podseries, o novo projeto inédito da Bife Seco, uma das mais inovadoras produtoras culturais do Sul do país que completou uma década de sucessos em 2020, incluindo prêmios, parcerias com artistas renomados e passagens por diversos palcos e festivais brasileiros. Mirando um dos formatos de entretenimento mais populares dos últimos anos, o podcast, o canal é mais uma das inovações da Bife, conhecida pelos seus trabalhos audaciosos nos palcos.

    De acordo com o diretor de produção da companhia, Sávio Malheiros, o novo canal será uma plataforma de áudio séries originais de ficção que pretende avançar em um terreno que, no último ano, somou mais de 20 milhões de ouvintes. “Os podcasts reúnem cada vez mais adeptos, mas conteúdos de ficção ainda são pouco explorados nesses canais. Estamos dando um passo à frente, com uma narrativa 100% original, criada e produzida por artistas brasileiros e com um elenco grandioso”, explica.

    Criada, escrita e dirigida por Dimis, e com trilha sonora original do vencedor do Emmy Internacional, Gilson Fukushima, País do Futuro 2024 é uma ambiciosa narrativa que traz elementos clássicos do romance policial em um ambiente distópico, muito explorado pela ficção científica. Como pano de fundo, um Brasil deteriorado pela crise e pelo fundamentalismo religioso – um terreno fértil para explorar personagens com pouca ou nenhuma ética, além de um herói errático, em conflito com suas convicções e o mundo a sua volta.

    Mais alguém aí se lembrou de Rick Deckard, o personagem de Harrison Ford em Blade Runner? Bem, então esqueça. S1lv4, o detetive de País do Futuro 2024, não tem nada a ver com o perseguidor de replicantes do clássico neo-noir de Ridley Scott, embora a referência seja possível. Como em outros trabalhos da Bife Seco, o cinema, a literatura e a cultura pop são elementos constantes de inspiração para criar histórias sempre originais – e com um humor peculiar que é uma das marcas da companhia.

     

    Experiência sonora imersiva

    Com oito episódios de 55 minutos (e mais quatro episódios extras de 7 minutos cada), País do Futuro 2024 propõe uma experiência ainda inédita nas plataformas de streaming de áudio – ou mesmo para áudio séries de ficção. Um grande elenco dá vida a diferentes personagens da trama ambientada em um Brasil não tão futurista, mas marcado por conflitos perturbadores entre pastores evangélicos tecnofóbicos e grupos anticristãos.

    É neste universo que o recluso – e mentalmente instável – detetive de dados S1lv4 se depara com o comportamento anormal de uma influenciadora digital, a jovem Yasmin, filha da poderosa pastora Ana Raquel Badaró. O seu desaparecimento o levará a uma jornada perturbadora. Com a ajuda da jornalista Mônica Persegona, S1lv4 vai se deparar com situações cada vez mais perigosas para tentar salvar a garota. O final dessa história você poderá conferir no dia 28 de outubro, quando vai ao ar o último episódio de País do Futuro 2024.

    “Nossa primeira áudio série é um trabalho gigantesco, com oito horas de duração e uma equipe de mais de 25 artistas e técnicos super talentosos que deram origem a um material original e inovador. É uma experiência sonora imersiva que une o melhor do cinema com todo o potencial imaginativo do público. País do Futuro 2024 foi produzido durante o confinamento da pandemia de coronavírus e, mesmo com todas as restrições, acredito que vamos entregar ao público uma obra de arte singular, que instiga e entretém o ouvinte”, comenta Malheiros.

    A grandiosidade do projeto País do Futuro 2024 inclui ainda uma coleção de produtos disponíveis no site da companhia. O ouvinte poderá adquirir camiseta, moletom e caneca com a identidade visual da áudio série, além de todos os episódios em formato de fita cassete e a trilha sonora original de Gilson Fukushima em disco de vinil 180 gramas.

     

    SERVIÇO:

     

    PAÍS DO FUTURO 2024

    Podcast Original Bife Seco. Disponível nas principais plataformas de áudio. Novos episódios todas as terças e quintas-feiras.

    Episódios: 8 episódios

    Duração:  55 minutos cada

    Classificação Etária: 16 anos

    Trailer Spotify: ​​https://open.spotify.com/episode/37NoabFnRFiZKz0JauUBQo

    Informações:

    www.bifeseco.com.br

    contato@bifeseco.com.br

     

    A BIFE SECO

     

    A Bife Seco é uma produtora curitibana, fundada em 2010, que nasceu para criar cultura, entretenimento de qualidade e contar histórias, pois acredita que a arte tem o poder de despertar emoções, ampliar a visão sobre o mundo e aproximar as pessoas.

     

    Em uma década de sucesso, soma no currículo mais de 10 produções de destaque, 20 prêmios nacionais, indicação dos principais críticos e jornais, participação nos mais relevantes festivais nacionais e um público de mais de 300 mil espectadores em todas as regiões do Brasil.

     

    Em sua trajetória, busca sempre criar obras autorais, com narrativas inovadoras e que tenham uma cara autenticamente brasileira, com destaque para os espetáculos Vivienne (2010), Peça Ruim (2012), os 6 solos do projeto Bifes (2014), o musical Terrível Incrível Aventura – Um Musical Fabulesco Marítimo! (2016) e parcerias com importantes artistas brasileiros, como Cibele Forjaz, Marcio Abreu e Diogo Liberano.

     

    Atualmente, a Bife se concentra na montagem do espetáculo Humanismo Selvagem – Uma Tragicomédia Karaíba, texto vencedor do Prêmio OUTRAS PALAVRAS 2020, e na produção do musical O Fantasma de Friedrich – Uma Pop Ópera Punk!, além das gravações de mais uma áudio série ficcional, Selvageria, próximo lançamento do canal Bife Podseries.

  • Espetáculo virtual resgata a importância da brincadeira em 20 escolas públicas do Paraná  

    Em “Brincar Brincar Brincar”, a brincadeira é homenageada e exaltada. O espetáculo será transmitido de forma online para escolas públicas de 20 cidades do Paraná, entre 18 de outubro e 18 de novembro.

    O projeto, realizado por meio do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (PROFICE) da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura (Governo do Estado do Paraná), com apoio da Copel, conta com Ligia Ferreira como atriz, escritora e produtora, e Flávio Araújo como compositor, músico, produtor, ministrante de oficina e técnico de som e transmissão.

    Crianças que não brincam mais

    “A brincadeira é a natureza da criança. Infelizmente, percebemos que ela pode estar perdendo espaço para outros elementos do mundo contemporâneo”, enfatiza a atriz Ligia Ferreira.

    O texto, de autoria de Ligia, se passa numa vizinhança muito tranquila, baseada em sua rua de infância, com personagens inspirados na vida dos dois artistas e em parentes seus. Lica, Kiko, Guiga, Luna e Nano são crianças acostumadas a brincar na rua e na floresta todos os dias. De repente surgem na vida de Guiga, Luna e Nano misteriosos elementos – t-ble-ta, g-ppin-sho e são-vi-le-te – que alteram a rotina da garotada. Os amigos Lica e Kiko entram então numa aventura para resgatar as outras crianças.

    Durante a apresentação, Flávio Araújo utiliza instrumentos diversos para a sonoplastia, como reco-reco, teclado, alfaia, cajón, blocos sonoros, campainha de bicicleta, kalimba, entre outros. “Os sons criam ambientes relacionados à história e sugerem sensações”, explica o músico. Ao longo da peça, a dupla ainda executa músicas compostas por Flávio, que enriquecem a narrativa.

    Oficina de música “Na Palma da Mão”

    O projeto também vai promover de forma online 8 oficinas de música, com 4 horas de duração cada, para educadores da rede pública municipal das cidades contempladas. O ministrante Flávio Araújo explica que a oficina “Na Palma da Mão” propõe uma reflexão musical, que não requer experiência prévia, para estimular o uso da música no espaço escolar.

     

  • Atinj - Mostra de teatro online para a criança interagir

    A Associação de Teatro para Infância e Juventude do Estado do Paraná (ATINJ/PR) promove, entre os dias 20 e 31 de outubro, a II Mostra ATINJ de Teatro para Crianças / Online, patrocinado pelo Programa de Apoio e Incentivo à cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Uninter. O evento é uma oportunidade de compartilhar a produção teatral de companhias paranaenses, direcionada ao público de todas as idades.

    As apresentações acontecerão no formato online, no canal do youtube da ATINJ/PR e contará com 20 apresentações, sendo de oito espetáculos de várias companhias da região. Destas, 14 apresentações acontecerão em dias letivos, sempre em duas sessões. As apresentações dos finais de semana (seis apresentações) serão transmitidas ao vivo, onde o espectador poderá interagir com os atores.

    Os links das apresentações estarão disponíveis em: https://mostraatinj.blogspot.com/ e, além das apresentações, também haverá atividades de caráter formativo, como oficinas teatrais, direcionadas a professores, mesa-redonda e palestra sobre a história do teatro para crianças em Curitiba. Estas atividades serão realizadas através da plataforma zoom.

    A presidente da Associação, Fátima Ortiz, comenta que a mostra vem em tempos desafiadores e que encontrar-se desta forma com as crianças, com as famílias, com os artistas e educadores, é apostar na abertura do campo sensível e imaginativo da experiência estética e do fazer poético. “É o segundo ano consecutivo da mostra no formato online, a continuidade do projeto é essencial para que cada vez mais a arte esteja presente na vida das pessoas. O valor da mostra está no novo aprendizado teatral, já que estamos remotos. As famílias estão tendo uma nova experiência de assistir um espetáculo dentro de sua casa e depois ter a oportunidade de conversar e trocar ideias com os atores. É uma grande alegria e prazer proporcionar a convivência criativa”.

    O evento proporciona ao público de escolas públicas o acesso gratuito às apresentações, neste ano, transmitidas online. Neste aspecto, o teatro surge como fator de integração social, possibilitando às crianças, que muitas vezes nunca assistiram uma peça de teatro, um outro olhar ou até uma possibilidade de ver e rever a própria infância com mais sensibilidade. “É um evento muito importante que proporciona oficinas, espetáculos e, principalmente, a mesa redonda, que é discutido as linguagens e as formas de se fazer teatro. Contamos com a participação e divulgação de todos”, reforça Pedro Uchoa, vice-presidente da Atinj.

    Dentre a programação prevista, a mostra de espetáculos terá 100% de ingressos gratuitos, revertendo à população produtos culturais de qualidade.

     

    APRESENTAÇÕES

    DATA: De 20/10 a 31/10/2021

    APRESENTAÇÕES DIRIGIDAS A ESCOLAS

    Sábado e domingo: – COM TRANSMISSÃO AO VIVO

    INFORMAÇÕES: https://mostraatinj.blogspot.com/

     

    COMPANHIAS PARTICIPANTES

     

    COMPANHIA DO ABRAÇÃO – CURITIBA: A Cia do Abração é um espaço de arte e cultura, fundado em 2001, por Letícia Guimarães e tem como proposta principal a pesquisa e produção teatral para todas as idades, embasados em dramaturgia própria e difundidas como espetáculos de repertório. Sua proposta estética está alicerçada na fusão de linguagens artísticas elaborada em investigações advindas de processos colaborativos. Além da dança e das artes visuais, trabalha e investiga as técnicas de manipulação de objetos, mímica, produção sonora e conhecimentos da antropologia.

     

    CIA. CIRCO TEATRO SEM LONA - MARINGÁ/PR: A companhia Circo Teatro Sem Lona foi originada em 1996, unindo várias técnicas circenses: acrobacia, malabares, trapézio, mágicas e estudos sobre a figura do palhaço. A companhia, por iniciativa de Ochôa, encaminhou projeto de Lei Municipal de Incentivo à Cultura para uma pesquisa de investigação teatral e circense. Após três anos de estudos, laboratórios  e práticas, resultaram no espetáculo de circo teatro “O Amor de Peri e Ceci- ”, inspirado na obra de José de Alencar “ O Guarani”. As encenações são irreverentes, dinâmicas, satíricas e musicais, apoiadas na linguagem simples e popular, como forma de atingir o público eclético.

     

    CIA. TEATRO REGINA VOGUE  CURITIBA/PR: A Companhia de Teatro Regina Vogue abrange toda a complexidade de ideias, iniciativas e equipes que movimentam, criam, montam, pesquisam e produzem peças teatrais, abrangendo o Espaço Teatro Regina Vogue, a Regina Vogue Produções, a MESSE Produções Artísticas e o CENTEC – Centro de Estudos de Teatro para Crianças.

    Desde seu início, há 22 anos, a Cia. de Teatro Regina Vogue já produziu mais de 40 espetáculos, sempre primando pela qualidade e pertinência dos temas por eles abordados. O CENTEC visa à investigação e ampliação das linguagens utilizadas no teatro para crianças.

     

    CIA. PÉ NO PALCO CURITIBA/PR: Fundada em 1995 por Fátima Ortiz o Pé no Palco Atividades Artísticas. Criação da companhia estável - Círculo de Encenação e Pesquisa e consolida quatro segmentos de atividades: Cursos Livres de Teatro, Círculo de Encenação e Pesquisa, Ação em Valores Humanos e Workshop, Cursos e Eventos.

     

    MRG PRODUÇÕES ARTÍSTICAS  CURITIBA/PR: Fundada em 1995 por Marcio Roberto, é considerada uma das maiores produtoras de arte e cultura do Paraná. Com sede em Curitiba, tem como principal segmento artístico a produção de espetáculos teatrais através de clássicos da literatura. Oferece arte primorosa, criada por artistas premiados. Montagens consagradas atestam a sua sensibilidade e amor na produção artística.

     

    CIA. ESPAÇO DA CRIANÇA A empresa Espaço da Criança foi fundada em 1.986, por Giovani Cesconeto, para produzir espetáculos de teatro, cinema e eventos culturais. Produziu 158 espetáculos para infância e juventude.  Foram mais de 2.000 apresentações, 1.500 horas de cursos para formação de professores, e passou de 1.000.000 de espectadores.

     

     

    RESUMO DOS ESPETÁCULOS DO FESTIVAL

     

    CHAPEUZINHO VERMELHO DIA 20/10, quarta-feira às 10h e 15:30h

    Cia. Espaço da Criança – Curitiba/PR

     

    Sinopse -  “Chapeuzinho Vermelho”. Espetáculo infantil que conta a clássica história de uma menininha que vai levar doces para a sua vovó. Na floresta encontra o terrível Lobo Mau que ensina a ela um suposto caminho mais curto para chegar ao seu destino. A peça propõe a reflexão de valores, como a mentira e respeito aos mais velhos.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    QUER BRINCAR DE ALGUMA COISA! QUE COISA? – DIA 21/10, quinta-feira às 10h e 15:30h, 23/10, sábado às 19h e 24/10, domingo às 11h.

    Cia Pé no Palco – Curitiba/PR

    Sinopse - Procura-se uma coisa. Como assim uma coisa? Uma coisinha, uma coisona, uma coisita. Tem muita coisa que pode ser uma coisa.

    Calma, calma.. Através da imaginação passamos por diversas culturas, mesclando estéticas e criando nossa própria identidade que vai do Blues até o Forró, do Canto Lírico ao Rock n' Roll. Já que vivemos nesse mundo cheio de informações, por que não deixar a criatividade livre para despertar novas conexões?

    Uma atriz e um ator em cena, cantam, dançam, tocam e contam a saga que é estar em busca de alguma coisa. A interatividade com o público se estabelece nas diversas linguagens do espetáculo, através do visual, da contação, das palavras, no jogo e da troca de olhares entre atores e plateia, no campo sensível, no campo da imaginação e através das músicas compostas especialmente para o espetáculo.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    O CIRCO DO TURRÃO  DIA 22/10, sexta-feira às 10h e 15:30h /  23/10, sábado às 16h e 24/10, domingo às 19h

    Cia Circo Teatro Sem Lona – Maringá/PR

    Sinopse - O Circo de Turrão é apresentado por uma equipe de Clowns, juntamente com a filosofia de trabalho de nossa companhia, que se dedica a realizar espetáculos teatrais com linguagem circense a um público variado. Nesse espetáculo de variedades que é o circo - teatro apresentamos a figura do palhaço, que se encarregava de unir os números nos antigos espetáculos, entre o trapézio e o malabarista entreva o palhaço e fazia sua improvisação para a arrumação do próximo número. Em nossa encenação o palhaço realiza todos os números, inspirado no palhaço Feliniano, trazemos a público a montagem das cenas e do número, tornando a plateia cúmplice da encenação, envolvendo o espectador em determinados números, sempre acompanhado da Charanga, a bandinha que toca ao vivo e realizados sons incidentais durante os números.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    TISTU, O MENINO DO DEDO VERDE DIA 26/10, terça-feira às 10h e 15:30h

    Cia MRG produções artísticas – Curitiba/PR

    Sinopse - é um dos livros infantis mais importantes jamais escritos. Não é surpresa que tenha uma repercussão tão profunda no espírito das crianças e dos adultos. Quase sempre ele é associado a uma encantadora ideia ecológica, já que é, de fato, este o seu ponto de partida. TISTU e sua mágica capacidade de fazer florescer tudo quanto toca, é uma simples e direta metáfora de tudo quanto o homem pode fazer pelo meio ambiente, mas que insiste em desacreditar de seu próprio poder e faz justamente o contrário.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO - DIA 27/10, quarta-feira, às 10h e 15:30h

    Cocotte Minute Produções /Cia. do abração

     

    Sinopse - O espetáculo Sonho de Uma Noite de Verão, primeiro espetáculo da Cia. do Abração, foi a grande revelação do ano de 2002 em Curitiba, angariando seis Troféus Gralha Azul – Prêmio Governador do Estado, são eles: melhor espetáculo para crianças – Cia. Do Abração, melhor diretor, melhor adereço, melhor sonoplastia, melhor atriz e atriz revelação.

     

    No Sonho de Uma Noite de Verão, adaptado pela Cia. do Abração, quatro velhinhos, contadores de estórias, que neste momento se encontram a serviço do Sr. Milkshakespeare, utilizam-se de objetos para contar esta estória que fala dos encontros e desencontros de dois casais.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    A ROUPA NOVA DO REI - DIA 28/10, quinta-feira às 10h e 15:30h

    Cia. Regina Vogue Produções

    Sinopse - O musical narra a história de um rei egoísta que deseja ser o monarca mais bem vestido do mundo. Enquanto isso, quatro velhos instrumentos de costura ganham vida após anos esquecidos em meio a um amontoado de roupas velhas. O espetáculo é indicado para crianças a partir de 3 anos.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

     

    A BELA E A FERA – DIA 29/10, sexta-feira, às 10h e 15:30h

    HG Produções /Cia do Abração

    Sinopse: Inspirada no clássico dos irmãos Grimm, na nossa história, a protagonista pede ao seu pai, um ex-compositor de sambas, agora caixeiro viajante, que lhe traga de presente: o samba da Rosa. Infortunadamente, o pobre homem escuta o samba vindo do castelo de uma terrível FERA. A partir daí se desenrola o conflito e toda a trama já conhecida deste clássico infantil.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

     

    PINÓQUIO - DIA 30/10, sábado às 16h e 31/10, domingo às 11h 

    Sinopse – Inspirada no original italiano de Carlo Collodi, Pinóquio é um boneco, esculpido a partir do tronco de uma árvore por um entalhador chamado Geppetto, mas que sonhava em ser um menino de verdade.

    Na nossa adaptação, o conflito principal está centrado nos valores humanos e a formação do caráter de um menino.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

     

     

    ATIVIDADES COMPLEMENTARES – OFICINA TEATRAL PARA PROFESSORES ONLINE

     

    OFICINA: JOGOS TEATRAIS PARA CRIANÇAS (em dois módulos) – 40 VAGAS NO TOTAL

     

    Transmitido por meio da plataforma ZOOM, do espaço CIA PÉ NO PALCO – Modulo I

    TURMA A - Das 8h às 10h – 20 VAGAS

    TURMA B – Das 10h às 12h – 20 VAGAS

    Transmitido por meio da plataforma ZOOM, do espaço CIA DO ABRAÇÃO – Modulo II

    TURMA A - Das 8h às 10h – 20 VAGAS

    TURMA B – Das 10h às 12h – 20 VAGAS

     

    Inscrições através do link: https://forms.gle/a4H6MZzjeQsthW4y8 à partir do dia 01/10.

     

     

    ATIVIDADES COMPLEMENTARES – INDICADO A PROFESSORES DE ARTE E INTERESSADOS

     

    31/10/2021, das 14h às 18h –

    Palestra sobre dramaturgia para a infância com Fátima Ortiz e Mesa redonda com debates

    sobre os espetáculos da mostra de teatro para crianças de todas as idades,

    Transmitido por meio da plataforma ZOOM na sede da Cia. do Abração

     

    LINK: https://us06web.zoom.us/j/84988510396?pwd=YzlyU0xoNnVFR1VvbjlwdER5R0ZWQT09

    Meeting ID: 849 8851 0396

    Passcode: Atinj

     

    LINKS DOS ESPETÁCULOS

     II MOSTRA ATINJ DE TEATRO PARA CRIANÇAS


    CHAPEUZINHO VERMELHO

    DIA: 20 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=2hOn5hbdP_M

     

    DIA: 20 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=ZwQ4YZbiwC8

     

    QUER BRINCAR DE ALGUMA COISA! QUE COISA?

    DIA: 21 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=gVbJsj-kW7I

     

    DIA: 21 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=uQ1VCF6lcLg

     

    DIA: 23 de outubro de 2021, às 19h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=CGqWwS6iB9Y

     

    DIA: 24 de outubro de 2021, às 11h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=wYojlkaLb_4

     

    O CIRCO DO TURRÃO

    DIA: 22 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=heNDqcUMJGw

     

    DIA: 22 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=LHK3hvrF4H8

     

    DIA: 23 de outubro de 2021, às 16h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=q0n_Pvex8c4

     

    DIA: 24 de outubro de 2021, às 19h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=h_WkkpT5-Ek

     

    TISTU O MENINO DO DEDO VERDE

    DIA: 26 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=AyVf2ubNkAc

     

    DIA: 26 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=d5LEB4VQeoQ

     

    SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

    DIA: 27 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://youtu.be/9x8PQ829Z3w

     

    DIA: 27 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://youtu.be/ojOHwaEioNM

     

    A ROUPA NOVA DO REI

    DIA: 28 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://youtu.be/sjW1G68tM84

     

    DIA: 28 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://youtu.be/0cJ253Cr5c0

     

    A BELA E A FERA

    DIA: 29 de outubro de 2021, às 10h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=Xo7HerK3EmQ

     

    DIA: 29 de outubro de 2021, às 15h30

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=PI-GBTt1iuA

     

    PINÓQUIO

    DIA: 30 de outubro de 2021, às 16h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=rLQ6nL-B84E

     

    DIA: 31 de outubro de 2021, às 11h

    LINK: https://www.youtube.com/watch?v=5oSVGiYa1b4

  • Cia. do Abração apresenta Mostra Teatral em Matinhos

    O projeto TEATROCANDO NOS ARES DOS PARANARES, que conta com premiados espetáculos da Cia. do Abração, fará uma difusão de Mostra de espetáculos, através do formato online, dirigidos ao público de crianças de todas as idades, em três apresentações virtuais em Matinhos, entre os dias 9 e 12 de setembro de 2021. O projeto é incentivado pela Copel por meio do PROFICE.

    A Mostra Teatral é composta pelos premiados espetáculos da Cia. Do Abração: Um Mundo Debaixo do Meu Chapéu, Sonho de Uma Noite de Verão e O Mágico de Oss, além de promover, também, uma oficina teatral direcionada a professores e interessados.

    A diretora da Cia do Abração Letícia Guimarães comenta que o objetivo principal é fomentar o teatro para crianças no Estado do Paraná, através da difusão de espetáculos, com o intuito de ampliar o intercâmbio das pesquisas em novas dramaturgias, além de debates com público e artistas locais, através de chat interativo e oficinas teatrais, sobre este assunto, visando à formação de plateias.

    “Além disto, TEATROCANDO NOS ARES DOS PARANARES almeja enriquecer a articulação de pensamento e produção cultural, através do teatro”, disse a diretora. Neste ano, o teatro teve que se adaptar, indo até o seu público, de forma virtual. Porém, estão previstas apresentações transmitidas ao vivo, com interações do público, através de chats. Também está prevista a tradução em libras, como forma de possibilitar o acesso a pessoas com deficiência auditiva.

    Heloisa Giovenardi, proponente deste projeto, quer também valorizar os 20 anos de experiência dedicados à pesquisa e produção de espetáculos dirigidos à criança da Cia. do Abração, que lança em sua arte um novo olhar sobre a criança e a compartilhando com o público e artistas paranaenses.

    “Sentimos a necessidade de pilotar esta iniciativa, propondo este espaço de troca, mantendo uma pesquisa contínua sobre o assunto, criando um panorama da arte paranaense dirigida à criança e, também, atuando na formação de novas plateias, que estejam capacitadas a desenvolver discernimento e critérios avaliativos em relação à obra teatral”, finalizou a proponente do projeto.

    A Mostra também estará em outras quatro cidades do Paraná. Será em Marialva, de 13 a 16 de setembro, Arapoti, de 16 a 19 de setembro, Moreira Sales, de 23 a 26 de setembro, e Palmas, de 27 a 30 de setembro.

    Os espetáculos da Cia do Abração que serão apresentados são os seguintes:

    SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

    No Sonho de Uma Noite de Verão, adaptado pela Cia. do Abração, quatro velhinhos, contadores de estórias, a serviço do Sr. Milkshakespeare, utilizam-se de objetos para contar a estória dos encontros e desencontros de dois casais.

    https://vimeo.com/366356754 - teaser
    https://vimeo.com/366150812 - teaser com narração
    https://drive.google.com/drive/folders/1YpBuNyF38V4SCT9UHpXW2Qq5wBEu_nKP?usp=sharing - fotos

    UM MUNDO DEBAIXO DO MEU CHAPÉU

    No espetáculo, três contrarregras sonhadores brincam com a imagem de Carlitos abordando temas como a generosidade e a responsabilidade social. Apresentar esse ícone para crianças de hoje é como abrir portas para um novo jeito de caminhar, um jeito meio desengonçado, ingênuo, verdadeiro e cheio de esperança, combatendo o que não nos faz bem com o que mais simples existe: sendo humano.

    https://drive.google.com/file/d/0BwQhwFAeXS2kZlV5TG51aTRxOE0/view?usp=sharing&resourcekey=0-6f2UBG94DV_VpqfnbQ-e3g – fotos

    O MÁGICO DE OSS

    A releitura do clássico "O Mágico de Oz", para ressaltar temas como a construção da identidade e o caminho a se trilhar em busca da sabedoria e de reconhecimento das ações para a valorização de virtudes humanas. Na nossa história, a protagonista, Doroti, uma menina egoísta e dominadora, briga com seus amigos e se sente incompreendida por seus avós. Em um ataque de fúria, a menina egoísta que acredita que a vida que leva é sem graça e sem cores, se vê abduzida por um furacão que a transporta para um lugar mágico e colorido. Na jornada psicodélica de Doroti, ela encontra um espantalho sem cérebro, um homem de lata sem coração e um tigre covarde. Todos se unem para encontrar o único que poderá dar-lhes o que cada um necessita: o poderoso Mágico de OSS, o único capaz de dar um cérebro, um coração, coragem e o caminho de volta para casa. Porém, em nossa história, toda esta viagem, todos estes encontros, tudo foi apenas projeção do subconsciente de Doroti que, com a viagem, transcendeu suas fraquezas e conquistou virtudes.

    (8) Teaser - O Mágico de OSS - YouTube - teaser
    https://drive.google.com/drive/folders/1RvYfxMVLA0W_94UgLApIaU4Tyc72iW4V?usp=sharing - fotos

    SERVIÇO

    CIDADE: Matinhos (de 09 a 12/09)
    ESPETÁCULOS:
    Um Mundo Debaixo do Meu Chapéu, dia 10 de setembro, às 19h
    Link da transmissão - https://youtu.be/J891UDURmnQ
    Sonho de Uma Noite de Verão, dia 11 de setembro, às 19h
    Link da transmissão - https://youtu.be/pXYZmbDXiLY
    O Mágico de Oss, dia 12 de setembro, às 19h
    Link da transmissão - https://youtu.be/00Gkgyo_3SQ
    OFICINA: Dia 09/09, das 09h às 11h
    ACESSO: GRATUITO.

    OS LINKS DE ACESSO ESTARÃO DISPONÍVEIS TAMBÉM NO BLOG DO PROJETO https://teatrocandoparana.blogspot.com, A PARTIR DO DIA 01/09 E TAMBÉM DISPONIBILIZADOS, ATRAVÉS DA PREFEITURA LOCAL.

    CONTATO:

    CIA. DO ABRAÇÃO
    3362-9595 – 3362-9438
    Rua Paulo Ildefonso Assumpção, 725
    abracao@ciadoabracao.com.br
    www.ciadoabracao.com.br

  • Jornalista curitibana lança livro sobre justiça e memória  

    Em Hoje, não? (Editora Urutau, 2021), uma mulher desorientada refugia-se em um teatro. Ao deparar-se com a plateia, coloca em questão os processos de identificação baseados no olhar do outro, compartilha memórias de luto e inquietações sobre as noções de vítima e de punição.

     

    O livro é o primeiro escrito para cena por Luciana Romagnolli, no mesmo ano em que estreou na literatura com os poemas de O mistério de haver olhos (Quintal Edições, 2021). Os dois trabalhos marcam novos rumos na trajetória da jornalista, crítica e pesquisadora de teatro, que foi curadora do FIT-BH 2018 e dos Olhares Críticos da MITsp (2017-2020), além de fundadora do site Horizonte da Cena.

     

    Hoje, não? nasceu entre 2013 e 2015, nos encontros do Ateliê de Dramaturgia, então orientado por Vinicius Souza e Assis Benevenuto. “Minha escrita estava voltada às reverberações de trabalhos de outros artistas, seja na reportagem jornalística ou na análise crítica. O ateliê foi um espaço para finalmente experimentar a criação. Parti de um gesto autobiográfico, ancorado no assassinato do meu pai, e outras flutuações vieram, colocando o espectador-leitor dentro do acontecimento”, conta a autora curitibana, que vive em BH.

     

    “Como resposta criativa a uma experiência traumática, a peça vasculha sentimentos reais e imaginados, é uma escrita tateante, vacilante, que assume a instabilidade, a incerteza, as lacunas e os impossíveis da expressão e do compartilhamento de um trauma, mas também da perseguição de um de ideal de justiça – igualmente, inescapavelmente, fracassado”, afirma Romagnolli.

     

    O texto teve uma primeira leitura cênica no Janela de Dramaturgia, em 2016, sob a direção de Daniel Toledo, ao lado da atriz Samira Ávila. Depois, ficou “desacordado” por alguns anos, “até que o encontro brusco com a pandemia o despertou, ao perceber que já estavam lá o luto, a ameaça, o refúgio e o medo em que vivemos”, diz a autora, que agora confere tons mais poéticos à obra.

     

    Visões

    “Originalmente elaborado como peça de teatro, Hoje, não? torna-se aqui um híbrido de técnicas de criação escrita, com a sucessão de palavras e proposições de movimentos agindo tanto como comentários sobre as inquietações da autora quanto como reflexões críticas sobre sua própria construção”, descreve o crítico Marcelo Miranda na orelha do livro.

     

    “Como artesã das palavras, Luciana conseguiu tecer de forma poética e latejante essa sensação de perplexidade que está no cerne de nossas vidas. A escritora traz em seu texto um pouco do abismo e da vertigem de Clarice Lispector, do mistério e da elegância lírica de Cecília Meirelles e do grito feminino e inconformado de Leilah Assumpção”, observa o crítico de teatro Clóvis Domingos, no posfácio.

     

    “O texto mais complica, implica e complexifica do que apazigua. Mas a gente sente que é feito dessa mesma matéria. Continuamos de mãos vazias diante do enigma”, completa Domingos.

     

    Serviço:

    Hoje, Não?, de Luciana Eastwood Romagnolli. Editora Urutau, 2021, 84 págs. R$ 40.

  • Beetools apoia artistas afetados pela pandemia

    A vida imita a arte ou a arte imita a vida? Em uma pandemia que já dura mais de um ano e com praticamente todas as casas de shows, exposições e eventos fechadas, o mundo artístico se encontra em uma emergência nunca antes vista. Devastador, o coronavírus destrói também centenas de vidas artísticas, que agonizam pela dependência de aglomerações para expor seus trabalhos.

    Segundo a pesquisa “Percepção dos Impactos da Covid-19 nos setores culturais”, publicada pela Unesco neste ano, foi detectado que, entre março e abril de 2020, 41% dos profissionais desses segmentos afirmaram ter perdido toda a receita. Entre maio e junho, esse total subiu para 48%. Ainda de acordo com o relatório, as artes cênicas foram as mais prejudicadas, com 63% dos profissionais relatando perda total de receita. Já o levantamento “Músicos e Pandemia”, realizado pela União Brasileira de Compositores (UBC) com a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), ouviu quase 900 artistas e apontou que 30% dos músicos perderam completamente a renda, enquanto 56% não recebem por lives realizadas, e 86% dos profissionais registraram algum tipo de perda.

    Sensível ao momento, a Beetools, empresa de ensino de idiomas com sede em Curitiba (PR), lançou neste mês de junho, a campanha “Educação e Cultura Juntas – Beetools pelos artistas brasileiros”, que, por um ano, vai apoiar artistas brasileiros de categorias diversas – atores e atrizes, músicos, artistas plásticos, dançarinos, entre outros. A ideia é simples: o profissional de qualquer setor cultural poderá indicar pessoas para os cursos da Beetools e, caso seja feita a matrícula, o artista receberá 25% da receita líquida do plano contratado. A depender do contexto econômico e sanitário, o projeto pode ser renovado por mais tempo.

    A iniciativa é oferecer apoio à primeira classe afetada pela pandemia, que já em março do ano passado precisou parar todas as suas atividades e ainda hoje sofre para retomá-las.

    Para ser contemplado, o artista de qualquer atividade cultural precisa fazer sua inscrição no site da Beetools. Uma vez inscrito, ele recebe um kit de comunicação com posts para redes sociais e um cupom a ser utilizado por quem se matricular em cursos da start-up via indicação do artista.

    “Nossa campanha segue alinhada a tantas outras iniciativas semelhantes de ‘adoção de artistas’, promovidas por associações e coletivos culturais, para dar suporte a esses profissionais profundamente afetados pela pandemia da Covid-19 e que são tão necessários para uma sociedade saudável, plural e diversa”, explica Rawlinson Terrabuio, CEO da Beetools. “Estamos entusiasmados com a ideia de poder ser apoio a esses profissionais que tanto nos alegram e nos fazem refletir sobre nós mesmos em um momento tão duro como o atual”, acrescenta.

    Para mais informações, acesse http://www.beetools.com.br/artistas/

  • A importância da brincadeira é tema de espetáculo virtual para escolas

    (Foto: Divulgação)

    Em “Brincar Brincar Brincar”, espetáculo encenado de forma virtual por Ligia Ferreira e Flávio Araújo, a brincadeira é homenageada e exaltada. A narrativa cênica será transmitida ao vivo em oito sessões para quatro escolas municipais de Curitiba, entre 29 de junho e 2 de julho.

    A equipe contatou as unidades para agendamento das sessões e os links foram enviados para as responsáveis e divulgados para as famílias e estudantes. Serão contempladas as escolas Margarida Orso Dallagassa, São Miguel, Elevir Dionisio e Governador Leonel de Moura Brizola.

    Crianças que não brincam mais

    “Criamos esse trabalho para falar da importância de viver intensamente o período da infância. A brincadeira é a natureza da criança. Infelizmente, percebemos que ela pode estar perdendo espaço para outros elementos do mundo contemporâneo”, comenta a atriz.

    O texto, de autoria de Ligia, se passa numa vizinhança muito tranquila, baseada em sua rua de infância, com personagens inspirados na vida dos dois artistas e em parentes seus. Lica, Kiko, Guiga, Luna e Nano são crianças acostumadas a brincar na rua e na floresta todos os dias. De repente surgem na vida de Guiga, Luna e Nano misteriosos elementos – t-ble-ta, g-ppin-sho e são-vi-le-te – que alteram a rotina da garotada. Os amigos Lica e Kiko entram então numa aventura para resgatar as outras crianças.

    Durante a apresentação, Flávio Araújo utiliza instrumentos diversos para a sonoplastia, como reco-reco, piano, alfaia, cajón, blocos sonoros, campainha de bicicleta, calimba, dentre outros. “Os sons criam ambientes relacionados à história e sugerem sensações”, explica o músico. Ao longo da peça, a dupla ainda executa músicas compostas por Flávio que enriquecem a narrativa.

    Oficina  para educadoras

    O projeto também vai promover uma oficina de criação e narração de histórias para educadoras da rede pública municipal entre 28 de junho e 05 de julho. Por meio de um jogo desenvolvido por Ligia para criação de histórias e de orientações para o processo de narração, as professoras serão estimuladas a criarem  suas próprias histórias e narrativas cênicas.

    Sobre o projeto e os artistas: O projeto está sendo realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com Ligia Ferreira como atriz, escritora, ministrante de oficina e coordenadora, e Flávio Araújo como compositor, músico, produtor e técnico de som, luz e transmissão.

     

  • Instituto História Viva grava mensagens de apoio aos profissionais da saúde. Envie a sua!

    Você gosta de histórias e quer ajudar outras pessoas? Chegou uma oportunidade para contribuir com seu otimismo e visão de mundo com aqueles que estão na frente de batalha contra a covid-19. O projeto “Histórias para Profissionais da Saúde”, do Instituto História Viva, recebe textos com mensagens de apoio a esses trabalhadores essenciais até 31 de julho (veja como fazer abaixo).

    Podem ser poemas, contos, depoimentos ou mensagens pessoais. Ao receber o texto, a equipe do Instituto irá gravar um vídeo de cerca de 1 minuto e enviar aos funcionários e equipe médica de quatro hospitais da região de Curitiba.

    “Agradecemos desde já o amor transmitido em cada mensagem recebida”, diz a fundadora e gestora do Instituto História Viva, Roseli Bassi. “Quem envia esse recado fala direto ao coração de médicos, enfermeiros, cozinheiros, maqueiros, faxineiros, enfim, todos aqueles que fazem esse trabalho fundamental e tão estressante neste momento.”

    Oficina capacita voluntários

    Quem deseja entrar para o Instituto História Viva como voluntário também pode participar da oficina “A Arte de Encantar com Histórias”, que acontece de 28 a 30 de junho, via Zoom, em duas turmas (veja o serviço abaixo).

    No minicurso, os aprendizes terão as principais noções sobre como transformar histórias de vida em contos de fada – que é a grande missão do Instituto. “Levamos alegria as pessoas em situações de fragilidade física e emocional, por meio da literatura oralizada”, explica Roseli.

    Em 16 anos de atuação, o Instituto já reuniu quase 4 mil voluntários para levar poesia a hospitais, lares de idosos e abrigos. Com a pandemia, foi preciso migrar para o digital, como ocorreu com todos os negócios, e os voluntários continuam a ser treinado e a colocar a mão na massa em prol de que mais precisa. Faça parte você também!


    SERVIÇO

     

    “Histórias para Profissionais da Saúde” - Chamada de mensagens para medicos, enfermeiros e todos os profissionais dos hospitais

    Envio das sugestões de texto, com título e autoria (se souber): contato@historiaviva.org.br até 31 de julho.

     

    OficinaA Arte de Encantar com Histórias
    Via Zoom
    Dias 28, 29 e 30 de junho
    Turma 01 - Das 8h30 as 11h30 hrs
    Turma 02 - Das 19h as 22hrs
    Contribuição: R$ 150
    Inscriçoes: voluntario@historiaviva.org.br

     

    Sobre o Instituto História Viva Fundado em 2005 pela gestora Roseli Bassi, o Instituto História Viva tem como objetivo maior transformar ambientes de dor e sofrimento por meio da literatura oralizada. Por meio deste trabalho, a ONG, que nasceu em Curitiba e, hoje, atua em vários estados brasileiros, tem incentivado a leitura, a educação e a cultura brasileira. Em 15 anos de existência, a entidade já formou 3.560 voluntários na arte de ouvir e contar histórias. Seus voluntários apresentam perfis variados e são capacitados a ouvir, escrever, contar e recontar histórias clássicas, casos de vida e contos da literatura brasileira no intuito de levar alegria a indivíduos em situações de fragilidade física e emocional. A seriedade desse trabalho tem rendido premiações diversas à entidade nos segmentos de cultura, educação e ação social. Saiba mais: www.historiaviva.org.br / www.facebook.com/institutohistoriaviva.

  • Cia. do Abração faz mostra online de seus 20 anos

    A Céu Vermelho promove entre os dias 24 a 27 de junho de 2021 a MOSTRA COMEMORATIVA ABRAÇÃO 20 ANOS/ ONLINE, patrocinado pelo PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA, FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA. O evento é uma oportunidade de compartilhar um recorte dos trabalhos desenvolvidos pela Cia. do Abração, ao longo dos seus 20 de história, com espetáculos direcionados ao público de crianças e também espetáculos direcionados ao público de jovens/adultos.

    As apresentações acontecerão no formato ONLINE, na plataforma do Youtube no canal da CIA DO ABRAÇÃO entre os dias 24 a 27 de junho de 2021, e contará com 04 apresentações, de 04 espetáculos. Destas (Dessas), 02 apresentações acontecerão em dias letivos, sendo que uma delas terá tradução simultânea em libras, direcionadas às crianças. As outras duas apresentações acontecerão no final de semana às 19h, para público de jovens e adultos.

     

    Os links das apresentações estarão disponíveis na página da CIA. DO ABRAÇÃO: WWW.CIADOABRACAO.COM.BR  a partir do dia 15/06/2021.

    Além das apresentações, também haverá atividade de caráter formativo, como oficina teatral, direcionada a jovens e adultos, a partir de 14 anos, interessados no fazer teatral. Essa atividade será realizada por meio da plataforma zoom e conta com a prévia de inscrição dos interessados.

    A diretora da Cia. do Abração, Letícia Guimarães, comenta que esta mostra vem nestes tempos desafiadores encontrar-se com as crianças, jovens, adultos, com as famílias, com os artistas e educadores, apostando na abertura do campo sensível e imaginativo da experiência estética e do fazer poético. “O teatro pode trazer muitas motivações para os pequenos e grandes e ajudá-los a dar sentido aos acontecimentos da vida. Estamos apostando nos valores perenes da arte enquanto forma de expressão do mundo simbólico na sua dimensão de troca. Nessa troca o belo se completa com a alegria e o prazer que emanam da convivência criativa. ” Estamos em festa. Comemorando a história de 20 anos de arte e resistência da Cia. do Abração. Temos a intenção de trazer a reflexão sobre a importância do teatro produzido continuamente por uma Companhia Curitibana, ao longo de 20 anos de história, para se chegar a valores imateriais que possam construir relações humanas subjetivas, essenciais e valorosas

    O evento também proporciona ao público de escolas públicas o acesso gratuito às apresentações, neste ano, transmitidas online. Nesse aspecto, o teatro surge como fator de integração social, possibilitando às crianças, que muitas vezes nunca assistiram uma peça de teatro, um outro olhar ou até uma possibilidade de ver e rever a própria infância com mais sensibilidade.

    Dentre a programação prevista, a mostra de espetáculos terá 100% de ingressos/acessos gratuitos, revertendo à população produtos culturais de qualidade.

     

    APRESENTAÇÕES E BATE PAPO AO VIVO

     

    De 24 a 27/06 sempre às 19h no canal da Cia. Do Abração no Youtube. Após cada apresentação haverá uma conversa ao vivo com os integrantes da companhia e convidados especiais que fizeram parte da criação de cada espetáculo. Neste momento, o público poderá participar do bate-papo através do chat da plataforma.

       

    RESUMO DOS ESPETÁCULOS DA MOSTRA

     

    MOSTRA PARA CRIANÇAS       

     

    SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO - DIA: 24/06, quinta-feira às 19h (espetáculo com tradução em LIBRAS)

    O ESPETÁCULO MAIS PREMIADO DE 2002 no estado do Paraná.

    Sinopse - O espetáculo Sonho de Uma Noite de Verão, primeiro espetáculo da Cia. do Abração, foi a grande revelação do ano de 2002 em Curitiba, angariando seis Troféus Gralha Azul – Prêmio Governador do Estado, são eles: melhor espetáculo para crianças – Cia. Do Abração, melhor diretor, melhor adereço, melhor sonoplastia, melhor atriz e atriz revelação.

     

    No Sonho de Uma Noite de Verão, adaptado pela Cia. do Abração, quatro velhinhos, contadores de estórias, que neste momento se encontram a serviço do Sr. Milkshakespeare, utilizam-se de objetos para contar esta estória que fala dos encontros e desencontros de dois casais. A ideia de trabalhar com manipulação de objetos parte do princípio que esta é a maneira que a criança naturalmente se utiliza para criar o seu próprio imaginário, o seu lúdico “Faz – de - Conta”. Assim, os personagens da história são representados por objetos do cotidiano, como um par de sapatos altos, uma gravata borboleta, etc.

    Na nossa versão, os reis da floresta brigam, não pelo seu pajem, mas pela posse do Livro dos Sonhos que, a nosso ver, pertence a todos e, o que passamos como mensagem é que quando a natureza entra em desarmonia, todos, que neste mundo vivem, brigam e se desarmonizam. Além disso, fazemos uma reflexão sobre a infância e a velhice, por isto, nossos doces velhinhos, no final da peça, acabam se tornando crianças ou libertando a criança que todos guardamos dentro de nós. Desta forma, trabalhamos com a ideia de fazer um teatro para crianças de todas as idades, sem menosprezar a inteligência de nosso público.

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

     

    LINK DA TRANSMISSÃO: https://youtu.be/UlsbnVLbRSo

     

    O MENINO QUE AMARRAVA TUDO– DIA 25/06, sexta-feira, às 19h 

    Inspirado na obra homônima de Guga Cidral

    Sinopse –Este foi o último espetáculo produzido pela Cia. do Abração e teve sua estreia em 2019.

     

    Essa história é de Léo, um menino muito criativo e sensível. Filho único de uma família feliz: de Dona Dulce, a mãe e de Seu Severo, o pai. Mas Léo não era como as outras crianças...sua comunicação verbal era incompreendida. Por isso, não tinha amigos e sua própria família tinha dificuldade com ele. Léo teve um avô querido, mas seu avô já tinha morrido. Seu único refúgio era o atelier de artes de sua mãe. Neste lugar mágico, Léo encontra refúgio para suas expressões secretas. Por isso, essa história se inicia dentro das gavetas do atelier de sua mãe. Ao abrir as gavetas, o menino descobre um mundo. Um dia, tirando um soninho no seu esconderijo secreto, sonha com seu avô, que lhe faz lembrar de muitos momentos em que viveram intensamente juntos. Momentos de alegria e momentos de tristezas. Neste sonho, Léo é levado, por seu avô a inventar cordões de amarrar tudo. Tira das gavetas fitas e cordões e neles, amarra tudo: papel, fotos, brinco perdido, lápis e muito mais. Esses cordões viraram longos varais recheados de lembrança e alegria e, com eles, caminha colorindo e descobrindo o seu próprio mundo. O melhor brinquedo já inventado pelo avô e seu neto.

    Quais sentimentos conseguimos amarrar? E quais queremos? A partir desses fios, Léo nos contará a sua história. Será esse fio a linha da vida? O Menino que Amarrava Tudo nos convida a embarcar no mais profundo. No "dentro de nós".

    Duração: 50min

    Classificação – Livre

    Link da transmissão: https://youtu.be/ohUdHpV-cJs

     

    MOSTRA PARA JOVENS E ADULTOS

     

    O BANHO - DIA: 26/06, sábado às 19h

    Sinopse – O espetáculo estreou em 2007, no projeto “Novelas Curitibanas”

    Neste espetáculo, tratamos o “Banho” como um fato social total, constituído não apenas dos elementos materiais e do uso que dele fazemos, mas elemento de mediação das representações simbólicas, num contexto de diversidade social e cultural, onde buscamos apreendê-lo dentro da dinâmica cultural contemporânea, especialmente no que se refere às inúmeras relações que se interpõem entre o ato de banhar-se e o que o banho produz na construção das identidades pessoais e coletivas.

    Somando estas ideias às diversas linguagens artísticas, construímos um espetáculo onde teatro, dança, música e artes plásticas se fundem para dar significado às ações cotidianas, aos lugares comuns, aos hábitos sedimentados. Para efeito de uma compreensão mais aprofundada da nossa própria cultura e, consequentemente, de todas aquelas com as quais entramos em contato num mundo cada vez mais globalizado e nem por isso, mais homogêneo. Assim teremos “o banho” como ato de purificação, de prazer e de renovação, mas também de construção da nossa inserção no mundo.

    O Banho nos convida a conhecer um pouco da nossa cultura, da nossa diversidade e principalmente da nossa intimidade, tanto estética quanto filosófica, propondo uma reflexão sobre nossas vidas cotidianas. Prazer, cansaço, dor, alegria, brincadeira, regeneração, revitalização serão alguns dos estados do corpo e da mente presentes em nosso processo de criação e de pesquisa e que servirão de alicerce para o espetáculo.

    Duração: 60min

    Classificação – Indicado para maiores de 16 anos. Contém cenas de nudez

    Link da transmissão: https://youtu.be/g2YUySnGg7U

     

    PELAS MÃOS DE MARIA OU AS VOZES DE SIMONE - DIA 27/06, domingo, às 19h

    Sinopse - O espetáculo estreou em 2016 – ano comemorativo dos 15 anos da Companhia do Abração, e conta com a assinatura do dramaturgo Edson Bueno e da diretora Letícia Guimarães. 

    Pelas Mãos de Maria ou as Vozes de Simone traz à tona a reflexão sobre o papel da mulher na sociedade, as diferentes formas de participação na história, assim como opressões vividas e um resgate da memória daquelas que se sacrificaram por direitos igualitários e humanos. O enredo, ambientado em uma cidade do interior brasileiro, em plena ditadura militar dos anos 70, conta a história de três mulheres que recebem do quartel militar a peculiar tarefa de costurar uma bandeira para ser exibida em uma parada na manhã seguinte. Nesse coser da bandeira, a história busca abordar o imaginário coletivo humano, as contradições manifestadas pelas personagens, simbolizando um território de pertencimento/despertencimento comum e contraditório, mediado e interligado pelo coser daquelas mãos de Maria e entoados pelas vozes de Simone.

    Duração: 60 min

    Classificação – Indicado para maiores de 14 anos

    Link da transmissão: https://youtu.be/Lhgyl289Lkw

     

    Sobre a companhia

     

    COMPANHIA DO ABRAÇÃO – CURITIBA: A Cia do Abração é um espaço de arte e cultura, fundado em 2001, por Letícia Guimarães e tem como proposta principal a pesquisa e produção teatral para todas as idades, embasados em dramaturgia própria e difundidas como espetáculos de repertório. Sua proposta estética está alicerçada na fusão de linguagens artísticas elaborada em investigações advindas de processos colaborativos. Além da dança e das artes visuais, trabalha e investiga as técnicas de manipulação de objetos, mímica, produção sonora e conhecimentos da antropologia.

     

    ATIVIDADE COMPLEMENTAR – OFICINA TEATRAL PARA JOVENS E ADULTOS ONLINE

     

    OFICINA: TEATRO FÍSICO – VIVÊNCIA SOBRE A PESQUISA REALIZADA PELA CIA DO ABRAÇÃO– 20 VAGAS NO TOTAL

    Transmitido, do espaço da Cia. Do Abração, por meio da plataforma ZOOM.

    25/06 (Sexta-Feira) Das 9:30h às 11:30h

    Vagas: 20 vagas disponíveis

    Público Alvo: Professores e jovens e adultos interessados

    Período de Inscrições: de 07 a 21 de junho.

    Inscrições através do whatsapp: (41) 99125 9595.

  • 6 meses de arte remota nas escolas

    (Foto: Divulgação)

    Em um período em que os espaços culturais estão fechados em razão da pandemia da Covid-19, os projetos culturais estão se reinventando e inovando, com o objetivo de levar ações artísticas para perto das pessoas, como forma de auxílio na manutenção psicológica, convergência comunitária e integração social. Dentro desta realidade, o Programa Guritiba – projeto cultural e social que tem como principal foco a democratização do acesso à arte para crianças e suas famílias –, atuará durante a temporada 2021, em meio a pandemia, de forma remota e híbrida. O desafio foi grande ao transformar as atividades presenciais em virtuais, mas, segundo a coordenadora do programa, a produtora Carol Scabora, as ações já se mostram significativas tanto para a classe artística, como principalmente para as crianças e educadores que serão assistidos pelo projeto. “Mais do que nunca a arte se faz necessária neste período em que estamos passando, principalmente, no cotidiano das crianças e dos adolescentes. Ela é fundamental no aprendizado, pois promove uma atitude participativa na construção dos sentidos artísticos: sensibilização, percepção, criação, imaginação. Por conta desta necessidade durante a pandemia, os educadores e as instituições estão aderindo ao Programa Guritiba de forma híbrida, como auxilio importante educacional e social”, explica Carol.

    Além de formar plateia, com apresentações de espetáculos teatrais e musicais de forma online, o Programa Guritiba também oferecerá oficinas em arte educação para alunos, bem como formação extra-curricular para educadores. O objetivo é atuar em três frentes de desenvolvimento cultural, que geram um resultado mais convergente. “Levamos para dentro das escolas e instituições sociais os espetáculos. Mas, também atuamos junto dos educadores, com formação extra-curriculares que ajudam os profissionais da aprendizagem no auxílio de linguagem dinâmicas e criativas que a arte proporciona", completa a produtora.

    Programação de junho conta com atividades de artistas premiados

    Com uma programação extensa de atividades, o projeto nesta edição terá duração de oito meses. O primeiro espetáculo teatral disponibilizado para as escolas e instituições de forma online, que será aplicado durante o mês de junho, será o “Fuzuê do Pererê”, do Grupo Tupi Pererê, que é um recorte para todas as idades com jogos cantados e contos da cultura popular brasileira. Com aprofundamento pedagógico, os integrantes exercem dupla função, como artistas e, também, como educadores. O Programa Guritiba disponibilizará a apresentação para grupos sociais que frequentam unidades de acolhimento e as crianças que voltaram às aulas, dando suporte de projeção e de equipamentos para a instituição participante.

     

    Na oficina de arte educação para os alunos no mês de junho, atividade online e dinâmica com o arte educador Guga Cidral, conhecido por suas pesquisas de arte e infância. Cidral é músico, ator e brincante, com  formação em Contação de História pela Casa do Contador de Histórias. Como educador em arte, coordena os trabalhos de educação infantil em diversas escolas de Curitiba, bem como foi indicado ao prêmio Jabuti pela coleção “Além das Notas”, escrita em parceria com a Ms. Ana Paula Peters. As atividades estarão disponíveis por meio do site programaguritiba.com.br.

     

    Já entre as atividades de formação extra-curricular para educadores, o Programa Guritiba promove o workshop “Palhaçaria em movimento para Educadores”, que visa estimular a arte do palhaço por meios pedagógicos, auxiliando no trabalho dos professores e alunos durante a pandemia nas aulas remotas, quebrando monotonias e trazendo maior atenção à aula, bem como fortalecendo o desenvolvimento de competências da comunicação entre alunos, professores e pais, de forma criativa e lúdica.

     

    Escolas e Instituições podem se cadastrar para receber o projeto

     

    As escolas e instituições educacionais e sociais que queiram as atividades desenvolvidas pelo Programa Guritiba junto de seus educadores, alunos ou assistidos, devem se cadastrar em um formulário simples no site do projeto (https://programaguritiba.com.br/como-participar/). O Programa Guritiba disponibiliza as apresentações de forma online e física, com todo o suporte de equipamentos, projeções dos conteúdos, auxílio de alimentação e mediação, bem como também concedendo os links das atividades, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária de combate e prevenção da Covid-19. “O Programa Guritiba traz uma possibilidade de atividades necessárias de integração, educação, arte e formação, bem como uma inclusão digital neste momento de pandemia, em que foi preciso mudanças de hábitos e distanciamento social, se tornando uma excelente aliada nesse contexto atípico. Como disse Nietzsche ‘a arte existe para que a realidade não nos destrua’, e, de fato, faz jus as necessidades atuais educacionais e sociais”, finaliza Carol Scabora. O conteúdo exibido do Programa Guritiba terá toda acessibilidade requisitada pelo espaço – quando necessário – e toda sua distribuição é realizada de forma gratuita.

     

    Programa Guritiba é uma realização do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial da Cultura, apresentado pela New Holland Agriculture, Caterpillar e Banco CNH, com patrocínio da Fibracem e Novozymes, em parceria com o BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, LaquilaBerneck e Schattdecor. Acompanhe o programa pelas redes sociais, pelo Facebook @programa.guritiba, pelo Instagram @programa.guritiba ou pelo site www.programaguritiba.com.br

     

  • Jornalista curitibana lança primeiro livro de poesias

    (Foto: Acervo pessoal)

    Publicado pela Quintal Edições, por meio de projeto aprovado na Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte (2020), o livro “O Mistério de Haver Olhos”, da escritora e jornalista curitibana Luciana Eastwood Romagnolli será lançado no dia 17/06 em live no canal do YouTube da casa editorial belo-horizontina. Durante o encontro virtual, haverá um bate-papo com a autora, exibição de videopoema dirigido pela cineasta mineira Clarrisa Campolina, o sorteio de exemplares e uma leitura de poemas realizada pela atriz baiana Laís Machado, que participou do FIT-BH 2018 com a peça-instalação “Quaseilhas” e do CineBH 2020 com o filme “Canção das Filhas das Águas”.

    “O Mistério de Haver Olhos” pode ser entendido como um reencontro - quase um acerto de contas - de Luciana com a poesia. Foram poemas, principalmente os de Cecília Meireles e Fernando Pessoa, que estiveram entre suas leituras de cabeceira durante a adolescência, a impulsionaram à escrita e formaram sua sensibilidade estética numa cidade do interior paranaense (Umuarama), onde havia pouca oferta de atividades artísticas. No entanto, diante da perda do pai, assassinado em 2003, foi como se uma “[...] primeira/ muralha das/ muitas maiores/ que as chinesas” tivesse se erguido entre ela e a poesia.

    Encontrados na seção “Essa coleção de objetos de não amor” (título que homenageia o poema “Quero”, de Carlos Drummond de Andrade), os versos acima, mais do que representar aquela angústia, também apontam para a própria jornada de desvelamento e refazimento que atravessa o livro. “São versos de uma vida inteira. Ciclos de vida, de nascimento e morte”, diz Luciana.

    “O Mistério de Haver Olhos” se desdobra em seis diferentes seções, nomeadas com versos de Drummond, Pessoa e Cecília, além de Adélia Prado. "São frases que ficaram presentes na minha cabeça, me acompanhando, como se fossem passarinhos, ali, cutucando. De alguma forma, elas revelam o que estava pulsando no momento da escrita e ressoa em cada conjunto de poemas”, conta. No conjunto dos textos, Luciana identifica uma espécie de travessia “de um início mais mortificado para uma possibilidade de reaver a vida”.

    Uma passagem pelo luto, especialmente a morte do pai, o que implicou no afastamento da poesia até sua reconexão com esta após o nascimento do filho. Outras questões como a posição da mulher na sociedade e a reflexão sobre a maternidade também estão projetadas no livro de forma que os temas se deslocam entre o público e o íntimo. Ao tratar desses aspectos, a escritora não buscou satisfazer discursos contemporâneos, e sim indagar de que modos o feminino ainda pode ser abordado, sem ficar restrito às identificações disponíveis.

    “Estou interessada em abrir espaço para falar da dor, do luto, daquilo que não está cabendo nas discussões porque não está na moda nem engaja nas redes sociais. Há uma busca por outras facetas do feminino que para mim são importantes e eu já não estava encontrando espaço para elas”, observa. “Aí entra, por exemplo, uma experiência de maternidade que nem é a idealizada nem a recusada, tampouco atende a manuais. Então, há uma pergunta: como pode haver o estranhamento singular de uma mulher diante da maternidade? Há algo nisso que me interessou na hora da escrita”.

    Investigação pelo estranhamento

    Com uma trajetória reconhecida no jornalismo cultural e no exercício da crítica de teatro, em jornais como a “Gazeta do Povo”, de Curitiba, e “O Tempo”, de Belo Horizonte, e no site “Horizonte da Cena”, do qual é fundadora, Luciana também é pesquisadora do teatro com doutorado pela USP e integrou a curadoria de festivais como o FIT-BH 2018 e a MITsp 2017 e 2020. Antes de estrear na poesia, ela se dedicou ao teatro.

    “Sempre fui muito ligada à escrita, mas segui a via da racionalidade por algum tempo. Até que o teatro me trouxe esse susto do corpo, da presença." A poesia, a seu ver, não se afasta disso, e permite um tratamento corpóreo da linguagem, pela materialidade das palavras e suas ressonâncias nos corpos. “Inclusive, para a psicanálise lacaniana, que venho estudando, é muito importante esse choque das palavras no corpo, é o que nos constitui como sujeitos. Acho que nesse livro há um processo de tentar alguma forma de reconciliar as palavras e o corpo”, comenta.

    A poesia surge, para ela, como outra via de investigação de linguagem. “Ela me permite sair um pouco dos discursos correntes”, ressalta. O caminho que se abre é de uma “investigação pelo estranhamento”, algo que Luciana também busca instigar nas pessoas ao lançar o livro no momento em que a sociedade enfrenta incomensuráveis perdas durante a pandemia.

    “Eu espero que de alguma forma, para alguém, esse livro também chegue como uma possibilidade de sustentar o espanto. Esse é um momento em que, talvez, a gente precise disso diante do horror que está vivendo, como uma forma de se haver com ele, não simplificar, não polarizar, não se alienar; é uma forma de olhar com respeito para as pessoas que estão indo embora”, conclui Luciana.

    Além de livro impresso, “O Mistério de Haver Olhos” também vai estar disponível em formato digital (PDF) e na versão audiolivro, com gravação da premiada atriz, diretora e dramaturga mineira Grace Passô.

    SERVIÇO

    Lançamento do livro “O Mistério de Haver Olhos”: Dia 17/06, às 19h.

    No canal da Quintal Edições:

    https://www.youtube.com/channel/UCU_usdYa90larBRY-EiSs-A/videos

    Live com bate-papo com a autora, sorteio de exemplares, exibição de video-poema dirigido por Clarissa Campolina e leitura de poemas feita pela atriz baiana Laís Machado, no canal do YouTube da Quintal Edições:

  • Menino Dumont ganha o palco em "SobreVoar"

         Inspirada em Santos Dumont e produzida pela Cia. do Abração, a atração “SobreVoar” será transmitida ao vivo no dia 23 de maio (domingo), às 16 horas, pelo canal no Youtube da Fundação ArcelorMittal e na página do Facebook do Diversão em Cena.

    O espetáculo retrata Santos Dumont criança, na figura do garoto Albertinho Dumundo, apresentado como um menino que vive numa dimensão atemporal de sonhos. Entre travesseiros, edredons, chapéus e uma mágica cama, Albertinho dialoga com instigantes personagens em um mundo cheio de imaginação.

    Há 14 anos a Cia. do Abração – Espaço de Arte e Cultura, desenvolve pesquisa de teatro e dança contemporânea, oferecendo à comunidade eventos culturais e peças teatrais. Os temas são, preferencialmente, obras literárias ou assuntos relevantes de arte e cultura brasileira.

     

    Considerado o maior programa de formação de público para teatro infantil no Brasil, o Diversão em Cena ArcelorMittal é viabilizado por meio das Leis de Incentivo à Cultura Federal e Estaduais (São Paulo e Minas Gerais). Ao longo de mais de uma década, cerca de 500 mil pessoas já conferiram aos mais de 1,3 mil espetáculos apresentados.

               Em decorrência da pandemia, o programa adota o modo remoto para apresentação das atrações de maneira segura.  Seguindo todos os protocolos sanitários preconizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O Diversão em Cena não abre mão do seu objetivo: contribuir para a democratização da cultura e oferecer uma programação regular de qualidade.

     

     

    SERVIÇO | DIVERSÃO EM CENA ARCELORMITTAL

    “SobreVoar”

    Data: 23 de Maio - Domingo

    Horário: 16h

    Links de acesso

    Link do Youtube: https://youtu.be/DHauMdUHn6A 

    Link do Facebook: https://fb.me/e/Jd7hN0tP 

     

    <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/DHauMdUHn6A" title="YouTube video player" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>