Tudo em seu lugar

Tudo em seu lugar

Publicidade
Tudo em seu lugar

Quanto custa a sua bagunça?

Ter bagunça em casa tem um custo financeiro alto. Te convido a fazer essa conta, e tomar uma atitude!

Você tem um “Quartinho da bagunça” em casa? Quanto ele te custa?

Parece estranha a pergunta? Mas sim, a bagunça tem um custo, e não é baixo.

E aposto que você não contava com ela quando escolheu o imóvel onde mora. Eu particularmente nunca ouvi alguém dizer “Preciso de um apartamento de 3 quartos, pois tenho 1 filho e 1 bagunça”. Ninguém planeja, mas para muita gente ela aparece, tira o sossego, e gera custos. Se você tem um ambiente assim, te encorajo a ler esse post e mudar sua atitude!

 

  1. Bagunça gera estresse.

Ainda que você seja do tipo que “se encontra em sua bagunça”, posso garantir quemesmo pra você a desordem gera estresse. Não é algo que você consiga evitar, seu cérebro está programado para te alertar sobre situações de risco (vai que você se perde na bagunça, né?! Haha!).

Brincadeiras a parte, no fundo você sabe que a situação não é a ideal. Isso faz com que seu cérebro envie um “alerta” cada vez que você passa pela bagunça. É uma pendência a ser resolvida. Esse alerta diário, várias vezes por dia, é muito prejudicial a sua saúde.

 

  1. Você acha que tem. Mas não tem.

O maior vilão da bagunça é, sem sombra de dúvidas, o excesso. Quem tem coisas demais tende a ter mais dificuldade a arrumar lugar para tudo, obviamente.

Mas por que as pessoas têm mais coisas do que precisam?

Resposta padrão: “Porque posso precisar no futuro”.

Acontece que essa justificativa não tem validade se seu ambiente estiver bagunçado, por um motivo muito simples: quando você precisar do objeto em questão, não será capaz de encontra-lo. E se você não pode achar algo que tem, é como se não tivesse, não é verdade?

 

  1. Bagunça gera gastos desnecessários.

       De carona com o item anterior, vamos voltar ao ponto em que você tem coisas para “quando precisar no futuro”. Aí, de repente, você precisa de 4             pilhas tamanho AA. Você sabe que tem, você comprou há dois meses. Mas não sabe onde está. Pergunta: Você vai virar o quarto de ponta cabeça         para achar as pilhas, ou vai seguir o caminho mais fácil, e comprar um novo pacote?

       Vou chutar que você compraria outro. Porque se você fosse do tipo que vasculha o quarto da bagunça, você provavelmente não teria mais um                 quarto de bagunça, para começo de conversa! Então você gasta o dobro, porque compra algo que já tem.

 

  1. Você paga mensalmente para abrigar a bagunça.

Se até agora eu não te convenci, talvez você precise ver uns números. Pois aí estão:

Vamos supor que você more de aluguel em um apartamento de 85m², e tenha um quarto de 5m² ocupado somente por “coisas”.

Aluguel + condomínio: R$3.000,00

Custo mensal por m²: R$ 35,29, custo mensal do quarto: R$176,47.

Em 1 ano você gasta R$2.117,64 para abrigar as “coisas que você pode precisar”.

Quanto custa um pacote de pilhas mesmo? Sério. Você acha que vale a pena?

 

  1. A bagunça te afasta do real propósito do seu lar.

Pra mim esse é o custo mais alto da bagunça.

Quando você escolhe uma residência, você faz planos, imagina sua família naquele ambiente, e visualiza cada espaço em todo o potencial. Você planejou ter um lugar tranquilo para te abrigar ao final de cada dia. O que aconteceu no meio do caminho?

Se as suas “coisas” estão te incomodando, tome uma atitude! Recupere o controle! As coisas devem te servir, e não o contrário!

Olhe para o espaço em desordem, e se pergunte: O que eu poderia fazer com esse espaço, se essa bagunça não estivesse aqui? Faça desse um objetivo, e lute por ele!

Se você tem um tempo para dedicar a essa tarefa, priorize!

Se você não tem tempo, peça ajuda! As Personal Organizers estão aí pra isso! 

Se livrar da bagunça irá te fazer se sentir mais livre em aspectos que transcendem a sua casa. Vale o esforço, de verdade!

Depois me conte como foi! 

 

E, claro, se optar por pedir ajuda, lembre de visitar o meu site: www.justperfect.com.br, ficarei feliz em te ajudar nesse processo!

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES