jota eme
Jota Eme em “Fênix, o Lutador” (Divulgação)

A nobre arte de recomeçar é o tema da peça teatral “Fênix, o Lutador”, com texto de Saulo Adami, estrelada por Jota Eme e dirigida por Moa Leal. A estreia é na sexta-feira (24 de novembro), às 20h, e as apresentações seguem no sábado (25), mesmo horário, e no domingo (26), às 19h, no auditório Glauco Flores de Sá Brito (Miniauditório). Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada).

A obra, ambientada na Curitiba do final da década de 1950, usa um ringue como cenário para contar a história de Jota Fênix, pugilista invicto que tem a chance de disputar o título mundial de boxe.

No dia de sua grande luta, surpreendido pelo adversário, ele é nocauteado e entra numa viagem espiritual até as suas origens para reencontrar seu mentor, o avô Friebe Balboa, com quem busca forças para voltar à luta.

“A peça é sobre retomadas. O protagonista chega à luta mais importante da carreira, perto de tudo o que sempre sonhou, mas cai da maneira mais violenta possível. Essa queda já aconteceu ou vai acontecer com todos nós em alguma medida. A peça trata do que é preciso fazer para se levantar e de como a vida é um eterno recomeçar”, explica Adami.

A peça
Segundo o autor, “a peça tem 30 minutos, mais ou menos o tempo de uma luta de boxe com 12 assaltos e o período que a coluna e a bexiga humanas aguentam sem sofrer”.

Quem encarna o boxeur no palco-ringue é o ator Jota Eme com quase quatro décadas de carreira e mais de 50 peças no currículo e 30 filmes, como ator e diretor.

Produtor da peça independente, Jota Eme foi quem encomendou o texto temático ao autor. “O texto foi escrito com muito amor e assim será montado. O boxe é um esporte que gosto muito, visualmente impactante e que serve como uma boa metáfora da vida que, muitas vezes, é um soco no nosso estômago” explica.

O personagem do mentor do protagonista é uma homenagem ao ator e diretor Paulo Friebe, falecido em 2006. “Ele é uma presença eterna na minha vida e carreira. Sempre foi um lutador, mas que nunca batia abaixo da linha da cintura”, disse Jota Eme. O papel do vovô Friebe ficou com o ator Luiz Berthier, que tem mais de 30 anos de carreira.

“Teatro Possível”
Uma semana antes, no dia 14 de novembro, no Nina Comida com Arte, às 17h30, o escritor Saulo Adami lança o livro “Teatro Possível” (Estrada de Papel, 2023) que reúne seus textos teatrais mais expressivos escritos a partir da década de 1980.

Autor de 150 livros, o escritor e editor Saulo Adami nasceu em Brusque, Santa Catarina, em 21 de fevereiro de 1965. Começou a escrever aos nove anos de idade, e aos dez anos montou a primeira de suas 32 peças teatrais.

Serviço:
Apresentação: 24 a 26 de novembro de 2023

Sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h

Local: auditório Glauco Flores de Sá Brito (Miniauditório)

Tempo de duração do espetáculo: cinquenta minutos

Classificação: livre

Especificação do espetáculo: teatro

PREÇO ÚNICO:
R$ 40,00 (quarenta reais)

Valores para meia-entrada caem pela metade.
Taxa de administração: 10% do valor do ingresso

Ingressos: DeuBalada.com