Lançamento

150 anos de arte do Paraná em livro

Desenhista, pintora e aquarelista Iria Correa estudou técnicas artísticas com professores americanos que fundaram o Colégio das Meninas em Paranaguá. Começou pintando temas bíblicos; retratos, paisagens e naturezas mortas. Seu primeiro trabalho assinado data o ano de 1857 por isso é considerada a primeira artista paranaense. É a partir da sua história que a jornalista Neri Baptista apresenta no livro/catalogo 150 Anos de Arte Paranaense, 347 outros artistas. Um trabalho que consumiu quase uma década chega agora às livrarias com lançamento hoje,na Biblioteca do Museu Oscar Niemeyer (R: Marechal Hermes, 999), a partir das 18h30, com entrada gratuita.

Este catálogo tem por objetivo divulgar uma relação de artistas que, pelo seu talento e sua significativa produção estrelaram o cenário artístico paranaense, e assim considero os seus representantes, segundo Neri.

A pesquisa histórica remete a uma época anterior ao Paraná existir como Estado. Desses 348 artistas, a metade mulheres, grande parte é nascida fora do Paraná, mas escolheram a região como seu novo lar. Segundo Baptista a grosso modo, a característica da arte paranaense evoca a paisagem com pinheiros, Tema que talvez seja eterno, opina a jornalista que ressalta que no Paraná, desde os seus primórdios, a arte surgiu cresceu e continuou não só bastante eclética, mas universal, acompanhando tendências globais em suas épocas. Mesmo porque, este era o seu destino, já que o entrelaçamento com estrangeiros, suas técnicas e estilos sempre foi muito intima, revela Neri que complementa Não tenho a pretensão de apresentar um catalogo sem lacunas ou falhas, mesmo porque, a abrangência do assunto é uma questão relativa, dependente da visão de cada pesquisador.

O livro 150 Anos de Arte Paranaense é um marco na história das publicações. Ele contempla de A a Z e destaca nomes renomados como Poty Lazzarotto, Theodoro De Bona e Juarez Machado, além de Cláudio Seto e outros que marcaram época nos principais jornais do Estado.