Publicidade
Violência

Bolsonaro diz não poder controlar atos de seus apoiadores

Bolsonaro diz não poder controlar atos de seus apoiadores
Rapaz foi atingido com garrafas de vidro (Foto: Divulgação)

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, pediu nesta quarta-feira (10) para que seus apoiadores e simpatizantes não pratiquem atos de violência e agressão. Em sua conta do Twitter, a partir de uma entrevista concedida pelo candidato, ele reiterou que não tem controle sobre as pessoas e disse que é “a prova viva” da intolerância.

“Esta pergunta não deveria ser invertida? Quem levou a facada foi eu. Um cara lá, que tem uma camisa minha, comete um excesso, o que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle sobre milhões de pessoas que me apoiam. Agora, a violência vem do outro lado, e eu sou uma prova viva disso”, disse o candidato.

Bolsonaro negou que há um clima bélico na campanha, acirrando ânimos e provocando episódios de violência. “Não está tão bélico assim, está um clima acirrado, de disputa, mas são casos isolados, que a gente lamenta e espera que não ocorram”, alegou o candidato do PSL à presidência. 

Na terça-feira (9), em Curitiba, um rapaz de 26 anos, que estava de camiseta vermelha e boné do MST, foi atacado por seis simpatizantes de Bolsonaro nas proximidades da Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O delegado-titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHHP), Luiz Alberto Cartaxo Moura, disse que os autores foram identificados e são integrantes da Império Alviverde, torcida organizada do Coritiba. A polícia trabalha em três linhas de investigação. “Uma simples ‘rixa’ na rua, uma briga por causa da torcida e uma agressão com viés político”, afirmou Cartaxo. 

DESTAQUES DOS EDITORES