Publicidade
Eleições 2018

À espera do TSE, Haddad reafirma estratégia pró-Lula em Curitiba

"Haddad, em caminhada no Centro de Curitiba, hoje:\" A defesa do Lula \u00e9 mais importante do que qualquer estrat\u00e9gia eleitoral\""
"Haddad, em caminhada no Centro de Curitiba, hoje:\" A defesa do Lula \u00e9 mais importante do que qualquer estrat\u00e9gia eleitoral\"" (Foto: Franklin de Freitas)

O candidato do PT a vice-presidência da República e ex-prefeito Fernando Haddad, participou hoje de caminhada em defesa da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na véspera do dia em que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode julgar ação sobre a possibilidade de participação do líder petista na propaganda política de rádio e televisão. Haddad visitou Lula na sede da Polícia Federal, onde ele está preso desde abril após ser condenado pelo juiz Sérgio Moro no caso do tríplex do Guarujá, e reafirmou a estratégia do partido de insistir na candidatura do ex-presidente, mesmo diante das dúvidas jurídicas sobre o processo. O vice desconversou sobre o que a legenda deve fazer caso o TSE rejeite a participação de Lula na propaganda eleitoral.

“Eu vim especificamente para colocar para ele (Lula) os cenários jurídicos possíveis uma vez que a jurisprudência é firme a nosso favor, mas vem sendo reinterpretada”, disse. “O que nós temos são cenários jurídicos apenas sobre o uso de nosso tempo no horário de TV”, limitou-se a dizer. “A defesa do Lula é mais importante do que qualquer estratégia eleitoral”, argumentou Haddad.

O vice petista também voltou a afirmar que a recomendação do comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) para as autoridades brasileiras, defendendo que ele seja autorizado a disputar a eleição, aumenta a pressão sobre o governo do país. “Eu acredito que a manifestação da ONU deflagrou um processo que já vinha acontescendo na âmbito internacional, mas ela deflagrou uma onda muito mais rigorosa. Porque as pessoas que acompanham o Brasil e conhecem o presidente Lula já se sensibilizavam com sua situação. Mas depois da chancela de um organismo como o comitê de Direitos Humanos da ONU esse processo ganhou um volume, uma legitimidade muito maior”, avaliou.

“Eu tenho a certeza de que isso só tende a crescer. Sobretudo se as autoridades brasileiras desrespeitarem isso que é mais do que uma recomendação, é uma determinação a um país que afinal de contas, aprovou no seu Congresso Nacional a incorporação de um tratado como lei nacional”, comentou.

Primeiro turno - Haddad afirmou que se Lula for candidato, poderá vencer a eleição no primeiro turno. “Hoje o povo está muito consciente do que se passou nesses dois anos. Foi um atentado contra a soberania nacional, popular. É isso que o povo sente no dia a dia quando vai no mercado, quando vai procurar emprego, quando não consegue pagar a universidade. É isso que as pessoas estão sentindo. E querem a volta de tempos melhores, por isso o Lula é tão forte nas pesquisas”, considerou ele.

Assista o vídeo da caminhada de Haddad:

 

Leia mais sobre eleições no blog Política em Debate

 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES