comportamento

Abaixo aos padrões, quem importa é você

Olha a beleza toda da Marina Salmaso com peça da sua @maar.brand
Olha a beleza toda da Marina Salmaso com peça da sua @maar.brand (Foto: Fotos: Pinterest/Reprodução)

Desde quando o corpo passou a ser mais importante do que a pessoa que nele habita? Substitua “corpo” por “cor da pele”, “tipo de cabelo”, “idade” e se pergunte de novo: desde quando a gente deixou de ser mais importante do que os padrões, os modismos e a opinião alheia?

Vendo o perfil no Instagram da jornalista Marina Salmaso (@msalmaso), que acaba de lançar uma linha de roupas para mulheres reais, fiquei pensando na batalha diária de quem está fora dos padrões bizarros, que teimam em nos compartimentar. Ela fala que o tempo que você passa se odiando — ou odiando seu corpo, sua pele, seu cabelo, sua idade — é um tempo perdido. E é isso aí mesmo. Ou a gente se aceita e se ama como é e começa a olhar e dar valor a sua própria beleza, ou perde tempo, perde vida, perde felicidade.

A Marina resolveu fazer roupas que caibam nas mulheres que gostam da sua proposta de estilo e divulgar grifes que tenham essa mesma vibe. A indústria da moda que trate de fazer o mesmo e entenda de uma vez por todas que a beleza é plural. Senão, somos nós que teremos de procurar a nossa turma e deixar de lado as marcas caretas.

Era pro jeans ser democratico, mas nem sempre você acha o que gosta do seu tamanho. A Marina dá dicas legais para quem está na mesma busca

Quem disse que a moçada curvy tem de ser careta? Olha que graça de produção

Gosta de cor? Se joga! Assuma seus gostos e suas formas, você vai se sentir mais feliz

Terninho com cinto e padronagem xadrez fica cool e sexy