Publicidade
Ação Social

Abrigos da FAS têm novo recorde de acolhimento a pessoas em situação de rua

(Foto: Daniel Castellano / SMCS)

Os abrigos da Prefeitura tiveram novo recorde de acolhimento na última noite, a mais fria do ano. Entre as 18h desta quarta-feira (1/7) e 7h desta quinta (2/7), 800 pessoas em situação de rua foram acolhidas nas unidades do município, onde podem dormir protegidas, em camas com cobertores, além de tomarem banho quente, receber roupas limpas e se alimentar. Em dias em que a temperatura é normal, 350 pessoas, em média, usam o serviço.

Foi o maior número de acolhimento registrado nas Ações Inverno - Curitiba que Acolhe, desde o ano passado, quando a Fundação de Ação Social (FAS) passou a notificar o trabalho de resgate nas ruas.

A Ação Inverno é realizada todos os anos e tem o trabalho ampliado sempre que a temperatura é igual ou menor a 9 graus, principalmente no período das 18h às 24h. “O objetivo é garantir que as pessoas estejam acolhidas antes da madrugada, quando normalmente o frio é mais intenso”, explica a diretora de Atenção à População em Situação de Rua, Vanessa Resquetti.

Procura espontânea

Das 18h às 24h, 14 equipes da FAS percorreram as ruas de Curitiba para resgatar pessoas que estavam desprotegidas. Nos demais horários, o trabalho seguiu a rotina de atendimento feito pela Central de Encaminhamento Social 24 Horas.

Durante toda a noite, foram feitas 219 abordagens sociais, 76 delas solicitadas por meio da Central 156 e pelo aplicativo Curitiba 156. Em 105 atendimentos, as pessoas aceitaram seguir com os educadores sociais até os abrigos, mas em outros 100, as pessoas se recusaram a deixar as ruas, mesmo com o frio. Durante a madrugada os termômetros registraram 3 graus, com sensação térmica de 1º grau.

Em 62 pedidos de abordagem, as equipes se deslocaram até o endereço indicado, mas não encontraram ninguém no local.

Os abrigos atenderam ainda 181 pessoas que procuraram acolhimento espontaneamente, além de 514 que são acompanhadas permanentemente nas unidades do município, onde moram até que consigam a autonomia necessária para deixar as ruas.

Com sintomas gripais, seis pessoas foram levadas para unidades de isolamento, uma precisou de atendimento do Samu e outras duas foram levadas pelas equipes até unidades de pronto atendimento (UPA).

Quatro pessoas foram acolhidas nos abrigos onde existem canis, por estarem com cães de estimação. O Conselho Tutelar foi acionado para atender um adolescente que também foi acolhido.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES