Sem Plano B

Acordo com Ministério da saúde força Butantan a cancelar acordo com prefeituras do PR

(Foto: Itamar Crispin/Fiocruz)

O Instituto Butantan deve formalizar na próxima segunda-feira (18) que todos os acordos para venda da vacina CoronaVac com prefeituras serão cancelados. De acordo com o presidente do instituto, Dimas Covas, todas as doses da vacina CoronaVac serão entregues ao Ministério da Saúde, assim que a Anvisa aprovar o uso emergencial ou o registro da vacina, o que está previsto para acontecer neste domingo (17). No Paraná, pelo menos duas prefeituras tinham fechado acordo com o instituto para fornecimento da vacina, Curitiba e Ponta Grossa. Em todo o País, 184 municípios iprocuraram diretamente a direção do Instituto Butantan para pedir a CoronaVac. Assim que o acordo for fechado com o Ministério da Saúde, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) assume a distribuição da vacina.

“O Instituto Butantan esclarece que todos os contratos firmados com o Ministério da Saúde possuem cláusula de exclusividade. Não há nenhuma novidade em relação a essa questão. A partir do momento em que o Butantan fornece as doses ao órgão federal, cabe ao Programa Nacional de Imunizações distribuí-las aos estados, conforme os quantitativos solicitados pelas Secretarias de Saúde, inclusive a de São Paulo”, diz nota do instituto. 

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e o prefeito de São Paulo João Doria Jr tinham confirmado a compra de doses da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, desenvolvida em parceria pela farmacêutica chinesa SinoVac, no dia 16 de dezembroEm um vídeo postado por Doria em seu perfil no Twitter, Doria aparecia conversando com Greca. “Quero agradecer que tenha se disponibilizado a conversar conosco”, disse Greca. “Você foi um dos primeiros a fazer a opção pela vacina do Butantan. Nossos heróis estão salvando vidas e protegendo as pessoas”, respondeu Doria. Greca replicou. “Agradeço ao Instituto Butantan a formalização do nosso acordo. O grande esforço de São Paulo se desdobre também Fiocruz, do Rio de Janeiro, e de todos os laboratórios que sejam eficazes e capazes de fornecer à imensa população do brasil a imunização", afirmou o prefeito de Curitiba. O plano era distribuir a CoronaVac para os profissinais de saúde do município. O ex-prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel também tinha alinhavado acordo com o Buntantan e pretendia distribuir as doses para os profissionais de saúde.