Solidariedade

Adoção de cartinhas do Papai Noel dos Correios é prorrogada até segunda

(Foto: Divulgação)

Ainda dá tempo de participar da 30ª edição da campanha Papai Noel dos Correios. No Paraná, das 44 mil cartinhas selecionadas, 21 mil permanecem à espera de padrinhos e madrinhas. Em Curitiba, o prazo para adoção pela internet foi prorrogado até a próxima segunda-feira (2). Mas os interessados também podem ir a um ponto de adoção dos Correios para pegar cartinhas. Na capital, as cartas estão disponíveis até 5 dezembro nos seguintes endereços:

- Rua João de Negrão, 1251, Rebouças - Casa do Papai Noel (Segunda a sexta-feira das 9 às 18 horas e sábados das 9 às 13 horas);
- Rua Marechal Deodoro, 298, Centro (Segunda a sexta-feira das 10 às 18 horas);
- Rua Holanda, 202, Bacacheri (Segunda a sexta-feira das 9 às 17 horas);
- Avenida Manoel Ribas, 5631, Santa Felicidade (Segunda a sexta-feira das 9 às 17 horas).

Para saber os períodos em outras cidades do Estado, consulte o blog da campanha - http://blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios/ - ou procure a agência central dos Correios no município.

Entrega dos presentes – Padrinhos e madrinhas que já buscaram cartinhas nos Correios, mas ainda não levaram os presentes, não devem deixar para a última hora. Em Curitiba, os presentes devem ser entregues até 6 de dezembro, com exceção da Casa do Papai Noel, que receberá até o dia 7. As datas também variam de acordo com a cidade e devem ser consultadas no blog.

30 anos - A campanha, uma das maiores ações de solidariedade do país, acontece graças a uma corrente do bem que une os Correios, seus empregados e toda a sociedade na tentativa de atender aos pedidos de crianças que escrevem cartinhas ao Bom Velhinho.
No início, alguns empregados recebiam as cartinhas e, sensibilizados, adotavam as correspondências e enviavam os presentes. Assim como há 30 anos, até hoje empregados se vestem de Papai Noel e levam alegria e esperança por onde passam.
Com a participação da sociedade, a campanha ampliou seu alcance e seus objetivos de atender cartinhas de crianças, estudantes e de meninos e meninas acolhidos em creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos, alinhado ao trabalho de desenvolver a habilidade da redação de cartas, do endereçamento correto e do uso do CEP. Nessas três décadas, os padrinhos são figuras fundamentais para o sucesso da campanha.