Inserção

Adolescentes em semiliberdade fazem cursos técnicos

A Secretaria da Família e Desenvolvimento Social começou mais um projeto para Qualificação Profissional Básica nos Centros de Socioeducação (Censes) e Casas de Semiliberdade de todo Estado. Os adolescentes internados têm 23 opções de cursos nas áreas de administração, alimentação, construção e reparos, serviços, turismo e hotelaria e informática. O investimento é de R$ 3,8 milhões do Fundo da Infância e Adolescência (FIA) deliberado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca).

O projeto de Qualificação Profissional Básica tem a duração de 12 meses com turmas distribuídas em quatro ciclos de três meses. Serão 615 turmas nas 24 unidades socioeducativas em todo Paraná, com aulas teóricas e práticas.

Está em andamento o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) nos Censes de Toledo e Santo Antônio da Platina. As próximas unidades a receberem capacitação por este canal será Ponta Grossa e Foz do Iguaçu. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) ofertará 500 vagas para todas as unidades este ano. Queremos que o Pronatec-Sinase esteja também em todas nossas unidades o mais breve possível destaca a coordenadora de medidas socioeducativas, Claudia Foltran.

EDUCAÇÃO – Além da qualificação profissional, é assegurada aos adolescentes internados escolarização pelo Programa de Educação nas Unidades Socioeducativas (Proeduse). A ação é realizada em parceria da com a Secretaria de Educação e garante ensino fundamental e médio na modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Aproximadamente 950 adolescentes são atendidos no sistema de privação de liberdade do Paraná. Além dos professores, a parceria garante um agente profissional e pedagogos para coordenar e acompanhar o programa.

Claudia Foltran informa que o processo de revisão pedagógica é discutido com representantes dos profissionais das secretarias de Estado que atuam nos Censes. Esses profissionais formam uma comissão permanente que monitora e faz novas propostas para a gestão do programa. Isso garante um processo democrático em que tanto profissionais quanto adolescentes saem ganhando, destaca Claudia.

CULTURA - Outra parceria que visa garantir acesso à cultura e ao aprendizado para os adolescentes internados nos Censes e Casas de Semiliberdade é o projeto Culturação. Em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura são oferecidas oficinas de música, artes visuais, artes plástica, atividade física, comunicação, artes cênicas, geração de renda e dança. Os recursos para viabilização deste projeto também é do FIA e deliberado Cedca, com a Secretaria da Família.