Publicidade
Prevenção

Adultos precisam manter carteira de vacinação em dia. Veja o calendário

Adultos precisam manter carteira de vacinação em dia. Veja o calendário

Se você pensa que vacina é coisa só de criança é melhor correr dar uma olhadinha em como está a sua carteirinha de vacinação, pois há grandes chances de ter alguma dose em atraso. Esse é o alerta dos especialistas do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba (SMS). Saiba mais aqui

“O calendário de vacinação não é usado apenas para as crianças. Muitos adultos o abandonam ao longo da vida e só se vacinam em grandes campanhas ou casos de epidemia”, diz o diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira.

Desde 2004, o Ministério da Saúde passou a definir calendários de vacinação por ciclos de vida. Com isso, além das crianças, houve regulamentação também para os adolescentes, adultos, idosos e gestantes.

Atualmente, o Ministério da Saúde recomenda aos adolescentes as vacinas contra hepatite B, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), HPV e dupla adulta (difteria e tétano). Para os adultos, a recomendação é a vacina contra a hepatite B, febre amarela, tríplice viral e dupla adulto. 

Para os idosos, há a vacina contra a hepatite B e dupla adulto. As gestantes também não ficam de fora.  Para elas a recomendação é ter o registro ou colocar em dia, mesmo durante a gestação, as vacinas contra hepatite B, dTpa (difteria, tétano e coqueluche) e dupla adulto. Veja mais detalhes no calendário de vacina abaixo.

Além dessas vacinas que fazem parte do calendário de vacinação e estão disponíveis durante o ano inteiro nas 110 unidades de saúde em Curitiba, o Ministério da Saúde promove anualmente a campanha de vacinação contra a gripe, que inclui, entre os grupos prioritários: idosos, gestantes, puérperas (mulheres que tiveram filhos até 45 dias) e doentes crônicos.

Neste ano, a campanha da gripe aconteceu entre 22 de abril e 22 de junho, com a aplicação de mais de 500 mil doses em Curitiba.

Cultura

De acordo com a médica infectologista da SMS Marion Burger, a falta de cuidado dos adultos com a vacinação não é um problema exclusivo do Brasil. Historicamente, diversos países, assim como o Brasil, focaram na vacinação infantil nas últimas décadas, quando o objetivo era diminuir as taxas de mortalidade infantil para doenças como sarampo e poliomielite. “O calendário de vacinação de rotina para adultos é relativamente recente na saúde pública mundial e por isso uma mudança dessa cultura ainda leva tempo”, explica.

Além de não se atentar para a necessidade de vacinação em outras fases da vida, após a infância, outro problema grande é a taxa de abandono. Ou seja, quando uma vacina necessita de mais de uma dose para ter sua eficácia completa, mas os pacientes só tomam a primeira e não voltam para completar a prevenção. Há também vacinas que precisam ser tomadas novamente após alguns anos, como a do tétano, em que os reforços vacinais precisam ser feitos no mínimo a cada 10 anos.

 "Os pais costumam ter grande cuidado com a carteira de vacinação dos filhos, sabem onde ela está e evitam atrasar as doses. Contudo os adultos, às vezes, não sabem nem se têm este documento, onde está a carteira de vacinas, qual vacina já fez ou quando tomou a última dose”, diz Marion.

“O cartão de vacinas da criança e do animal de estimação da casa geralmente está em dia, já o registro vacinal dos adultos ainda é uma incógnita", complementa.

Aplicativo Saúde Já

Em Curitiba, uma nova ferramenta promete ajudar os adultos a manter a carteira de vacinação em ordem. Desde abril, o aplicativo Saúde Já passou a oferecer uma nova funcionalidade: acesso à carteirinha de vacinação virtual. Agora é possível verificar as doses aplicadas e/ou registradas nas unidades de saúde de Curitiba e ser alertado para aquelas vacinas que estão pendentes ou doses em atraso. O Saúde Já foi o grande vencedor do Latam Smart City Awards 2018, no México.

De acordo com a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, é importante que as pessoas levem sua carteira de vacinação de papel para atualizar no sistema, em uma unidade de saúde. “A partir dessa atualização fica fácil acompanhar pelo aplicativo quando há alguma dose em atraso. E se perder a carteira de papel, tem no celular”, diz.

O aplicativo Saúde Já pode ser instalado em smartphones ou tablets – tanto nas plataformas Android ou iOS gratuitamente – basta baixá-lo na App Store (aparelhos com sistema iOS) ou na Play Store (aparelhos com sistema Android). O acesso também pode ser feito via internet, na página saudeja.curitiba.pr.gov.br. O aplicativo Saúde Já foi baixado mais de 145 mil vezes e o número de acessos ultrapassa 1,3 milhão, desde março de 2017, quando foi lançado.

Confira mais detalhes 

 

 

 

 

DESTAQUES DOS EDITORES