Libertadores

Adversário do Athletico enfrenta jejum no Brasil, má fase no Chile e desfalques

Paredes: desfalque de peso
Paredes: desfalque de peso (Foto: Divulgação/Colocolo.cl)

O Colo-Colo vai enfrentar um longo jejum na quarta-feira (dia 23), quando joga com o Athletico Paranaense, na Arena da Baixada, pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Por competições oficiais, o time chileno não vence no Brasil há 11 anos, desde 2009, quando derrotou o Palmeiras por 3 a 1. Desde então, foram oito jogos e oito derrotas em território brasileiro. As oita partidas foram pela Libertadores.

ÚLTIMOS NOVE JOGOS NO BRASIL
O Colo-Colo como visitante contra brasileiros, desde 2009*
Palmeiras 2x0 Colo-Colo — Libertadores 2018
Corinthians 2x1 Colo-Colo — Libertadores 2018
Botafogo 2x1 Colo-Colo — Libertadores 2017
Atlético Mineiro 3x0 Colo-Colo — Libertadores 2016
Atlético Mineiro 2x0 Colo-Colo — Libertadores 2015
Santos 3x2 Colo-Colo — Libertadores 2011
Cruzeiro 4x1 Colo-Colo — Libertadores 2010
Sport 2x1 Colo-Colo — Libertadores 2009
Palmeiras 1x3 Colo-Colo — Libertadores 2009
*Apenas por competições oficiais

Além do jejum histórico, o Colo-Colo enfrenta má fase após a pausa provocada pela pandemia do coronavírus. O time voltou a jogar em 29 de agosto e não venceu no Campeonato Chileno, com duas derrotas (para Santiago Wanderers e O´Higgins) e dois empates (com Unión La Calera e Universidad de Chile). A única vitória nesse período foi pela Libertadores: 2 a 1 sobre o Peñarol, em Santiago.

Com os fracos resultados, o Colo-Colo é o 15º colocado entre os 18 participantes da primeira divisão nacional, com nove pontos em 11 rodadas. O líder é a Universidad de Católica, com 28 pontos.

LIBERTADORES
Na Libertadores, Athletico e Colo-Colo dividem a liderança do Grupo C, com seis pontos após três rodadas. O time paranaense tem 4 gols pró e 3 contra. A equipe chilena tem 3 a favor e 3 contra.

Em relação ao desempenho, o Colo-Colo tem números fracos no aspecto ofensivo. Entre os 32 participantes da Libertadores, é o 25º em posse de bola (42,3%), o 25º em volume de passes (256 certos por jogo), o 27º em cruzamentos certos (2,3 por jogo), 29º em finalizações (6,7 por jogo) e 31º em dribles certos (6,0 por jogo). Os dados são do Sofascore.

No entanto, a equipe chilena apresenta bons números defensivos. É o 4º com mais desarmes (18 por jogo), 7º em interceptações (15,3) e 4º em cortes/rebatidas (23,3).

DESFALQUES
Se o Athletico vai contar com o retorno de peças importantes, como Thiago Heleno e Léo Cittadini, o Colo-Colo terá desfalques de peso. O centroavante Esteban Paredes, 40 anos, sofreu lesão e tem chances remotas de jogar nesta quarta-feira. O jogador soma três gols nos últimos quatro jogos. Ele soma 197 gols em 303 partidas pelo clube chileno. Pela seleção do Chile, foram 12 gols em 42 jogos. O jogador participou das Copas do Mundo de 2010 e 2014.

Outra baixa é o zagueiro argentino Matías Zaldivia, 29 anos, também lesionado.

O artilheiro do Colo-Colo em 2020 é o meia chileno Leonardo Valencia, 29 anos, ex-Botafogo, com seis gols em 15 partidas. O líder em assistências é o ponta chileno Bolados, 24 anos, com cinco passes para gols em 16 partidas.

No setor ofensivo, o Colo-Colo conta ainda com jogadores conhecidos, como o ponta argentino Pablo Mouche, 32 anos, ex-Palmeiras, que soma um gol e três assistências em 12 partidas em 2020. O centroavante argentino Nicolás Blandi, 30 anos, ex-San Lorenzo, tem 2 gols em 13 partidas no ano.