Direitos Humanos

Aliança Nacional LGBTI+ e presidente é alvo de mais um ataque neonazista em Curitiba

Na tarde desta sexta-feira, 23, o presidente da Aliança Nacional LGBTI+, Toni Reis, esteve pela terceira vez em uma semana no Núcleo de Combate aos Cibercrimes da Polícia Civil do Estado do Paraná, para fazer novas denúncias de ataques de cunho neonazista a ele e a invasão de grupos de discussão da entidade em aplicativo de celular para conversas e discussão.

Históricos dos ataques

22/10

Enquanto ocorria a nova edição do Seminário virtual “Diálogos para o Enfrentamento das Desinformações, Notícias Falsas, e Discursos de Ódio nas Eleições Municipais de 2020”, que já tinha sido invadido no dia 15 de outubro, houve invasão em 4 grupos de discussão da Aliança Nacional LGBTI+ no whatsapp, sendo os grupos de Educação, Penitenciária, Esporte e Advocacy, com postagens com vários caracteres, inclusive a cruz suástica e a frase “Chris the universal nazist”.

No mesmo horário, no seu celular particular, o presidente da Aliança Nacional LGBTI+ recebeu 97 mensagens com saudações nazista e com os dizeres “kkkkkk não conseguiu me blockia”.

Também no mesmo horário, foi registrada uma ocorrência falsa no formulário público na Central Nacional de Denúncias LGBTI+ (da Aliança Nacional LGBTI+), com perfil falso que inclusive informou o email adolf@hitler.com

A “denúncia” fala do presidente da Aliança Nacional LGBTI+, insultando a mãe do mesmo (chamando-a de prostituta), chamando ele de pedófilo, gay, dando o endereço residencial dele para quem “quiser matar ele”... No campo do formulário sobre gênero, o “denunciante” escreveu “Fuzil KBZ com pente alongado”, que foi interpretado com ameaça.

Também foi colado no formulário de denúncia um link que incluía as palavras “toni_reis_tem_privacidade_vazada_pelo_‘B... do J...’” O link abria em um site pornográfico com vídeos mostrando parafilias.

Após este terceiro ataque, foi formalizado um pedido de proteção junto ao Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos, Comunicadores e Ambientalistas, no âmbito do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.


15/10

No dia 15/10 um seminário online promovido pela Aliança Nacional LGBTI+ sobre o tema ‘Diálogos para enfrentar as desinformações, notícias falsas e discurso de ódio nas eleições municipais’, foi invadido por um grupo de indivíduos identificados como “B... do J...” com perfis com suásticas, marchas e saudações nazistas e queimando a bandeira LGBTI+. Os invasores também usavam nomes femininos.

Em seguida, foi registrado Boletim de Ocorrência na Polícia Civil em Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo, o que também foi divulgado nas mídias sociais. Providências também foram solicitadas à Polícia Federal, ao Ministério da Justiça e ao Ministério Público.


18/10

Na madrugada de domingo (18/10), entre 3h30 e 4h30, houve três tentativas seguidas de entrega de ifood na residência do presidente da Aliança Nacional LGBTI+, Toni Reis, em Curitiba, apesar de o mesmo não ter feito estes pedidos. Os entregadores pediram para falar com Ana e com Samira. Por volta do meio-dia no mesmo domingo, chegou à sua residência um quarto pedido não solicitado. Desta vez o entregador ligou para Reis e disse “a senha é J...” (igual a o nome do grupo de invasores). Reis pediu o número do telefone do restaurante que enviou a comida e falou com a gerente. Esta informou que os pedidos estavam sendo feitos pela internet e que o último pedido (com o nome e endereço completos de Reis e o número do seu celular) veio acompanhado de uma instrução: “Eu estou sendo ameaçado de morte, para eu ter certeza que é o entregador, bata na porta 3 vezes e fale a senha ‘J...’”. Por volta das 17 horas, a gerente do restaurante passou um whats para Reis informando que houve mais um pedido. À noite, Reis recebeu um email com a mesma identificação (J...), com a pergunta “Você gosta mais de whisky ou pizza?”

Na segunda-feira (19/10), registrou Termo de Declaração Complementar Ocorrência no Núcleo de Combate aos Cibercrimes da Polícia Civil em Curitiba, em relação aos acontecimentos no domingo narrados acima.

O Seminário ‘Diálogos para enfrentar as desinformações, notícias falsas e discurso de ódio nas eleições municipais’, que foi interrompido pela invasão no dia 15/10, foi transmitido novamente no dia 22/10, sem invasões após mudar a plataforma para o Facebook da Aliança Nacional LGBTI+, do Grupo Arco Íris, do Grupo Dignidade e da Associação da Parada LGBT de São Paulo, e também o canal do Youtube da Aliança Nacional LGBTI+ e da Associação da Parada LGBT de São Paulo.

A Aliança Nacional LGBTI+ agradece pelos votos de solidariedade recebidos de 14 parlamentares e 25 instituições, inclusive do Ga’avah, departamento LGBTQIA+ do Instituto Brasil-Israel.