Publicidade
Mobilização

Amazônia e lei de abuso de autoridade pautam protestos em Curitiba

“Vem Pra Rua” quer Dallagnol na chefia da PGR
“Vem Pra Rua” quer Dallagnol na chefia da PGR (Foto: Henry Milleo)

O fim de semana em Curitiba será marcado por mais uma série de manifestações políticas. Duas delas são relacionadas a protestos contra queimadas, desmatamento e a política ambiental do governo do presidente Jair Bolsonaro. Nesta sexta-feira (23), a partir das 17h30, um ato organizado por estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o coletivo CWB Resiste e outros, deve reunir manifestantes na Praça Dezenove de Dezembro, no Centro da Capital, em defesa da flortesta amazônica. “Não existe floresta em pé se a gente ficar sentado(a)”, destaca a organização do ato.

“O projeto de extermínio tem nome: agronegócio e Bolsonaro. 1. Em março deste ano Bolsonaro cortou 50% do IBAMA para a construção do Prevfogo, um centro de prevenção de incêndios; 2. R$5,4 milhões a menos no ICMBio para fiscalização e combate a incêndio; (…) Por isso, em diversas cidades do Brasil iremos às ruas em defesa da Amazônia”, diz a descrição do evento nas redes sociais. Há um pedido para que os interessados compareçam vestidos de preto. Entre as lideranças políticas envolvidas, o deputado estadual Goura (PDT) tem convocado manifestantes para o ato.

Neste sábado (24), outra manifestação relacionada à proteção da Amazônia, chamada “Ato Para Limpar as Ruas”, está marcada para ocorrer na região entre o Largo da Ordem e a Praça Tiradentes, no centro.

Limpeza
O grupo promete “limpar as ruas do Cavalo Babão até a Praça Tiradentes”, como ação simbólica de proteção ao meio ambiente. A descrição do evento no Facebook pede que os manifestantes levem “luvas e sacos de lixo”. A manifestação deve ocorrer entre 13h30 e 16h30, com concentração no monumento conhecido como Cavalo Babão, no Largo.

Supremo
Marcada na semana passada, logo após aprovação na Câmara Federal da Lei do Abuso de Autoridade, uma manifestação organizada pelo movimento Vem Pra Rua deve ser realizada no em Curitiba, Londrina, Maringá, Pinhais e Ponta Grossa, além de diversas outras cidades do País. Entre outras pautas, há pedidos de impeachment para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e manifestações favoráveis à escolha do procurador Deltan Dallagnol para o cargo de procurador-geral da República.

Está será a primeira manifestação do Vem Pra Rua após revelações do site The Intercept Brasil mostrando que o grupo tinha estreita relação com Dallagnol. Junto com o “Mude”, os movimentos surgidos após a operação Lava Jato foram usados como “porta-vozes de causas políticas” pessoais de Deltan, que pautou atos públicos, publicações em redes sociais e manifestações dos movimentos de forma oculta, tomando cuidados para não ser vinculado publicamente a eles.

Impeachment
Outros grupos também deve participar do ato de domingo (25). O Avança Brasil pedirá ainda impeachment dos ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes. Os organizadores destacam também que o protesto visa “denunciar manobra organizada entre integrantes da classe política para acabar com a prisão em segunda instância, que pode ter impacto na prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em Curitiba desde abril de 2018.

No Paraná, as manifestações organizadas pelo Vem Pra Rua terão início às 14h30. Em Curitiba, a concentração será na Boca Maldita, no Centro.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES