Publicidade

Aos 11 anos, britânica Sky Brown quer brilhar no Mundial de Skate Park em SP

O capacete azul como o céu é a marca registrada de Sky Brown, britânica de 11 anos que tem boas chances de representar sua nação na estreia do skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. O talento precoce chama a atenção de qualquer um que tem a chance de vê-la numa pista. Ela vai disputar o Mundial de Park, em São Paulo, em busca de pontos para o ranking olímpico. Mas isso não significa pressão para ela.

"Estou aqui para me divertir e o resultado não é o mais importante. Meu sonho nessa competição é conseguir fazer as minhas manobras e realizar bem minha linha. Se fizer tudo bem, ficarei feliz", disse ao Estado a simpática garota, que já é patrocinada por grandes marcas e ocupa a 9ª posição no ranking mundial.

Ela tomou gosto pelo skate - e também pelo surfe - por influência do pai. Eles moram em Miyazaki, no sul do Japão, um local com belas praias e natureza exuberante. "Escolhi as duas modalidades porque eram as mais divertidas", diz Sky, que consegue ir muito bem também em cima da prancha nas ondas em frente de sua casa.

Só neste ano, a menina já rodou por 20 países diferentes. Seus pais e o irmão Ocean, de 8 anos, estão sempre juntos. Em casa, os únicos resultados que são cobrados são da escola - o colégio da garota preparou um esquema especial para ela estudar e fazer provas durante as viagens.

"Se não for para ser divertido, vamos parar. Não é para ter frustração nessa idade. Acho que os pais precisam ajudar os filhos a realizar seus sonhos. Se ela quiser ser dançarina, vamos apoiá-la. Somos rígidos apenas com a escola", lembra Stuart, o pai da menina.

Sky parece saber muito bem o que quer da vida. "Eu quero ir para a Olimpíada. E meu sonho também é poder ensinar crianças a surfar e a andar de skate."

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES