Eleições 2022

Apoio de Ratinho Jr a Bolsonaro altera cenário nas eleições para o governo no Paraná

Bolsonaro e Ratinho Jr:  aliança próxima
Bolsonaro e Ratinho Jr: aliança próxima (Foto: AEN/divulgação)

A decisão do governador Ratinho Júnior (PSD) de apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) pode alterar significativamente o quadro da disputa pelo Palácio Iguaçu nas eleições de outubro. Atual aliado de Ratinho Jr, o Podemos pode ser forçado a lançar um candidato próprio ao governo do Estado.

O Podemos tinha a expectativa de que o governador apoiasse a reeleição do senador Alvaro Dias, em troca do apoio do partido a um novo mandato para Ratinho Jr. Mas no último final de semana, durante a visita de Bolsonaro a Curitiba para participar da Marcha para Jesus, o governador admitiu pela primeira vez, publicamente, que está mais próximo do palanque do atual presidente.

“Eu tenho uma gratidão muito grande pelo presidente Bolsonaro porque o governo federal foi muito importante para o Paraná nestes últimos três anos. É natural que essa gratidão tenha que se transformar em uma parceria política”, afirmou Ratinho Jr. Segundo o governador, a decisão final depende apenas do aval do PSD – seu partido – que tende a não ter candidato próprio à presidência, e a liberar os estados a apoiarem quem quiserem. “Eu tenho meu partido político. Tenho que respeitar esse momento de decisão das convenções, mas o PSD caminhando para a neutralidade, eu fico liberado para tomar minha decisão e caminhar junto à minha escolha”, explicou o governador.

O PSD do ex-ministro Gilberto Kassab chegou a ensaiar o lançamento do senador e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG) para o Palácio do Planalto. O próprio Pacheco, porém, recuou e desistiu de entrar na disputa. Depois, Kassab tentou atrair o ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), que perdeu as prévias do PSDB para o ex-governador João Doria. Leite, porém, recusou o convite para se filiar ao PSD.

Impasse

Ocorre que Bolsonaro e o PL – atual partido do presidente – lançou como pré-candidato ao Senado o deputado federal Paulo Eduardo Martins (PL). Além disso, Bolsonaro também lançou a pré-candidatura do deputado federal Filipe Barros (PL) ao governo do Estado.

Em troca do apoio à reeleição de Ratinho Jr e da retirada da pré-candidatura de Barros, o grupo bolsonarista quer como contrapartida a vaga de candidato ao Senado na chapa governista para Martins. Com isso, ficaria prejudicado o acordo entre o Podemos para apoiar Ratinho Jr em troca da vaga de candidato à reeleição do senador Alvaro Dias nessa mesma chapa.

Diante desse novo cenário, o Podemos pode lançar o próprio Alvaro para a disputa pelo Palácio Iguaçu. Outra alternativa aventada seria lançar o senador Flávio Arns para o governo do Estado, e Alvaro para a Presidência, já que o partido ficou sem candidato depois que o ex-juiz Sérgio Moro migrou para o União Brasil.