Publicidade
Polêmica

Após boatos de fuga para a Suíça, Justiça manda reter passaporte de 'rei do bitcoin'

(Foto: Reprodução)

A Justiça do Paraná ordenou na tarde de ontem (20 de agosto) o bloqueio e a retenção do passaporte de Claudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco (GBB). Conhecido comon o "Rei do Bitcoin", Oliveira é alvo de dezenas de ações judiciais impetradas por clientes que não conseguem resgatar valores que aplicaram no Bitcoin Banco. A estimativa é que os prejuízos superariam os R$ 200 milhões.

Oliveira tem passagem comprada para a Suíça e deveria viajar nesta quarta-feira para o país europeu, onde moraria a sua filha. Este, inclusive, teria sido o principal motivo para a Justiça decidir reter o passaporte do empresário, que deverá ser entregue até o final do dia.

O GBB, que controla as plataformas NegocieCoins e TemBTC, bloqueou os saques de milhares de clientes, em dinheiro e em bitcoin, em maio último. A empresa, por sua vez, diz ter sido vítima de uma fraude, na qual um grupo de clientes duplicou os saldos de suas contas e efetuou saques indevidos, de dinheiro que não existia. O rombo superaria os R$ 50 milhões.

Anteriormente, numa das açõies judiciais aberta por um cliente do GBB, a Justiça já havia determinado o bloqueio de bens pessoas de Cláudio Oliveira.

"NOTA OFICIAL
O GBB tem estado à disposição de seus clientes e da Justiça desde o início da crise que afetou sua operação, e que foi denunciada à autoridade policial. No dia 24 de maio, a empresa informou a descoberta de uma ação criminosa pela qual, valendo-se de uma brecha na plataforma das exchanges do GBB, um grupo de clientes duplicou os saldos de suas contas e efetuou saques indevidos, de dinheiro que não existia, num golpe calculado em R$ 50 milhões.
Desde então, um conjunto de ações foi adotado para superar os efeitos da fraude e regularizar o pagamento dos saques solicitados."

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES