Brasileirão

Após desabafo, técnico do Paraná fala sobre reforços

"O presidente e o treinador: cr\u00edticas aos jogadores "
"O presidente e o treinador: cr\u00edticas aos jogadores " (Foto: Geraldo Bubniak)

O técnico do Paraná Clube, Rogério Micale, fez um desabafo após a derrota para o Vasco, na última quarta-feira (dia 30). Minutos depois, o presidente do clube, Leonardo de Oliveira, também criticou duramente os jogadores. O treinador sugeriu a contração de reforços. Já o dirigente foi mais cauteloso.

Perguntado sobre a possibilidade de contratar reforços, Micale concordou. “Acho que tem que ser. Acho que a diretoria está avaliando, porque tem um momento que precisa reavaliar. Mas não é hora de fazer loucura, porque todos estão procurando (reforços). Se perguntar para todos os times do Rio, todos estão procurando, todos têm carências. Temos que ter a frieza na hora de avaliar, mas acho vai ter o momento do recesso e vai ser preciso uma reavaliação”, disse o técnico.

Leonardo de Oliveira não deixou claro se vai buscar contrataçãoes. “Sabemos das nossas limitações e das nossas condições no campeonato. Agora fica tudo mais difícil se não acreditarmos e se não chamarmos a nossa responsabilidade. Para estar aqui, temos que saber que tem que fazer mais que os outros. Temos que passar por cima de arbitragem, como tivemos que passar no ano passado. Quem não tem essa condição mental, de administrar essa pressão, a gente pode liberar. Mas quem veio para cá sabe que aqui vai ter que ralar e correr mais que os outros. Não podemos criar dez chances e não fazer o gol”, criticou o presidente.

Micale avaliou o desempenho da equipe contra o Vasco. “Tivemos chances de empatar o jogo e até da vitória, mas não tivemos competência. Em contrapartida, tomamos um gol que estava mapeado. Foi muito falado sobre a diagonal do Pikachu e fico chateado com isso de tomar o gol dentro de uma situação que foi tão falada e ainda não fazer gols quanto tem a oportunidade”, lamentou.

O presidente do clube fez uma dura crítica aos jogadores após a partida. “Infelizmente tivemos um jogo que eu posso dizer que tive vergonha do que fizeram em campo. As pessoas deixaram de assumir suas responsabilidades e acho que isso é a única forma de reverter o resultado. Temos que resolver dentro de campo. Podia justificar aqui com pênalti, mas não adianta. Temos que chamar a responsabilidade”, disse.

Leonardo de Oliveira afirmou que a solução não é trocar de técnico. “O simples seria lavar as minhas mãos e trocar o treinador. Mas não é aí que está o nosso problema. Não entrei no futebol para fazer mais do mesmo. Agora quem tem que chamar a responsabilidade são os próprios atletas. Construímos jogadas, chegamos na cara do gol e só faltou empurrar para dentro. Depende de ter tranquilidade e a cabeça fria. Não pode deixar aqui a pressão externa interferir. Futebol é pressão. Tem que saber lidar com isso. Quem não convive com a pressão está na profissão errada”, completou o dirigente.