Publicidade
Cultura

Após internação, José Mayer afirma que está melhor

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A doença que internou José Mayer, 68, por 30 dias é rara e não tem cura. O ator recebeu alta do hospital no domingo (29) da Casa de Saúde São José, no Humaitá, na zona sul do Rio de Janeiro . O diagnóstico foi uma doença respiratória chamada granulomatose de Wegener. O ator afirmou à reportagem, por meio de mensagem, que já está em casa. "Estou melhor. Só penso em descansar."  

Fausto Nakandakari, otorrinolaringologista do Hospital Sírio Libanês, diz que granulomatose de Wegener é uma doença respiratória, e o mais difícil é chegar ao diagnóstico. "Ela pode ser confundida com muitas doenças, desde uma sinusite crônica até câncer ou tuberculose. É preciso descartar uma série de hipóteses antes", afirma o médico.

O exame de sangue, específico para detectar essa doença é o c-Anca. Os sintomas, segundo o médico, são lesões graves dentro do nariz, chamadas de granulomas, que acabam erodindo as estruturas do septo nasal. A pessoa sente também falta de ar e tem alterações urinárias, e o pode afetar os pulmões, nariz, boca e rins.

Não há informações sobre em quais circunstâncias o ator José Mayer foi internado, mas é provável que o período de 30 dias no hospital tenha sido ao difícil diagnóstico da doença. A reportagem procurou o médico responsável pelo atendimento do ator, mas não obteve retorno até a publicação deste texto. 

A granulomatose de Wegener não tem cura, mas tem tratamento, e o paciente pode ter uma vida normal. "A mortalidade é muito baixa, porque há tratamento. É uma doença raríssima e ainda pouco se sabe sobre as suas causas", afirma o médico. Não procede o fato de a doença ter ligação com sintomas de depressão. 

A doença é autoimune. "Isso ocorre quando os anticorpos entendem que as células do corpo são invasoras e as atacam", explica Nakandakari. O tratamento é feito à base de medicamentos corticoesteroides e imunossupressoresune. 

AFASTADO DA TELEVISÃO

José Mayer está afastado da televisão desde que foi acusado de assédio sexual pela figurinista Susslem Meneguzzi Tonani, em abril de 2017, durante os bastidores da novela da noves "A Lei do Amor". Tonani decidiu não levar adiante o inquérito contra Mayer. 

"Mesmo não tendo tido a intenção de ofender, agredir ou desrespeitar, admito que minhas brincadeiras de cunho machista ultrapassaram os limites do respeito com que devo tratar minhas colegas", diz trecho da carta enviada pelo ator, na época. 

No mesmo dia, aconteceu no Projac um protesto de atrizes e funcionárias da emissora contra o assédio. Após apurar o caso, a Globo decidiu suspender Mayer de produções futuras por tempo indeterminado. 

Recentemente, o ator chegou a ser cogitado para atuar na nova novela das nove, "O Sétimo Guardião", de Aguinaldo Silva, mas após um grupo de atrizes anunciar um boicote contra ele, A Globo resolveu substituí-lo por Leopoldo Pacheco.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES