Publicidade
Na Grande Curitiba

Após protestos, duplicação da Rodovia dos Minérios começa em setembro

Às margens de rodovia foram fixadas 250 cruzes
Às margens de rodovia foram fixadas 250 cruzes (Foto: Ernani Ogata)

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER) anunciou que duplicação da PR-092, conhecida como Rodovia dos Minérios, está prevista para o fim de setembro. Devem ser investidos cerca de R$ 90 milhões na obra, segundo o DER.

O anúncio foi feito após os protestos do último sábado, 24 de agosto na Rodovia dos Minérios, onde 250 cruzes foram fixadas às margens da PR-092, na pista sentido Curitiba. Em nota o DER afirmou que a rodovia também será contemplada pelo Lote 1 do Programa de Conservação de Pavimentos do DER, que prevê a recuperação de pontos críticos, além de serviços de drenagem e sinalização.

Conforme o DER, serão feitas melhorias desde a ponte sobre o Rio Barigui, em Curitiba, até a ponte sobre o Rio Piedade, entre Rio Branco do Sul e Cerro Azul, em uma extensão de 46,67 quilômetros.

Apesar da notícia, moradores dos municípios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) preparam novas manifestações por segurança na Rodovia dos Minérios, a PR-092, a exemplo da ocorrida neste último sábado. O protesto de sábado foi no município de Almirante Tamandaré, onde há um grande número de “vítimas” da PR-092. Nesta semana, com data ainda a ser definida, os moradores de Rio Branco do Sul prometem novas manifestações.

O objetivo dos movimentos, segundo os organizadores, é chamar a atenção do governo do Estado e para pedir melhorias na estrada, como sinalização, instalação de lombadas e iluminação, além do ínicio das obras de duplicação.

A estrada estadual PR-092 que liga Curitiba até o município de Palmital, já na divisa como Estado de São Paulo, passa pelos municípios de Almirante Tamandaré, Itaperuçu, Rio Branco do Sul, Cerro Azul e Doutor Ulysses, todos da RMC. Muitos moradores da região usam a rodovia diariamente para chegarem a Curitiba, onde trabalham ou estudam.

O protesto de sábado foi organizado pelos moradores de Almirante Tamandaré. As cruzes foram colocadas pelos parentes, vizinhos e conhecidos de vítimas dos inúmeros acidentes ocorridos no local.

“Estamos indignados com os acidentes que todos os dias ocorrem por aqui. Foram 16 mortes em menos de 3 anos. Um trevo ou um redutor de velocidade ajudaria a melhorar”, disse Edilson Tomé, morador de Almirante Tamandaré (RMC).

Protesto
Com 250 cruzes às margens da PR-092, os manifestantes fecharam a rodovia por cerca de uma hora e fizeram um minuto de silêncio para relembrar as últimas mortes na rodovia. Com faixas e camisas estampadas com imagens dos parentes mortos, bandeiras pretas e um clima de tristeza, familiares fizeram questão de cobrar uma maior atitude dos governantes. “Cada vez que eu passo aqui, eu relembro do meu pai que morreu há um mês e meio atropelado”. É um trauma todo dia e espero que esta manifestação mude algo por aqui”, ressaltou Silvestre Ribeiro da Silva. No fim da manhã de sábado, 24, houve uma colisão entre um veículo e uma moto, na altura do portal de Almirante Tamandaré, com danos materiais aos motoristas envolvidos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES