Após saída de ministros, Fernández diz que conduzirá governo como achar adequado

Após a renúncia de uma série de ministros, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou nesta quinta-feira, 16, que conduzirá seu governo como achar apropriado. "Foi para isso que fui eleito", escreveu o chefe da Casa Rosada no Twitter.

Ontem, cinco ministros próximos à vice-presidente Cristina Kirchner anunciaram a decisão de deixar seus cargos. A debandada ocorre dias depois de a coalizão governista sofrer uma derrota nas primárias legislativas.

Segundo o jornal local Ámbito Financiero, havia um debate interno no governo. A ala kirchnerista defendia mudanças no gabinete, sobretudo na equipe econômica, enquanto a mais ligada ao presidente ("albertista") pretendia manter a equipe para que as alterações não fossem vistas como sinal de debilidade da administração.

"Continuarei a garantir a unidade da Frente de Todos coalizão governista a partir do respeito que devemos uns aos outros", escreveu Fernández na rede social. "Já é tempo de que a nossa única obsessão seja promover a prosperidade dos homens e mulheres do nosso país."

O presidente argentino também ressaltou que seu maior desafio é dar continuidade ao processo de reabertura econômica, após os impactos da pandemia de covid-19, gerar empregos e garantir educação e saúde para a população.

"Agradeço o apoio de governadores, prefeitos, líderes do movimento sindical e dos cidadãos neste momento", afirmou Fernández.