Após ter pedido negado pela CBF, Flamengo aciona STJD para parar o Brasileirão

O Flamengo entrou com um pedido no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na noite de quinta-feira, para tentar paralisar o Campeonato Brasileiro durante a realização da Copa América. O clube carioca entende que a competição nacional deve parar enquanto acontece o torneio da Conmebol, assim como aconteceu em 2019. A revelação foi feita pelo vice-presidente Rodrigo Dunshee no Twitter. A ideia, segundo ele, é que os clubes com atletas nas seleções não sejam sacrificados.

A decisão do Flamengo em solicitar a paralisação é motivada pela quantidade de atletas rubro-negros convocados. Isso porque o clube conta com cinco desfalques durante a realização da Copa América: o meia Arrascaeta (Uruguai), o lateral-direito Mauricio Isla (Chile), o volante Piris da Motta (Paraguai) e o meia Everton Ribeiro e o atacante Gabriel (Brasil).

A abertura da Copa América está agendada para este domingo e a final está prevista para o dia 10 de julho. Sendo assim, os atletas serão desfalques até, pelo menos, o dia 28 de junho, quando se encerra a fase de grupos. A partir desta data, as ausências dependem das classificações das seleções nas fases de mata-mata. Chegando à final, o Flamengo pode sofrer por até 11 jogos sem seus jogadores.

"Fla venceu apertado hoje o jogo de ida da Copa do Brasil com o time desfalcado pela ausência de 4 jogadores brasileiros e 2 estrangeiros. Palmeiras foi desclassificado e estava sem jogadores cedidos. Vem a Copa América e, ao contrário de 2019, não querem suspender o campeonato. A CBF precisa promover o equilíbrio das competições. A base da competição é a isonomia entre os concorrentes e isso está no artigo primeiro do regulamento. Somos a favor da seleção, mas com paralisação do campeonato. O mundo civilizado funciona assim", escreveu Dunshee no Twitter.

Depois que a CBF não atendeu ao pedido do Flamengo, o clube entrou com o pedido no STJD. O tribunal confirmou que a ação foi protocolada e encaminhada ao presidente Otávio Noronha, que será o responsável por dar o parecer. A entidade, contudo, não estabeleceu prazo para liberar a decisão, seja a favor ou contra ao pedido do time carioca.