Publicidade
Homenagem

Aretha Franklin: músicas que definem a maior cantora de todos os tempos

(Foto: Michael Ochs/Getty)

Nesta quinta, 16 de agosto, Aretha Franklin nos deixou, aos 76 anos de idade. Mas a sua despedida não eliminou a característica mais forte: a sua alma. Justamente conhecida como "Queen of Soul", Aretha deixou um legado importante, no contexto cultural, e também social.

Como uma forma de homenageá-la e de também compreender o alcance de sua música, selecionamos as suas canções mais relevantes, no intuito de resguardar a memória da maior cantora e voz de todos os tempos. Portanto, é só deixar o som rolar!

Respect

Otis Redding escreveu a canção, sob a ótica de um homem pedindo o respeito da mulher. Aretha a regravou, invertendo os papéis: na sua versão, era a mulher a exigir respeito. Hoje em dia, não faria tamanho burburinho, mas nos anos 60 (época notadamente machista), e entoada por uma cantora negra, não tinha como ser diferente: clássico imediato. A importância histórica dessa atitude de Aretha não pode jamais ser diminuída.

Chain of Fools

Dando continuidade à temática de Respect, Aretha deixa claro nesta música que, por trás de todo homem, há sim, uma grande mulher. E que "algum dia desses, a corrente vai se quebrar, e até lá, eu vou pegar tudo o que eu puder". Com isso, pode-se afirmar: o feminismo na música começou bem antes de Madonna.

(You Make Me Feel Like) A Natural Woman

Carole King, a compositora da canção, já declarou que Aretha tomou a música para ela. Muitas cantoras já regravaram, mas só a versão de Aretha consegue despertar inúmeros tipos de sentimento no ouvinte. Duvida? Então escute.

I Say A Little Prayer

A canção fez sucesso na voz de Dionne Warwick e, mais recentemente, na regravação de Diana King como tema de "O Casamento do Meu Melhor Amigo", com Julia Roberts. Mas foi Aretha quem transformou a música em um clássico.

I Never Loved A Man (The Way I Love You) 

Faixa-título daquele que é considerado o melhor álbum de Aretha. A canção foi o seu primeiro grande sucesso, abrindo as portas para o estouro de Respect, o segundo single do trabalho.

Think

Outro libelo feminista de Aretha, aborda o abuso emocional ocasionado por atitudes machistas.

Son Of A Preacher Man

A original, de Dusty Springfield, já é clássica por si só (e Pulp Fiction, de Quentin Tarantino, fez questão de reforçar isso). Mas toda a experiência gospel de Aretha na recriação da canção não pode ser menosprezada.

A Change Is Gonna Come

Considerada uma das músicas mais tristes de todos os tempos, a canção de Sam Cooke ganhou uma versão à altura por Aretha, tão ou mais emocionante que a original.

Do Right Woman, Do Right Man

"A mulher é apenas humana, você deve entender, ela não é apenas um brinquedo, ela é de carne e osso". Acho que não se deve falar mais nada sobre essa canção, não é?

Don't Play That Song

Uma das canções que renderam a ela a definição de que possuía "a chave do paraíso na garganta".

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES