Publicidade
Campanha 'não renova'

Associações se unem para pedir que quarentena não seja renovada no Paraná

Comércio teve que fechar as portas no dia 1º de julho
Comércio teve que fechar as portas no dia 1º de julho (Foto: Franklin de Freitas)

Associações e entidades de classe ligadas ao comércio e serviços no Paraná se uniram na campanha #nãorenovaquarentena. A campanha é um apelo ao governo do Estado para que não renove a quarentena mas restritiva imposta em 141 municípios do Estado a partir do dia 1º de julho. O decreto da quarentena vale até est6a terça-feira (14).

O movimento que reúne a Associação de Empresários do Paraná (Aepar), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e o Sindicato dos Lojistas do Comércio Estabelecidos em Shopping Center de Curitiba (Sindishopping), pede que a quarentena não seja renovada.

Os porta-vozes das entidades dizem que o governo poderia não renovar o decreto e deixar a decisão para os municípios que, com apoio da sociedade, reabrir de forma controlada as atividades.

Na sexta-feira passada, o governador Ratinho Junior reforçou que o Paraná enfrenta momento delicado da pandemia por causa do inverno, por isso a necessidade do governo editar o decreto que limitou a circulação de pessoas em 141 municípios.

“Conseguimos enfrentar a pandemia por mais de 100 dias sem quarentena. Mas houve uma evolução significativa no número de casos, era o momento de agir para frear a força do vírus”, destacou.

Ainda na semana passada, o governo pretendia ter uma posição sobre o futuro da quarentena, mas voltou atrás e deixou esta decisão para amanhã.
O decreto impõe medidas mais restritivas de circulação nas regionais de Cascavel, Cianorte, Cornélio Procópio, Região Metropolitana de Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu e Toledo, e depois teve incluído o Litoral do Paraná.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES