Preparação

Assuntos de atualidades são apostas para cair no Enem

Para a prova do Exame Nacional do Ensimo Médio (Enem), saber do mundo é tão importante quanto o conteúdo tadicional aprendido em sala de aula. Os acontecimentos na nossa história atual têm a capacidade de questionar constantemente sobre o que significa ser humano e viver em sociedade. Vários fatos foram relevantes no último ano. O Me Salva!, plataforma de ensino que já alcançou 28 milhões de estudantes, fez um levantameno com algumas apostas de atualidades para que o secudarista dedique um pouco mais de atenção.

Alba Cristina Couto dos Santos Salatino. Mestra em História, Estudante de doutorado em História, cita as Relações Étnico Raciais, um assunto que está fervilhando desde o início do ano. Há três lançamentos no cinema brasileiro indicados ao Oscar: o documentário E’u não sou seu negro’, o filme ‘Hidden Figures’ (traduzido como ‘Estrelas além do tempo’) e o ganhador do Oscar de Melhor Filme neste ano, ‘Moonlight’.

Essas indicações reacenderam discussões sobre os direitos dos afro-americanos e a representatividade na indústria cinematográfica que ecoaram pelo mundo, sobretudo por toda a América. Mas o que isso tem a ver com o Enem e como pode ser cobrado na prova? Isto pode aparecer nas questões relacionadas com os movimentos sociais e reivindicações específicas de grupos étnicos e de gênero (incluindo as lutas LGBT).

A tecnologia se entrelaça neste grupo se a relacionarmos com as reflexões que todos esses filmes trazem, na produção de memória e no papel delas na vida social atual. ‘Estrelas além do tempo’, principalmente, mostra mulheres cientistas na Guerra Fria o que vai ao encontro da visibilidade da mulher na sociedade e suas lutas.

Ainda sobre as relações étnico- raciais, no caso do Brasil, o momento é apontado como histórico para as reivindicações indígenas. Atualmente há diferentes grupos étnicos (que inclusive não se relacionavam) unindo forças em busca de seus direitos, sendo a questão fundiária o principal deles. A respeito das demarcações, talvez apareçam ainda na prova de Geografia, pensando nos impactos ambientais, na ocupação e interação com os recursos naturais.

De acordo com a equipe do Me Salva, este tema pode aparecer em forma de conceitos: de direitos humanos, do exercício da cidadania, da democracia, e também, por meio de pensadores sociais e filosóficos.


Filosofia e intolerância racial

A filósofa e ativista Angela Davis foi bastante comentada neste ano com dois lançamentos e conferências no Brasil. É importante lembrar que a presença de filósofos está cada vez recorrente. Em 2015, o Enem trouxe Simone Beauvoir e Friedrich Nietzsche, esse último também em 2016, ambos pensadores do século XX e muito atuais.
O acontecimento recente em Charlottesville, onde supremacistas brancos foram às ruas protestar contra a remoção da estátua do General Robert E. Lee (um líder da Guerra Civil Americana, que lutava a favor da escravidão africana no país) e alegaram uma suposta censura de sua liberdade de expressão, suscitou uma série de discussões que reabriram feridas ainda não cicatrizadas do nosso passado recente. As ideias de supremacia branca aliadas ao nacionalismo exacerbado e ao xenofobismo podem aparecer na prova de História, principalmente, mas não só.
São ainda fortes candidatos, os conceitos e significados históricos da Segunda Guerra Mundial, sua motivação e desdobramentos para reconhecer os conceitos daquele contexto e sua possíveis influências atuais.


A migração na atualidade

Os grandes deslocamentos da atualidade estão desafiando a própria maneira de pensar a condição de imigrante. Diversos países estão repensando suas leis, fechando ou abrindo as suas portas, diz a historiadora Alba Cristina Couto dos Santos Salatino. As causas são os conflitos políticos, e guerras civis ocorridas na Península Arábica, no continente africano que fizeram com que milhares de pessoas se deslocassem do seu país de origem tornando-se refugiados.
O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados- Acnur- estima que mais de 16 milhões de pessoas saíram do seu país de origem em 2016. As migrações voluntárias, em busca de melhores condições econômicas e qualidade de vida, também se intensificaram, nos últimos anos, o que gera um conjunto de necessidade de políticas nacionais e internacionais diferenciadas, que atenda os dois grupos: refugiados e imigrantes.
No Brasil, mais de 9 mil chegaram pedindo refúgio. Dito isso, esse tema pode aparecer no Enem no contexto de Geopolítica e da Sociologia, relacionando com os Direitos Humanos, nos fundamentos da cidadania e das estratégias de inclusão social do imigrante.
A tensão entre a Coréia do Norte e os Estados Unidos ganha ressonância mundial em função de serem duas potências nucleares antagônicas. Este ano comemora-se o centenário da Revolução Russa e do início da Primeira Guerra Mundial, podendo ser este o estímulo para que apareçam no Enem relacionados a geopolítica, a concepção de Estado e relações socioeconômicas.