Publicidade
Jogo único em Brasília

Athletico desmontado decide Supercopa do Brasil contra Flamengo reforçado

Nikão: "Nossa característica é a mesma postura dentro e fora de casa"
Nikão: "Nossa característica é a mesma postura dentro e fora de casa" (Foto: Miguel Locatelli / Site oficial do Athletico)

Athletico e Flamengo decidem, neste domingo (16), a Supercopa do Brasil, esquecida desde 1991 e reeditada pela CBF para este ano. A partida será em Brasília e começa às 11 horas. A Supercopa confronta os campeões da Copa do Brasil e do Brasileirão no ano anterior. Mas pega os times em momentos diferentes da época das conquistas: o time paranaense foi desmontado, ao passo que a equipe carioca está reforçada.

Em setembro, o Athletico foi campeão da Copa do Brasil depois de ter derrotado o Internacional na final. Antes, passou pelo Grêmio (nas semifinais) e pelo Flamengo (nas quartas de final). Na virada do ano, o time paranaense perdeu jogadores importantes, que fizeram parte naquela conquista – sem falar no técnico, Tiago Nunes, hoje no Corinthians. 

O primeiro a sair foi o atacante Marcelo Cirino, autor de uma jogada antológica na final contra o Internacional – que resultou no gol da vitória por 2 a 1, marcado por Rony. Depois, saíram os argentinos Marco Ruben, Tomás Andrade e Braian Romero, que não renovaram contrato. Outro que saiu nessas condições foi o lateral Mádson. Além disso, o volante Bruno Guimarães foi negociado com o Lyon, da França. E o zagueiro Leo Pereira foi exatamente para o Flamengo. E o atacante Rony quase foi negociado, mas aceitou renovar contrato. Neste domingo, ele inclusive deve fazer seu primeiro jogo na temporada.

O Flamengo, por sua vez, trouxe os atacantes Pedro Rocha (ex-Grêmio e Cruzeiro) e Pedro (ex-Fluminense e Fiorentina-ITA) e o meia Michael, ex-Goiás, o jogador mais cobiçado do Brasil após o Brasileirão. Do time que se sagrou campeão brasileiro e da Copa Libertadores, a única baixa foi o zagueiro Pablo Marí, cedido ao Arsenal (Inglaterra). A reposição seria Leo Pereira, mas ele se machucou na quarta-feira (12) e não joga.

Para repor as perdas, o Athletico trouxe apenas o meia Marquinhos Gabriel, o meia-atacante Fernando Canesin e o atacante Carlos Eduardo, além do técnico Dorival Júnior. Neste ano, não venceu nenhuma partida. Em amistosos na Argentina, somou uma derrota e um empate. Além disso, o time disputou uma partida no Estadual – em que o Athletico normalmente usa apenas os aspirantes – e cedeu um empate ao Paraná Clube, dentro da Arena da Baixada.

Para o meia Nikão, mesmo com as mudanças de peças, o time fará prevalecer sua filosofia de jogo. “O Athletico tem a caraterística de ser um time intenso, jovem. Nossa característica é a mesma postura dentro e fora de casa”, disse ele. “Com o Flamengo não vai ser diferente. O time deles tem nosso respeito, eles também nos respeitam”. A única dúvida no Athletico é na zaga. Lucas Halter virou titular neste ano, ao lado de Thiago Heleno. Mas Robson Bambu, que estava a serviço da seleção sub-23, retornou ao clube.

FLAMENGO x ATHLETICO
Flamengo: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique e Filipe Luis; William Arão, Gérson, Arrascaeta e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabriel. Técnico: Jorge Jesus
Athletico: Santos; Khellven, Thiago Heleno, Lucas Halter (Robson Bambu) e Márcio Azevedo; Wellington, Leo Cittadini, Nikão, Fernando Canesin e Rony; Bissolli. Técnico: Dorival Júnior
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Local: Mané Garrincha, em Brasília, domingo, às 11 horas

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES