Copa do Brasil

Athletico enfrenta retrospecto negativo no Beira-Rio, mas conta com fator histórico

Geninho: última vitória do Athletico sobre o Inter em Porto Alegre foi em 2002, com ele no comando
Geninho: última vitória do Athletico sobre o Inter em Porto Alegre foi em 2002, com ele no comando (Foto: Geraldo Bubniak)

A grande decisão da Copa do Brasil de 2019, entre Athletico Paranaense e Internacional, nesta quarta-feira (dia 18), tem dois retrospectos históricos de peso. Um deles é favorável ao time paranaense. Outro, à equipe gaúcha.

Para o Furacão, pesa a vantagem obtida no jogo de ida, a vitória por 1 a 0 na Arena da Baixada, em 11 de setembro. Nas 30 edições da Copa do Brasil, 16 times abriram vantagem no primeiro jogo e 12 deles (75%) conquistaram o título na volta. Só o Palmeiras (em 1998 e em 2015), o Sport (em 2008) e o próprio Internacional (em 1992) conseguiram reverter a derrota do jogo de ida e ficar com a taça.

Para o Inter, pesa o fraco retrospecto do Athletico em Porto Alegre. Nos últimos 15 confrontos entre as duas equipes no Rio Grande do Sul, o Furacão sofreu 11 derrotas e somou quatro empates.

A última vitória do Athletico como visitante sobre o Inter foi em 2002, pela Copa Sul-Minas, pelo placar de 3 a 2. Veja a ficha daquele jogo

COPA SUL-MINAS 2002
12ª Rodada, 23 de março
INTERNACIONAL 2 X 3 ATLÉTICO
INTERNACIONAL: Clemer; Márcio (Fabiano Souza), Chris (Bernardi), Ronaldo e Cássio; Alexandre, Claiton (Leandrão), Fabiano Costa e Carlos Miguel; Fernando Baiano e Daniel Carvalho. Técnico: Ivo Wortmann
ATLÉTICO: Flávio; Nem, Gustavo (Wellington Paulo) e Rogério Corrêa; Luisinho Netto, Flávio Luiz, Kléberson, Adriano e Fabiano; Ilan e Dagoberto (Kléber). Técnico: Geninho
Gols: Fernando Baiano (30-1º e 43-2º), Ilan (36-1º), Adriano (46-1º) e Kléber (33-2º)
Árbitro: Edílson Soares da Silva (RJ)
Local: Estádio Beira Rio, em Porto Alegre

Em toda história, o Inter recebeu como mandante o Athletico em 28 partidas. Venceu 14 e empatou 11. Foram apenas três vitórias do Furacão nesses duelos. Além daquela em 2002, as outras foram em 1998 e em 1996, ambas pelo Brasileirão.

Em 1998, o time do técnico João Carlos Costa venceu por 1 a 0, com gol do atacante Warley. A equipe contava com o goleiro Flávio, o zagueiro Edinho Baiano, o lateral Luizinho Neto, o meia Alex Oliveira e o centroavante Tuta. Em 1996, a vitória por 2 a 0 veio com gols do atacante Paulo Rink e do zagueiro Jorge Luiz. O time do técnico Evaristo de Macedo contava com o goleiro Ricardo Pinto, o zagueiro Reginaldo, o lateral Alberto Valentim, o volante Alex Lopes, os meias Nowak e Piekarski e o atacante Oséas.