Na Grande Buenos Aires

Athletico perde para o River e acaba eliminado da Libertadores

(Foto: Divulgação / Conmebol)

O Athletico lutou, mas acabou eliminado da Copa Libertadores da América 2020. Na noite desta terça-feira (1), o time perdeu para o River Plate por 1 a 0, no estádio Libertadores da América, em Avellaneda (região metropolitana de Buenos Aires, na Argentina).

ATUAÇÕES: Veja quem jogou bem e quem jogou mal no Athletico diante do River Plate

O Furacão precisava vencer a partida ou, na pior das hipóteses, empatar em 2 ou mais gols. O jogo de ida, na arena da Baixada, terminou empatado em 1 a 1. E o gol fora de casa vale como critério de desempate na competição sul-americana.

O classificado enfrenta o vencedor do confronto entre Independiente del Valle (Equador) e Nacional (Uruguai). Os dois times fazem o jogo de volta nesta quarta-feira (2), em Montevidéu. No duelo de ida, com mando do Independiente, houve empate em 0 a 0.

TABELA

Há algumas semanas, o Athletico havia sido eliminado também na Copa do Brasil, diante do Flamengo. Depois desta queda na Libertadores, só resta o Brasileirão nesta temporada. Neste sábado (5), às 19 horas, o time paranaense enfrenta o Fluminense no Rio de Janeiro, pela 24ª rodada do Brasileirão.

DESFALQUES

O elenco do Athletico estava com 11 jogadores infectados pelo coronavírus. Três deles são goleiros: Santos, Jandrei e Leo Linck. Os outros são os laterais Khellven e Abner, os zagueiros Zé Ivaldo e Felipe Aguilar, o volante Jaime Alvarado, o meia Fernando Canesin, o meia-atacante Nikão e o atacante Geuvânio. Assim, o único goleiro disponível para a partida era Bento, que só tinha dois jogos pelo Furacão. Outro desfalque era o atacante Reinaldo, suspenso por ter sido expulso na partida de ida.

ESCALAÇÃO

Com tantos desfalques por Covid-19, o técnico Paulo Autuori resolveu escalar o time com três zagueiros de ofício: Pedro Henrique, Thiago Heleno e Lucas Halter. O meio-de-campo tinha Erick e Leo Cittadini mais pelo lado, Richard e Christian mais recuados e Lucho Gonzalez mais avançado. Um atacante com mobilidade – Carlos Eduardo – e um mais fixo – Walter – completavam o time. “A única coisa que peço aos jogadores é coragem e audácia”, disse Autuori, para a Conmebol TV.

Já o River entrou com o zagueiro paraguaio Robert Rojas no lugar do volante Santiago Sosa. Assim, o time ficou num 3-5-2.

PRIMEIRO TEMPO

O jogo parecia começar quente. O atacante Walter levou  cartão amarelos aos 17 segundos de jogo, por ter dado uma cotovelada em Rojas. A 1 minuto e 32 segundos, Lucho levou uma entrada dura de Enzo Perez, mas o árbitro só deu a falta. Mas foi só; o jogo acalmou depois disso. O Athletico colocava 5 jogadores para fazer marcação alta, no campo do adversário; quando era atacado, fazia uma linha de 5 na defesa. A ideia era sempre tirar espaço do adversário e com isso o time evitou a pressão do River Plate. Mesmo assim, o time paranaense começou a perder terreno a partir dos 20 minutos. Mas conseguiu se segurar na defesa, diante das 11 finalizações (4 certas) dos argentinos na etapa – o Furacão arrematou 7, sendo 2 certas.  

SEGUNDO TEMPO

Na etapa final, o Athletico precisava de um gol para evitar a eliminação, mas não pressionou. O River Plate tomou conta do campo e tocava a bola no entorno da área, tentando a penetração. Os argentinos criaram algumas chances, mas o time paranaense conseguiu se safar, graças a três grandes defesas do goleiro Bento.

Aos 23 minutos, Autuori colocou o meia Ravanelli e o atacante Renato Kayzer nos lugares de Lucho Gonzalez e Walter. Aos 31, o volante Wellington entrou no lugar de Richard e Fabinho substituiu Carlos Eduardo no ataque. Mas o tome não progrediu. Para piorar, aos 37 minutos o árbitro marcou pênalti de Christian em Borré. De la Cruz cobrou na trave, mas a bola bateu em Bento e voltou para o jogador do River fuzilar para dentro. Aos 41, Autuori desfez o esquema ao trocar o zagueiro Lucas Halter pelo atacante Bissoli. O time ficou num 4-3-3. Mas não produziu o suficiente para empatar o jogo – o que levaria a decisão da vaga para os pênaltis. Assim, o Furacão acabou eliminado.

ESTATÍSTICAS

Ao fim do jogo, o Athletico somou 9 finalizações (4 certas), 33% de posse de bola, 61% de passes certos e 4 escanteios. O River Plate obteve 23 finalizações (9 certas e uma na trave), 67% de posse de bola, 82% de passes certos e 9 escanteios. Os números são do site Sofascore.

RIVER PLATE 1 x 0 ATHLETICO

River Plate: Armani; Paulo Diaz, Robert Rojas e Pinola; Montiel, Enzo Pérez, Nacho Fernández (Carascal), De La Cruz (Ponzio) e Casco; Matías Suárez (Alvarez)e Borré. Técnico: Marcelo Gallardo

Athletico: Bento; Pedro Henrique, Thiago Heleno e Lucas Halter (Bissoli); Erick, Richard (Wellilngton), Christian, Lucho Gonzalez (Ravanelli) e Leo Cittadini; Carlos Eduardo (Fabinho) e Walter (Renato Kayzer). Técnico: Paulo Autuori

Gol: De la Cruz (39-2º)

Cartões amarelos: Walter, Casco, De la Cruz, Walter

Árbitro: Jesús Valenzuela (Venezuela)

Local: Estádio Libertadores da América, em Avellaneda (Argentina), terça-feira

LANCES DO JOGO

PRIMEIRO TEMPO

3 – Christian cobra falta para a área e Thiago Heleno cabeceia por cima

6 – Walter faz o pivô e toca para Carlos Eduardo. Ele entra na área e rola para Lucho, que bate a gol. Armani defende em dois tempos

12 – Matias Suarez receber perto da área e bate a gol, mas por cima

15 – Walter pega sobra da defesa e finaliza. A bola desvia e sai à direita

17 – Após escanteio, Walter cruza e novo à área. Thiago Heleno desvia e Erick, quase na pequena área, finaliza por cima

19 – Borré recebe nas costas de Lucas Halter e finaliza cruzado. Bento sai e defende

25 – Montiel cruza, De la Cruz escora e Casco chuta de primeira. A bola sai rente à trave

28 – Fernandez lança rasteiro. Matias Suarez finaliza. Bento defende com o pé e a bola ainda bate na trave antes de Christian afastar

28 – Em contra-ataque, Leo Cittadini cruza e Carlos Eduardo cabeceia. Armani pega

31 – Borré recebe perto da área e finaliza por cima do gol

33 – De la Cruz arremata de longe, com efeito. Bento pega

38 – Christian cobra falta para a área. Casco desvia de cabeça e quase marca contra. A bola assusta e sai em escanteio

42 – Nacho Fernandez cruza. A bola vai direto a gol e Bento põe para escanteio

43 – Matias Suarez recebe na área, de frente para o gol. Carlos Eduardo trava o chute na hora H. Depois, a bola cai com De la cruz, que bate de fora da área. Bento salta no canto e defende

SEGUNDO TEMPO

10 – De la Cruz cobra falta e Bento espalma no canto direito. Borré pega a sobra e bate cruzado a gol. Bento salva de novo

12 – Christian avança e bate a gol. Armani pega

16 – Montiel recebe nas costas de Leo Cittadini e cruza. Matias Suarez, de frente para o gol, cabeceia. A bola desvia em Pedro Henrique e vai por cima. Após o escanteio, Suarez cabeceia para fora

21 – Borré cruza. Matias Suarez escora d De la Cruz aparece livre na frente do goleiro e finaliza. Bento sai, fecha o ângulo e salva o gol

26 – Casco cai pela esquerda e cruza, tirando de Bento. Montiel finaliza sem goleiro, mas acerta em cima de Richard

27 – Casco cruza. Montiel aparece nas costas da defesa e bate para fora

35 – Borré cruza, Pedro Henrique afasta e Montiel finaliza de primeira, mas manda por cima

37 – Carrascal cruza para trás. Borré cai na área em disputa com Christian. O árbitro marca pênalti

39 – Gol do River Plate. De la Cruz cobra o pênalti. A bola vai na trave, toca em Bento de novo e sobra para de la Cruz, que fuzila

40 – Ravanelli recebe de Leo Cittadini e bate de fora da área. Armani espalma

45 – Montiel recebe no bico da área, dribla Leo Cittadini e bate a gol. Bento pega