Em isolamento

Atividades on-line ajudam idosos durante a pandemia. Veja dicas

(Foto: Shutterstock)

O Brasil tem mais de 28 milhões de idosos e até 2031 a expectativa, segundo o Ministério da Saúde, é que o número chegue a 43 milhões. O Dia Nacional e Mundial da Pessoa Idosa, celebrado nesta quinta-feira (1º de outubro), é uma oportunidade para que as pessoas lembrem que a idade chega para todos e que é preciso estar preparado para isso.

Para a médica especialista em geriatria da Unimed Curitiba, Taísa Gonçalves de Resende, o envelhecimento é um processo natural do ser humano e causa mudanças que alteram o equilíbrio, a força e a capacidade funcional e isso influencia diretamente na qualidade de vida e na autonomia para realização de atividades diárias.” Para prevenir e até mesmo reverter os efeitos dessas mudanças, é fundamental manter o corpo e a mente saudáveis na terceira idade”, explica.

Em tempos de pandemia, com tantas restrições, o cuidado deve ser redobrado. “É preciso garantir a saúde física e mental dos idosos. Só assim é possível assegurar a qualidade de vida deles”. Kaiane Jacobowski Dos Santos, orientadora física do setor de Promoção à Saúde da cooperativa curitibana, lembra que mesmo virtualmente é possível exercitar corpo e mente, fazer novos amigos, conversar e manter-se ativo. “Eu gosto muito de trabalhar com esse público, porque temos muita troca. Com eles, eu aprendo muito mais do que ensino. Eu ensino exercício físico e formas de ter mais qualidade de vida, mas eles me ensinam lições sobre a vida e compartilham suas experiências. E é muito gratificante proporcionar um ambiente em que eles possam ser mais saudáveis e ter mais autonomia – um dos principais ganhos na terceira idade. Já tive relato de diabéticos, por exemplo, que não tiveram mais crises ou idosos contaram que a pressão que ficou controlada depois de participar das ações do Vida Saudável. Fico muito feliz em ver o resultado, de perceber que eles conseguem levantar da cadeira sem apoio, subir escada sozinhos e realizar muitas coisas que eles antes não faziam”, afirma.

Mônica Oliveira Callegari, de 63 anos, conta que, em virtude da pandemia da COVID-19, não pode mais sair para praticar suas atividades e nem frequentar a academia e as aulas de pintura. “Para ficar em casa, resolvi fazer aulas de inglês, pintura e dança, e busquei um programa on-line para idosos para completar minha necessidade de exercícios. Tenho saudades do grupo, porque nos encontrávamos três vezes por semana. Com as aulas pelo Zoom, consigo ver meus colegas e falar com eles”, conta.

Dicas

A médica geriatra compartilha algumas dicas e orientações para idosos enfrentarem esse período de pandemia com saúde. “O confinamento pode colocar alguns idosos em maior risco pelas consequências não intencionais do isolamento, como a solidão”, enfatiza Taísa. Para amenizar essa situação, ela listou algumas maneiras de tornar a quarentena mais tranquila.

Confira:

Identifique conexões com pessoas que você considera essenciais para sua saúde, bem-estar e qualidade de vida.
Faça ligações por vídeo e participe de grupos de conversa online.
Tome sol, sente-se na varanda, acene para seus vizinhos, mas dentro do seu terreno. Esse é o momento perfeito para limpar seu jardim e plantar sementes.
Faça exercícios físicos moderadamente para melhorar o astral e manter sua saúde em dia.
Seja criativo e reúna-se virtualmente com seus amigos, familiares e pessoas queridas para conversar sobre livros, séries ou filmes, e encontre um momento para praticar seu hobby ou atividades que envolvam raciocínio, como palavras cruzadas, xadrez e caça palavras.
Mantenha os seus hábitos diários de autocuidado.
Se você mora em uma casa de repouso, procure manter contato com seus entes queridos pela internet.
Se informe, mas com moderação. Não se sobrecarregue com muitas notícias.
Continue tomando os cuidados já conhecidos para evitar a contaminação.
Fique atento se apresentar algum sintoma.
Lembre-se de que você não está sozinho.

Programa Vida Saudável

A Unimed Curitiba investe no programa Vida Saudável e promove ações que ajudam a oferecer mais qualidade de vida aos beneficiários com mais de 60 anos. Mais de 150 pessoas, com idade entre 60 e 89 anos, participam assiduamente das atividades, que envolvem aspectos físicos, mentais e sociais. Antes da pandemia da COVID-19, os encontros eram realizados três vezes por semana em um shopping da cidade. Em virtude da crise e das medidas de distanciamento físico para evitar a disseminação do novo coronavírus, as reuniões passaram a ser realizadas virtualmente. O programa é exclusivo para clientes e mais informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3021-9193 ou e-mail preventiva@unimedcuritiba.com.br.