Fez história

Atlético vence o Fluminense em pleno Maracanã e vai à final da Sul-Americana

Nik\u00e3o comemora o primeiro gol do Atl\u00e9tico
Nik\u00e3o comemora o primeiro gol do Atl\u00e9tico (Foto: Dhavid Normando)

O Atlético fez história e chegou lá. Está na final da Copa Sul-Americana de 2018. Na noite desta quarta-feira (28), o time derrotou o Fluminense por 2 a 0 no gramado do Maracanã, no Rio de Janeiro. Foi a primeira vez que uma equipe paranaense chegou à final dessa competição internacional.

O Furacão foi ao Maracanã com uma grande vantagem para esse jogo. Por ter vencido o duelo de ida, na Arena da Baixada (2 a 0), o time podia perder por até um gol de diferença. Ou por até dois gols, se marcasse ao menos um gol. Na Copa Sul-Americana, o gol fora de casa vale como critério de desempate em caso de igualdade em pontos e saldo de gols.

A outra semifinal será decidida nesta quinta-feira (29), no confronto entre o Junior de Barranquilla e Independiente Santa Fe, ambos da Colômbia. No jogo de ida, o Junior venceu fora de casa por 2 a 0. Só fica sem a vaga à final se perder o duelo de volta por pelo menos dois gols de diferença e se sofrer no mínimo três gols.

As finais serão nas duas próximas quartas-feiras, em 5 e 12 de dezembro. O primeiro jogo será na Colômbia e o segundo, em Curitiba. O campeão da Copa Sul-Americana garante vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2019.

TABELA

O Atlético ainda tem um jogo do Brasileirão para realizar ainda neste ano. No sábado (1/12), às 19 horas, o time enfrenta o Flamengo, no Rio de Janeiro. Se vencer e o Atlético-MG não derrotar o Botafogo, o time paranaense termina o Brasileirão em 6º lugar e, com isso, consegue vaga na Libertadores do próximo ano – porém, nas fases preliminares, não na fase de grupos.

CAMPANHA

Na Copa Sul-Americana, o Atlético se notabilizou por conseguir bons resultados fora de casa. Derrotou Peñarol-URU (4 a 1), Caracas-VEN (2 a 0) e Bahia (1 a 0). A exceção foi o Newell's Old Boys-ARG, na primeira fase, em que o time paranaense foi derrotado por 2 a 1 – ganhou a vaga por ter vencido em casa por 3 a 0.

TÉCNICO

O jogo desta quarta foi o 34º de Tiago Nunes no comando do time principal do Atlético. Nas 33 partidas anteriores, ele somou 19 vitórias, 7 empates e 7 derrotas – incluindo Brasileirão, Sul-Americana e uma partida da Copa do Brasil.

ESCALAÇÕES

Nunes usou um time reserva na última partida – 2 a 2 com o Ceará, no domingo – para poder ter os titulares descansados e disponíveis para esta quarta-feira. As exceções eram os desfalques por lesão, caso de Paulo André. Nunes conseguiu usar o mesmo time-base das últimas partidas, no 4-2-3-1 de sempre. O volante Bruno Guimarães, que chegou a sentir o tornozelo, acabou escalado.

PRIMEIRO TEMPO

O Atlético enfrentava um Fluminense em desespero, que precisava de muitos gols, mas que não os havia feito nos últimos sete jogos. O time carioca tentou ir para cima desde o começo, mas o Furacão abriu o placar logo aos 5 minutos, com Nikão. Diante de um rival ainda mais desesperado, o Furacão se fechou, à espera de brechas. O Flu cruzou muitas bolas à área (15 ao todo). E até trocou de peças – saiu o zagueiro Paulo Ricardo, entrou o lateral Léo (ex-Atlético) – e de esquema – do 3-4-3 para o 4-3-3. Mas o time paranaense segurou a vantagem com eficiência. Tanto que o goleiro Santos não precisou fazer nenhuma defesa.

SEGUNDO TEMPO

Na etapa final, Tiago Nunes pediu que o time mantivesse a postura, com marcação compacta e saída “na boa”. E foi numa saída “na boa” que o Atlético marcou o segundo gol, aos 9 minutos, com Bruno Guimarães. A essa altura, o Flu precisaria de cinco gols. Com essa vantagem, o treinador do Furacão deu-se o luxo de fazer alterações para poupar jogadores a partir dos 20 minutos. Trocou Marcelo Cirino por Rony, Lucho Gonzalez por Wellington e Raphael Veiga por Marcinho. Manteve-se sólido na defesa, a ponto não apenas de garantir a classificação sem sustos, mas também de ampliar o jejum de gols do adversário.

ESTATÍSTICAS

Na partida, o Atlético finalizou 8 vezes (3 certas), esteve com a bola por 35% do tempo, acertou 91% dos passes e conseguiu 3 escanteios. O Fluminense somou 14 finalizações (3 certas), 65% de posse de bola, 92% de eficiência nos passes e 6 escanteios. Os números são do Footstats.

 

FLUMINENSE 0 x 2 ATLÉTICO-PR
Fluminense: Júlio César; Paulo Ricardo (Léo), Gum (Dodi) e Digão; Jadson, Richard, Sornoza e Ayrton Lucas; Júnior Dutra, Luciano e Marcos Júnior (Everaldo). Técnico: Marcelo Oliveira
Atlético-PR: Santos; Jonathan, Léo Pereira, Thiago Heleno e Renan Lodi; Bruno Guimarães e Lucho Gonzalez (Wellington); Marcelo Cirino (Rony), Raphael Veiga (Marcinho) e Nikão; Pablo. Técnico: Tiago Nunes
Gols: Nikão (5-1º), Bruno Guimarães (9-2º)
Cartões amarelos: Gum
Árbitro: Julio Bascuñán (Chile)
Público: 35.451 (pagante), 37.208 (total)
Renda R$ 1.286, 580,00
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro, quarta-feira

 

LANCES DO JOGO

PRIMEIRO TEMPO

5 – Gol do Atlético. Lucho rouba bola e lança Marcelo Cirino, que cruza da direita. Pablo não alcança, mas Nikão no bico da pequena área e bate para dentro, de primeira

10 – Júnior Dutra cruza. Thiago Heleno afasta parcialmente. Ayrton Lucas pega a sobra e manda por cima do gol

18 – Luciano recebe na área e finaliza. A bola desvia em Thiago Heleno e não entra

19 – Raphael Veiga cruza. Marcelo Cirino cabeceia por cima do gol

21 – Luciano tenta o chute de primeira, no meio da área, e manda por cima

24 – Júnior Dutra recebe a bola na área e ajeita para Luciano, que erra o chute e cai. O Fluminense pede pênalti, mas o árbitro manda seguir

27 – Cirino erra o domínio da bola na área. Pablo ajeita e Raphael Veiga bate por cima, de fora da área

28 – Richard arrisca de fora da área e manda à esquerda do gol

31 – Renan Lodi cruza. Marcelo Cirino entra em velocidade na área, mas pega mal na bola e manda fora

SEGUNDO TEMPO

7 – Luciano é lançado, passa por Santos e fica com o gol vazio à sua frente. Thiago Heleno salva o gol certo

9 – Gol do Atlético. Nikão puxa contra-ataque e rola para Marcelo Cirino, que cruza rasteiro. Bruno Guimarães surge na pequena área e toca para dentro

20 – Richard arrisca de fora da área. Santos pega

21 – Nikão rola para a meia-Lua. Raphael Veiga arremata mal e manda longe

27 – Richard arremata de fora da área. Santos pega

29 – Nikão arranca do campo de defesa, chega perto da área e bate a gol. A bola sai rente à trave direita e raspa a rede do lado de fora

37 – Falta para o Fluminense. Sornoza rola e Ayrton Lucas dispara para fora

41 – Nikão bate cruzado, do bico da área. Júlio César defende ao pé da trave

47 – Ayrton Lucas tabela com Jadson, recebe e bate forte, cruzado. Santos faz grande defesa