Atração fatal

A bancada de oposição ao governo Beto Richa na Assembleia Legislativa usou um argumento curioso para tentar atrair a bancada do PSC do deputado e secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior para o bloco dos contrários ao pacote de medida de contenção de gastos que deve ser votado hoje. Lembrou que a Sedu – Pasta comandada por Ratinho Jr – foi a maior atingida pelo contingenciamento de R$ 11 bilhões, ou 25% do Orçamento do Estado para 2015.

Corte drástico
Dos R$ 492 milhões previstos para a Sedu em 2015, só R$ 11 milhões continuam disponíveis. Os demais 98% da verba da Pasta estão condicionados à recuperação da receita, o que pode ou não ocorrer diante do cenário de recessão econômica que vive o País. Já pastas como Casa Civil, Meio Ambiente e Educação não sofreram cortes.

Mudando de assunto
Os oposicionistas acusaram ontem parlamentares da base do governo de se inscreverem para usar a tribuna da Casa e depois desistirem de discursar apenas para impedir que deputados da oposição ocupassem o espaço. Em meio ao clima de tensão provocado pela discussão do pacote do governo, os deputados Pedro Lupion (DEM) e Élio Rusch (DEM) usaram a tribuna para falar da ponte da Amizade, na fronteira entre o Paraná e o Paraguai.

Expulsos
O governo do Estado demitiu 103 servidores públicos, no ano passado, sendo 44 funcionários civis dispensados por conduta irregular, após processo disciplinar. A informação é do Livre.jor – coletivo de jornalistas independentes especializado na análise de diários oficiais e documentos públicos. Outros 15 servidores concursados que ainda estavam em estágio probatório foram demitidos por não cumprirem os requisitos do cargo. Um deles conseguiu reverter a demissão na Justiça. Entre os militares, foram expulsos 59 servidores da PM paranaense em 2014 por prática de condutas tipificadas como crime e transgressões disciplinares que afetaram o decoro da classe, o pundonor militar e a honra pessoal.

Queda livre
Levantamento da Paraná Pesquisas divulgado no último final de semana aponta que se o segundo turno da eleição presidencial fosse hoje, a presidente Dilma Rousseff (PT) perderia para o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Entre 21 e 27 de janeiro, o instituto perguntou a 2.027 eleitores de todo o país se eles manteriam o voto dado em 26 de outubro. O instituto apurou que 21,7% dos que votaram em Dilma não repetiriam sua escolha. Nesse caso, o contingente dos votos de Dilma cairia de 54,5 milhões para 42,7 milhões. Apenas 3,8% dos que votaram em Aécio mudaram de opinião. O eleitorado de Aécio caiu de 51 milhões para 49,1 milhões de votos, na frente, portanto, de Dilma que perdeu o apoio de 11,8 milhões de eleitores.

Tarifa social
O vereador Geovane Fernandes (PTB) anunciou que pretende apresentar um projeto de lei que cria a tarifa social do transporte coletivo de Curitiba. Cada residência pagaria uma tarifa média de R$ 25,00 por mês, independente da quantidade de moradores. As empresas pagariam R$ 35,00 por trabalhador. Fiz um estudo. Tenho parecer de três juristas e o projeto é constitucional. O transporte pode ser liberado no município. Basta o projeto ser votado pela Câmara e encaminhado ao prefeito, defendeu Fernandes.

Comissionados
A vereadora Noemia Rocha (PMDB) encaminhou pedido de informação à Prefeitura de Curitiba questionando quantos cargos em comissão, de qualquer simbologia, estão ocupados no Município. Ela pede que a resposta detalhe os órgãos da administração direta indireta, como autarquias e fundações.