Susto

Avião com vacinas entra em rota de colisão com jato da Gol em Curitiba

Imagem com a trajetória das duas aeronaves
Imagem com a trajetória das duas aeronaves (Foto: Reprodução)

Um avião monomotor do governo do Paraná, com vacinas contra a Covid-19 a bordo, acabou entrando em rota de colisão com um jato da Gol em Curitiba. Contudo, os aviões manobraram em tempo e evitaram um acidente aéreo.

O caso aconteceu por volta das 12h50 desta terça-feira (19). Um avião Cessna C208 Caravan havia decolado do aeroporto do Bacacheri, em Curitiba, com destino a Londrina. O monomotor levava doses da vacina CoronaVac. O voo G3 1212 da Gol vinha do aeroporto de Guarulhos (grade São Paulo) e iria pousar no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba).

Nisso, o monomotor fez uma curva à direita e entrou na rota do avião da Gol. De acordo com um áudio de Controle Aéreo, obtido pelo Aeroin, uma controladora de voo avisou o avião da Gol a abandonar a aproximação ao Afonso Pena, para não colidir com o monomotor. Os pilotos da Gol fizeram uma curva para evitar a colisão e agradeceram. Depois, o monomotor informou que corrigiu a rota para a curva prevista, que era para a esquerda e não à direita. O avião de pequeno porte seguiu para Londrina e o avião da Gol pousou sem problemas em são José dos Pinhais.

O incidente – chamado de “close call”, quando um acidente fica perto de acontecer – será alvo de investigação.

A Casa Civil emitiu uma nota sobre o ocorrido, na qual explica a trajetória a uma 'atitude inesperada' do piloto automático do avião.  Veja a  nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Em atenção ao incidente havido no dia de hoje (19/01/2021), envolvendo aeronave Grand-Caravan, prefixo PP-MMS, do Estado do Paraná, e de aviação comercial, no terminal do aeroporto Afonso Pena, em Curitiba/PR, a Casa Militar da Governadoria tem o seguinte a informar:

Segundo relato do comandante da aeronave prefixo PP-MMS, após todos os procedimentos técnicos de decolagem, o piloto automático, devidamente acoplado, apresentou uma atitude inesperada, curvando à direita. Diante disso, a tripulação tomou os procedimentos técnicos necessários, porém este não respondeu de imediato, e que logo após foi obtida a informação de tráfego. Nesse momento, foi desacoplado o piloto automático e retomado o procedimento de decolagem sem o auxílio do equipamento.

Ressaltamos que não houve um acidente, mas um incidente, o qual foi devidamente reportado às autoridades aeronáuticas. Dentro da dinâmica da aviação, foram tomadas as medidas técnicas mitigadoras para manter a segurança de voo. Isso significa que a tripulação estava atenta e segura em seus procedimentos.

Após a Casa Militar tomar conhecimento do fato, determinou que a aeronave permanecesse em solo, até a intervenção de manutenção. Nesse tocante, destacamos que todas as aeronaves sob responsabilidade do órgão estão com suas manutenções em dia. Em relação ao incidente, sem prejuízo da apuração aeronáutica, a Casa Militar irá realizar uma averiguação interna do ocorrido.

Curitiba, PR, 19 de janeiro de 2021.

Casa Militar da Governadoria