Publicidade

Bahia repete boa atuação, vence Nacional fora e avança na Sul-Americana

O Bahia está na segunda fase da Copa Sul-Americana. Na noite desta quarta-feira, conseguiu repetir a boa atuação do jogo de ida, quando venceu por 3 a 0 em Salvador, e bateu novamente o Nacional-PAR, desta vez por 3 a 1, fora de casa, em pleno Estádio Luis Alfonso Giagni, na cidade de Villa Elisa, no Paraguai. Gilberto, com dois gols, foi o destaque da partida.

Assim, o Bahia acaba com má fase brasileira na Sul-Americana, afinal Fluminense, Goiás e Atlético-MG já foram eliminados, e se junta ao Vasco como representante do país na segunda fase. O Fortaleza, por sua vez, entra em campo nesta quinta-feira precisando vencer o Independiente-ARG por dois gols de diferença para avançar.

Quanto ao próximo adversário do Bahia, ainda não é possível conhecer quais serão os confrontos, que serão decididos via sorteio. Afinal, além da primeira etapa ainda estar sendo disputada, o próximo estágio contará com dez clubes vindos da Copa Libertadores (dois da terceira fase preliminar e os oito terceiros colocados das chaves na fase de grupos).

Mesmo em vantagem e jogando fora de casa, o Bahia começou a partida fazendo pressão na área adversária, tanto que não demorou para abrir o placar. Logo aos dois minutos, Rossi lançou Élber na entrada da área, que só teve o trabalho de dar um toquinho de perna direita para tirar do goleiro Rojas e mandar a bola para o fundo das redes. Depois do susto, o Nacional até tentou equilibrar o duelo, mas pouco conseguiu incomodar a defesa brasileira.

Do outro lado, o Bahia seguiu objetivo em seus ataques e, aos 31 minutos, conseguiu ampliar o placar. João Pedro cruzou para Gilberto, mas na hora de afastar o perigo, o zagueiro do Nacional tocou com o braço na bola. Atento no lance, o árbitro marcou pênalti. O próprio camisa 9 do time baiano foi para a cobrança e não desperdiçou, batendo no meio do gol.

Ainda no primeiro tempo, o time visitante fez o terceiro gol e praticamente decretou a vitória. Aos 44, Rossi disparou pela esquerda e deu um toque açucarado para Gilberto, que chutou de primeira, na saída do goleiro Rojas, que só olhou a bola entrar. O duelo foi para o intervalo com o placar de 3 a 0 para o Bahia.

Mesmo assim, logo no início do segundo tempo, o Nacional conseguiu descontar. Aos cinco minutos, após um cruzamento, Lucas Fonseca foi tentar afastar de cabeça e também bateu com a mão na bola. Villagra foi para a cobrança e bateu firme no canto direito do goleiro Anderson, que até pulou para o lado certo, mas não conseguiu chegar na bola. A parti daí, o ritmo do duelo caiu um pouco.

Apesar disso, o Bahia teve a chance de ampliar ainda mais o placar. Aos 33 minutos, João Pedro arriscou de fora da área e parou na defesa parcial de Rojas. No rebote, Fernandão se atrapalhou e não conseguiu finalizar, mas tocou para Rossi, que de frente para o gol, chutou por cima. Assim, o duelo terminou mesmo com a vitória brasileira pelo placar de 3 a 1.

FICHA TÉCNICA:

NACIONAL-PAR 1 x 3 BAHIA

NACIONAL-PAR - Santiago Rojas; Juan Franco, Hugo Espínola, Luís Cabral e Farid Díaz; Julián Benítez (Santacruz), Edgar Zaracho e Cristian Riveros; Franco Costa (Ernesto Álvarez), Leonardo Villagra (Borja) e Guillermo Beltrán. Técnico: Roberto Torres.

BAHIA - Anderson; João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Flávio, Gregore e Élber (Daniel); Clayson (Artur Caíke), Rossi e Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado.

GOLS - Élber, aos dois, Gilberto aos 31 e aos 44 minutos do primeiro tempo. Villagra, aos cinco minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Benítez, Cabral, Franco e Hugo Espínola (Nacional) e Artur Caíke e Juninho Capixaba (Bahia).

ÁRBITRO - Patricio Loustau (ARG).

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Estádio Luis Alfonso Giagni, em Villa Elisa, no Paraguai.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES