Polêmica

Bancada evangélica da Assembleia defende boicote a especial de Natal do 'Porta dos Fundos'

Alexandre Amaro (Republicanos), pastor da Igreja Universal: "Se não retirarem do ar vamos cancelar as assinaturas (do Netflix)"
Alexandre Amaro (Republicanos), pastor da Igreja Universal: "Se não retirarem do ar vamos cancelar as assinaturas (do Netflix)" (Foto: Dálie Felberg/Alep)

Deputados da bancada evangélica da Assembleia Legislativa repudiaram hoje o especial de Natal do grupo humorístico “Porta dos Fundos”, intitulado “A primeira tentação de Cristo” e defenderam boicote à Netflix, que disponibilizou o programa. As críticas foram puxadas pelo deputado estadual Alexandre Amaro (Republicanos), pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, que recebeu apoio de vários parlamentares.

O episódio se passa no aniversário de 30 anos de Jesus e satiriza seu retorno após 40 dias de jejum no deserto. No vídeo, Jesus, interpretado por Gregório Duvivier, tem um amigo interpretado por Fábio Porchat, com quem vive um romance. No programa, José e Maria contam para Jesus que Deus é seu verdadeiro pai.

Segundo o deputado Amaro, o filme do “Porta dos Fundos” teria o objetivo de atacar a fé cristã. “O filme comete vilipêndio a objeto de cunho religioso, o que é crime, segundo o Código Penal”, alegou o parlamentar. “Rechaçamos todo e qualquer ato como esse que o Porta dos Fundos fizeram. Nós aqui na Assembleia não aceitamos esse tipo de situação”, afirmou ele, que disse falar em nome da bancada evangélica da Casa, que têm dez parlamentares.

Leia mais no blog Política em Debate