Governo

Richa autoriza recursos para equipamentos e obras em Londrina

O governador Beto Richa assinou nesta sexta-feira (19) a autorização para a prefeitura de Londrina obter recursos no valor total de R$ 20 milhões, pelo Sistema de Financiamento de Ações Municipais. Os recursos serão aplicados em obras de pavimentação asfáltica e em aquisição de equipamentos rodoviários.

A autorização foi dada durante encontro com o prefeito Alexandre Kireeff, na prefeitura de Londrina. No mesmo ato, o governador e o prefeito firmaram termo de cooperação para implantação da UPS-Cidadania. Richa também entregou 16 novas viaturas para a polícia de Londrina. O secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, participou do encontro

Estamos cumprindo o nosso compromisso de investir nessa cidade, que por muitos anos foi esquecida pelo Estado. Hoje, Londrina pode contar com o governo estadual, disse o governador. Os investimentos do Governo do Estado no setor rodoviário, em energia, saneamento e infraestrutura urbana somam mais de R$ 230 milhões em Londrina.

O prefeito destacou a importância dos investimentos e falou sobre as dificuldades do município na área de infraestrutura urbana. Com as constantes chuvas, a situação do pavimento das ruas da cidade está crítica. Esses recursos serão fundamentais para recuperar as avenidas e o novo será usado na recuperação de estradas rurais, disse o prefeito.

Richa citou outras ações do governo estadual em Londrina, como o envio total de 48 novas viaturas policiais e a reconstrução do Cine Tetro Ouro Verde. O projeto de reconstrução está passando por ajustes. Em breve anunciaremos o início das obras, disse o governador.

Beto Richa citou a duplicação do primeiro trecho da rodovia PR-445, entre Londrina e Cambé, no valor de R$ 100 milhões. O investimento é integralmente bancado pelo Governo do Estado. É a maior obra feita pelo governo estadual da história de Londrina, disse Richa. Cerca de 30% das obras já estão realizadas.

O próximo trecho, de Cambé a Mauá, será realizado por meio de Parceria Público-Privada (PPP). O projeto ficará pronto até novembro deste ano. Com o projeto pronto, iremos discutir como faremos a licitação, disse Richa.

Outros projetos rodoviários serão realizados pelo modelo de PPP: a duplicação da PR-323, saindo de Maringá até Umuarama e com melhorias até Guairá, e a duplicação da PR-092, entre Jaguariaíva até Santo Antônio da Platina.

Na área de desenvolvimento urbano, já estão autorizados para licitação, investimentos de R$ 3,6 milhões, pelo Sistema de Financiamento de Ações Municipais. O recurso será aplicado na duplicação e recapeamento da avenida Castelo Branco, ampliação de duas pontes e a execução de cinco quilômetros de recape asfáltico no município.

SANEAMENTO E ENERGIA - Só os investimentos em energia e saneamento somam R$ 127,2 milhões em Londrina. Da Sanepar, somadas obras concluídas recentemente e obras iniciadas, o volume de recursos chega a R$ 42,2 milhões. No último dia 4 de julho, foram assinadas ordens de serviços que somam R$ 35,9 milhões.

Os trabalhos incluem a ampliação da Estação de Tratamento de Água Tibagi e a execução de 3,3 quilômetros de adutoras na região do Aeroporto, obra necessária para viabilizar a duplicação da pista do Aeroporto Governador José Richa.

Com essas obras, o abastecimento de água tratada e de qualidade para a cidade está garantido pelos próximos 20 anos. Além disso, já estão asseguradas, para Londrina e região, até o final de 2014, mais R$ 150 milhões para ampliação dos sistemas de distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto.

Já foi entregue 1,5 quilômetro de anéis, que reforça o sistema de distribuição de água tratada para a região Noroeste de Londrina, feita a recuperação de sete módulos de filtros da Estação de Tratamento de Água Tibagi, implantado o sistema de controle de odor e desinfecção na Estação de Tratamento de Esgoto Esperança e a perfuração de poço tubular profundo na Aquífero Serra Geral.

Já a Copel destina R$ 85 milhões em subestações, linhas de transmissão e melhorias gerais na rede elétrica. É um dos maiores investimentos da história de Londrina e região. A principal obra em andamento é a subestação Jardim Maringá, que irá atender 36 mil casas perto do Centro. A obra, orçada em R$ 25 milhões, compreende uma linha de transmissão, uma subestação e oito circuitos alimentadores de distribuição.

A Copel também está ampliando as subestações Londrina, Londrina Eletrosul, Igapó e Vera Cruz, além da construção de outras quatro linhas de transmissão que interligarão unidades do município com outras localizadas em Ibiporã, Rolândia e Figueira.

A futura subestação no Jardim Maringá será interligada a outras duas unidades existentes na cidade: Igapó e Jardim Bandeirantes 2. A linha de transmissão que fará a integração das três subestações terá 10,8 quilômetros de extensão. O conjunto aumentará a disponibilidade de energia elétrica e a confiabilidade de operação do sistema a partir de sua conclusão, prevista para dezembro de 2013.