Biden fará apelo à unidade nacional em discurso e tomará ações contra covid-19

Washington, 17/01/2021 - O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, fará um apelo por unidade nacional quando tomar posse, na próxima quarta-feira, e planeja ações imediatas para combater a pandemia de covid-19 e desfazer algumas das políticas mais controversas de seu antecessor, Donald Trump, disse seu novo chefe de gabinete neste domingo.

Biden pretende realizar uma série de ações executivas em suas primeiras horas na função, no que está se configurando como uma blitz de 10 dias, com passos para reorientar o país sem esperar pelo Congresso, afirmou Ron Klain. Ele disse à CNN que Biden, em seu discurso inaugural para a nação, vai apresentar "uma mensagem de fazer este país avançar, uma mensagem de unidade, uma mensagem de como fazer as coisas".

Neste sábado (16), Klain já havia indicado, em memorando distribuído à equipe sênior, que Biden deve acabar com a restrição de Trump sobre a imigração para os EUA de alguns países de maioria muçulmana, buscar o reingresso no acordo climático de Paris e exigir uso de máscara em propriedade federal e durante viagens interestaduais.

Outras ações incluem estender a pausa nos pagamentos de empréstimos estudantis e ações para evitar despejos e execuções hipotecárias para aqueles que lutam durante o pandemia. "Estas ações executivas irão proporcionar alívio a milhões de americanos que estão lutando para enfrentar essas crises", disse Klain no memorando. "O presidente eleito Biden tomará medidas não apenas para reverter os piores danos da administração Trump, mas também para começar a mover nosso país para frente."

Klain disse que Biden também vai propor um amplo projeto de lei sobre imigração já em seu primeiro dia. Ele destacou no memorando que a "plena realização" dos objetivos do novo presidente vai exigir ações do Congresso. "Eu acho que há pessoas em ambos os partidos com quem podemos trabalhar para mover essa agenda para frente", disse assessor neste domingo, observando os eleitores elegeram um Senado 50%-50%, no qual a vice-presidente eleita Kamala Harris servirá como voto de desempate.

"Teremos que encontrar maneiras de fazer democratas e republicanos trabalharem juntos para fazer as coisas", afirmou Klain.

Na quinta-feira, segundo dia do novo presidente no cargo, Biden deve assinar ordens relacionadas ao surto de covid-19 visano reabrir escolas e empresas e expandir os testes de vírus, disse Klain. No dia seguinte, sexta-feira, serão vistas ações para fornecer alívio econômico para aqueles que sofrem os custos econômicos da pandemia.

Na semana seguinte, Biden tomará medidas adicionais relacionadas à reforma da justiça criminal, mudanças climáticas e imigração - incluindo uma diretiva para acelerar o reagrupamento de famílias separadas na fronteira EUA-México sob as políticas de Trump -, acrescentou Klain. Segundo ele, mais ações serão adicionadas assim que a revisão legal for aprovada.

Os presidentes norte-americanos tradicionalmente agem rapidamente para assinar uma série de ações executivas assim que tomam posse. Trump fez o mesmo, mas encontrou muitas de suas ações contestadas e até rejeitadas pelos tribunais.

Klain afirmou que Biden não deve sofrer problemas semelhantes, afirmando que "a teoria jurídica por trás delas é bem fundamentada e representa a restauração de um papel constitucional apropriado para o presidente".

Fonte: Associated Press

Assuntos