Transtornos psicológicos

Black Friday: Excesso de compras pode esconder problemas de Saúde Mental

(Foto: Divulgação)

A Black Friday dá início a temporada de compras de fim de ano. A profusão de anúncios indica que a melhor hora de comprar é agora e que o consumidor não pode perder essa oportunidade. No entanto, para algumas pessoas, o problema é maior do que apenas a fatura do cartão de crédito. O psiquiatra especialista em compulsão, Luiz Guimarães, da Holiste Psiquiatria, faz um alerta: quando comprar se torna uma mania que, além do prejuízo financeiro, causa prejuízo emocional, pode ser o sintoma de um transtorno de depressão ou ansiedade.

“O consumo tende a crescer nesta época do ano e há quem perca o controle com a enxurrada de anúncios. Quadros de consumismo podem vir à tona, e são normais. Contudo, é preciso distinguir uma situação episódica de uma situação repetitiva. A compulsão por compras gera vergonha, ansiedade, culpa, prejuízo no orçamento pessoal ou familiar, e é crônica - ou seja, se repete frequentemente. Muito se fala sobre as dependências químicas – álcool e drogas -, mas essas são apenas algumas das facetas dos comportamentos dependentes”, explica.

Eu escondo as sacolas

Luiz Guimarães aponta que o sentimento de culpa nos dependentes de compras é tão grande que, após um episódio de consumismo, alguns escondem as sacolas de compras ou sequer tiram do porta-malas para não confrontar os objetos adquiridos. A tática também é utilizada para não causar problemas familiares e evitar discussões. Esconder as sacolas pode ser um sintoma importante para descobrir o problema.

“A pessoa pensa o tempo todo naquela experiência e fica presa naquele pensamento intrusivo. Do ponto de vista biológico, ocorre a liberação de substâncias, como a dopamina, no cérebro. O indivíduo não consegue evitar. Assim como em outros comportamentos compulsivos, não existe a satisfação de uma necessidade e nem de um desejo, mas um impulso. A ansiedade antes de comprar se torna arrependimento logo em seguida, esta é uma característica desse quadro. Sem ajuda, o problema pode causar, além de dívidas cada vez maiores, depressão e isolamento social”, conta.

Eu preciso disso? Pergunte-se antes de comprar

Nem sempre é fácil diagnosticar a compulsão por compras, sobretudo quando estamos inseridos em uma sociedade que estimula o consumo. No entanto, o psiquiatra resume: “Se você é aquela pessoa que se programa para comprar apenas uma coisa e sai da loja com 10. Frequentemente se programa para comprar uma camiseta e volta para casa com sapatos, bolsa, cinto, outras peças que não eram necessárias, e, após a adrenalina das compras, sente uma angústia, um sentimento ruim, talvez você tenha uma compulsão. Assim como o álcool, existe uma ideia de que você tem controle sobre a situação, mas que na prática não acontece”.

Para ajudar a evitar as compras por impulso na Black Friday e no resto do ano, o psiquiatra elaborou uma lista de perguntas para se fazer antes de passar o cartão e finalizar as compras:

  • Eu estou precisando disso?
  • Qual seria a consequência dessa compra imediatamente?
  • Qual seria a consequência daqui a 30 ou 60 dias?
  • Esta compra está adequada ao meu planejamento financeiro?

“De maneira geral, a pessoa não se percebe como compulsiva, ou até se percebe, mas não busca ajuda. Normalmente, o paciente chega ao tratamento por meio da família ou de pessoas próximas, por isso é importante ficar atento a comportamentos que possam indicar compulsão e procurar um psicólogo ou psiquiatra, até porque pode estar atrelado a transtornos de ansiedade e de depressão”, finaliza.

Para saber mais sobre cuidados e tratamentos de Saúde Mental, acesse: https://holiste.com.br/

Sobre a Holiste   

A Holiste é uma clínica de excelência em saúde mental, criada há 20 anos pelo médico psiquiatra, Dr. Luiz Fernando Pedroso, sediada em Salvador, Bahia, com atendimento nacional. Na sede principal, localizada em Salvador, funcionam os serviços ambulatorial e de internamento psiquiátrico. A estrutura da clínica conta, ainda, com o Hospital Dia (destinado à ressocialização do paciente) e com a Residência Terapêutica (moradia assistida para pacientes crônicos), dispondo sempre de estrutura e tecnologia de ponta. 

A instituição conta com mais de 200 profissionais, um corpo clínico composto por médicos psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, gastrônoma, dentre outros. Para conhecer mais sobre os serviços da Holiste, acesse o site www.holiste.com.br.