Publicidade

Bolsonaro faz gesto de apoio ao premiê português, do Partido Socialista

Rumo ao Japão, o presidente Jair Bolsonaro fez uma escala em Lisboa neste domingo, 20, e aproveitou para deixar uma mensagem de apoio ao primeiro-ministro de Portugal, António Costa. Costa faz parte do Partido Socialista (PS) e venceu o pleito no início do mês com a manutenção da coalizão de esquerda.

Hoje, Bolsonaro assinou uma carta parabenizando o primeiro-ministro pela reeleição. O momento foi registrado em fotos. Em uma delas, o presidente brasileiro aparece assinando o texto ao lado do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, e do assessor especial da Presidência, Filipe Martins.

O documento assinado por Bolsonaro foi entregue a diplomatas locais. "Isso é uma sinal de amizade e da relação profunda que os dois países têm", avaliou um assessor que acompanha a viagem.

Além da relação histórica entre os países, o governo brasileiro precisa do apoio de Portugal para conseguir viabilizar o acordo entre Mercosul e União Europeia. O texto, que deve ser encaminhado até 2021, durante o segundo mandato de António Costa, depende da aprovação do Parlamento Europeu e de todos os países-membros do bloco.

Em setembro, em meio à troca de farpas com o presidente da França, Emmanuel Macron, Bolsonaro ligou para o primeiro-ministro português para apresentar a sua versão sobre o aumento nas queimadas da região amazônia. Na ocasião, ele também aproveitou para reforçar a importância do acordo Mercosul-UE.

Viagem

Segundo previsão oficial, Bolsonaro e a comitiva presidencial devem chegar a Tóquio no início da madrugada de segunda-feira, 21, horário de Brasília. O presidente brasileiro participará da cerimônia de coroação do imperador japonês Naruhito, no dia seguinte.

O evento será restrito aos 2.500 convidados e não terá cobertura da imprensa. O desfile ao público que ocorreria pelas ruas da cidade foi adiado para 10 de novembro. O motivo são os estragos causados pelo tufão Hagibis, que resultou na morte de pelo menos 70 pessoas em diversas regiões do Japão este mês.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES