Publicidade

Bolsonaro indica que tratará de possível cooperação com os Emirados em armamentos

O presidente Jair Bolsonaro indicou que vai tratar de uma possível cooperação na área de armamentos com os Emirados Árabes nos próximos dias. Bolsonaro chegou hoje a Abu Dhabi, capital do país, onde ficará até segunda-feira, 28. Segundo integrantes do Itamaraty, além das conversas relativas à venda de armas, o governo deve assinar amanhã um acordo sobre proteção mútua de informações militares.

"Todos os países buscam negociação nesse sentido (Defesa). Todos, sem exceção, onde quer que eu vá essa questão sobre defesa é colocada na mesa", disse Bolsonaro após participar de cerimônia de homenagem aos mártires dos Emirados Árabes.

Questionado sobre qual tipo de cooperação poderia ser feita na área, ele respondeu: "armamentos". "Basicamente é isso aí, meios de se defender. Ninguém quer um Brasil extremamente belicoso, mas devemos ter o mínimo de dissuasão", declarou a jornalistas.

Segundo Bolsonaro, o Brasil foi "esquecido nessa área" nos últimos 30 anos. Em seguida, no entanto, disse que a área foi deixada de lado desde o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que governou o País entre 1995 e 2003.

"O Brasil foi esquecido nessa área por 30 anos. Desde o governo Fernando Henrique Cardoso a questão da defesa foi deixada para o segundo plano porque nós somos um grande obstáculo para o socialismo, nós, das Forças Armadas. Por isso interessava quebrar a nossa espinha dorsal, nos torna inoperantes", disse o presidente.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES