Publicidade
Vôlei masculino

Brasil perde para a Polônia e precisa vencer o Irã para ir à semi da Liga das Nações

(Foto: Divulgação/FIVB)

O Brasil chegou líder da fase classificatória e com moral, mas acabou superado na abertura da Fase Final da Liga das Nações. Na quarta-feira (10.07), a seleção brasileira masculina de vôlei enfrentou uma torcida polonesa fanática em Chicago, nos Estados Unidos, e perdeu no tie break, com parciais de 23/25, 25/23, 21/25, 25/21 e 9/15.

O time dirigido pelo técnico Renan chegou para a fase decisiva com 14 vitórias, apenas uma derrota e 39 pontos somados. Contra a Polônia, o oposto Wallace foi o maior pontuador da partida, com 21 acertos (19 de ataque, um de bloqueio e um de saque). O ponteiro Lucarelli também se destacou, marcando 18 vezes, sendo 16 de ataque e dois de saque.

Após a partida, o experiente Wallace analisou o desempenho do grupo brasileiro. “Nosso time não pode se dar ao luxo de abrir uma vantagem e deixar eles virarem. Cometemos erros que não podem acontecer, ainda mais em um momento como esse do campeonato”, disse Wallace.

O oposto campeão olímpico, no entanto, ressalta que é preciso dar a volta por cima. “Agora temos que esquecer esse resultado e já pensar no próximo jogo. Uma vitória na próxima partida nos coloca na disputa de novo. Agora é difícil, mas temos que ter cabeça boa porque não acabou nada ainda”, afirmou Wallace.

O segundo jogo do Brasil nesta fase será na sexta-feira (12.07), às 19h (Horário de Brasília), desta vez contra o Irã. Os iranianos lideraram boa parte da etapa classificatória e chegaram a Chicago na segunda colocação com a campanha de 12 vitórias e três derrotas.

O técnico Renan também falou sobre o jogo. “Cometemos muitos erros e a Polônia fez uma grande partida. Não podemos tirar os méritos do adversário. Eles sacaram muito bem, o sistema de bloqueio e defesa funcionou bem e o Brasil entrou tenso. Claro que a responsabilidade de vencer era nossa, mas eles fizeram um grande jogo”, comentou o treinador.

Logo após o duelo desta noite, Renan destacou que o foco já está no Irã. “Agora temos que buscar o algo mais de cada um e ver tecnicamente o que precisa ser feito. Vacilamos em alguns momentos hoje, estamos todos chateados, mas é foco total na próxima partida para buscarmos a vitória”, concluiu Renan.

A Polônia veio para a fase final da Liga das Nações com uma equipe mista, com muitos jovens promissores, já que o foco principal é o pré-Olímpico, em agosto.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES