Nos EUA

Brasileira recebe mesmo reconhecimento que Albert Einstein, Martin Luther King, Nelson Mandela e Charles Darwin

(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

Angela Villela Olinto, física de astropartículas, professora da Universidade de Chicago e reitora da Divisão de Ciências Físicas e Matemáticas da instituição, tornou-se membro da Academia Americana de Artes e Ciências, título que a coloca ao lado de nomes como Albert Einstein, Martin Luther King, Winston Churchill, Nelson Mandela, Charles Darwin e muitos outros. Na mesma semana, integrou a Academia Nacional de Ciências, que, neste ano, elegeu 120 membros, sendo 59 mulheres - o maior número já eleito em um único ano.

Ao longo da carreira, Angela fez contribuições teóricas e experimentais sobre astropartículas, incluindo pesquisas sobre o estudo da estrutura das estrelas de nêutrons, teoria inflacionária, origem e evolução dos campos magnéticos cósmicos, natureza da matéria escura e a origem das partículas cósmicas de maior energia: raios cósmicos, raios gama e neutrinos. Em conjunto com a NASA, é responsável pela pesquisa de diversos projetos, entre eles o Extreme Universe Space Observatory on a Super Pressure Balloon, ou EUSO-SPB, um balão de alta pressão que viaja numa altitude de 33km e uma futura missão espacial chamada POEMMA, ou Probe Of Extreme Multi-Messenger Astrophysics, que estudam os raios cósmicos de alta energia e os neutrinos astrofísicos que vêm de galáxias distantes.

“É uma imensa honra ser membro de uma destas duas instituições históricas, as academias mais importantes na ciência nos Estados Unidos. Ser eleita para as duas academias em menos de uma semana é muito emocionante! Duas surpresas sensacionais! Me sinto muito feliz por ter podido seguir a carreira que escolhi. Ainda temos um longo caminho pela frente, pois cada resposta nos guia à próxima pergunta. Estamos construindo um telescópio, o EUSO-SPB, para voar em 2023 e projetando uma missão espacial, a POEMMA, para o final da década. Sou privilegiada por ter seguido perguntas inspiradoras sobre o nosso universo, e ter construído parcerias e colaborações brilhantes no caminho. É uma grande alegria ser reconhecida pelos meus colegas cientistas especialmente num ano tão desafiador”, diz Olinto.

Fundada em 1780, a Academia Americana de Artes e Ciências homenageia e reúne líderes de todos os campos da atividade para ressaltar novas ideias, abordar questões de importância nacional e mundial e trabalhar em conjunto. Seus estudos ajudam na pesquisa e análise nos setores da política, ciência, tecnologia, segurança global, assuntos internacionais, política social, educação e ciências humanas.

Já a Academia Nacional de Ciências é uma instituição privada sem fins lucrativos, que foi estabelecida sob uma carta do Congresso assinada pelo presidente Abraham Lincoln em 1863. Ela reconhece a conquista em ciência por meio de uma eleição do conselho, e - ao lado da Academia Nacional de Engenharia e da Academia Nacional de Medicina - fornece conselhos e pesquisas sobre ciência, engenharia e saúde para o governo federal e outras organizações.