Mostra

Caixa Cultural exibe a mostra ‘Wim Wenders - Imagens que Odebecem’

A Caixa Cultural apresenta a mostra cinematográfica Wim Wenders – Imagens que Obedecem, que homenageia um dos cineastas mais importantes do Cinema Novo alemão. A mostra, com curadoria de Ana Alice de Morais, acontece simultaneamente nos espaços da Caixa Cultural em Curitiba, no Rio de Janeiro e em São Paulo, e exibe 16 filmes – 15 longas-metragens dirigidos pelo cineasta e mais um documentário sobre sua obra. Haverá uma palestra após a sessão das 18h no sábado, com o crítico de cinema Aristeu Araújo. Esta sessão é gratuita e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro a partir das 17h.
O título da mostra inédita, e criada exclusivamente para a Caixa Cultural, vem de uma máxima do próprio Wenders: ‘ as imagens devem servir à história’, ou seja, as imagens devem obedecer a um propósito, sem ser banalizadas e gratuitas. É com essa ideologia que o cineasta pensou, e pensa, não somente o seu próprio cinema, mas também o mundo ao seu redor.
A pintura e a fotografia foram a porta de entrada de Wim Wenders para a arte e sua transição para o cinema é marcada por influências do cinema underground americano, que tem em Andy Warhol um dos seus maiores representantes. A princípio, seus filmes, curtas não-narrativos, têm como foco a imagem e sua composição. Nos longas-metragem é que ele percebe a necessidade da narrativa na sustentação da história de uma película, ainda que as imagens apareçam quase como protagonistas.
O cineasta dirigiu cerca de quarenta filmes ao longo da sua carreira. A temática transita entre o filme de estrada, as grandes paisagens, o homem deslocado, a busca por uma identidade e a aproximação de outras culturas, delineando um cinema que está sempre em procura de algo mais e, sobretudo, um cinema de grandes imagens.
Mais profundamente, as imagens em si fazem parte da própria temática do cineasta, que aborda os valores simbólicos das fotografias, da pintura e do próprio cinema. A série Diários Filmados e os filmes de estrada são exemplos dessa abordagem, pois os personagens carregam consigo câmeras fotográficas e fotos velhas, e apreciam as paisagens que compõem os cenários.
No documentário Janela da Alma, o cineasta metaforiza o seu próprio cinema através de uma história de vida pessoal: Quando tinha uns trinta anos, tentei usar lentes de contato. Mas quando eu estava com as lentes, vivia procurando os óculos. Eu via bem com as lentes, mas sentia falta do enquadramento. Acho que sua visão é mais seletiva e você tem consciência do que realmente vê. Quando estou sem óculos, sinto que vejo demais. Eu não quero ver tanto. Quero ver com restrição, mais enquadrado. A programação e a sinopse dos filmes podem ser encontradas no site www.caixa.gov.br/caixacultural ou no site www.mostrawimwenders.com.br . Wim Wenders é um dos expoentes do Cinema Novo alemão, movimento surgido no pós-Segunda Guerra Mundial na Alemanha, sendo que esta foi um dos elementos políticos de grande influencia em sua obra. A indústria cinematrográfica alemã era quase inexistente nesse período, sendo que na Alemanha Oriental a única empresa de cinema era estatal e, no lado Ocidental, havia impostos de incentivo à produção também controlados pelo Estado. Surgiu um movimento, então denominado Cinema Novo alemão, que buscou a recuperação de uma cinematografia independente, com novas perspectivas estéticas e novas ideologias. Além de Wenders, nomes como Werner Herzog, Rainer Werner Fassbinder e Jean-Marie Straub fizeram parte deste movimento. O cineasta nasceu em 1945, em Düsseldorf na Alemanha. Wim Wenders estudou filosofia e medicina e, posteriormente, entrou para a Hochshule für Film und Fernsehen (Escola Superior de Cinema e Televisão). Seu interesse pela arte começa com a pintura e a fotografia, migrando então para o cinema.
Seu primeiro longa-metragem profissional foi O Medo do Goleiro Diante do Pênalti (1971), com base em uma novela de Peter Handke, amigo do diretor. Com Alice nas Cidades (1973), o cineasta entra no mundo dos road movies e é o primeiro trabalho do ator Rüdiger Vogler, alter ego freqüente de Wenders, como protagonista. Dois anos depois, Movimento em Falso (1975) marca a primeira aparição de Nastassja Kinski. O Amigo Americano (1977) é a obra que rende a Wenders fama internacional, sendo um dos mais significativos da sua trajetória. De 1978 a 1982, o alemão dirige Mistério em Chinatown, sua primeira, e insatisfatória, experiência em Hollywood.
Sua obra mais conhecida foi Paris, Texas (1984), que rendeu a Palma de Ouro de Melhor Filme no Festival de Cannes, seguida do também sucesso Asas do Desejo (1987), que rendeu a Palma de Ouro de Melhor Diretor no mesmo festival. Tão Longe, Tão Perto (1993) ganhou o Grande Prêmio do Júri, também no Festival de Cannes. A obra seguinte foi ‘Até o Fim do Mundo’ (1991) e Wenders, infeliz com a versão oficial do filme, relançou uma versão do diretor com 270 minutos de duração.
Wenders retornou a Hollywood em 1997 para fazer O Fim da Violência. Mesmo tendo atuado em Hollywood, Wim Wenders sempre procurou fazer um cinema de autor, como nos tempos da nouvelle vague.
Com roteiro de Bono e com Mel Gibson no elenco, filmou nos Estados Unidos o Hotel de Um Milhão de Dólares, no ano 2000. Quatro anos depois, filmou em Los Angeles o longa-metragem Medo e Obsessão, sobre a paranóia pós 11 de setembro Em 2006, participou do projeto Invisíveis, rodado no Congo para os Médicos sem Fronteiras. Seu mais recente trabalho é o filme rodado em 3D ‘Pina’, sobre a coreógrafa Pina Bausch.


PROGRAMAÇÃO
14 de setembro – Quarta-feira
18h – Alice nas Cidades
20h30 – Movimento em Falso

15 de setembro – Quinta-feira
17h – No Decurso do Tempo
20h30 – O Amigo Americano

16 de setembro – Sexta-feira
18h – O Estado das Coisas
20h30 – Paris, Texas

17 de setembro – Sábado
15h30 – Asas do Desejo
18h - Os Primeiros Anos de Wim Wenders, sessão seguida de debate com o público

18 de setembro – Domingo
17h - Até o fim do Mundo
20h30 – Tão Perto, Tão Longe

19 de setembro – Segunda-feira
18h – O Céu de Lisboa
20h30 – Além das Nuvens

20 de setembro – Terça-feira
18h – O Fim da Violência
20h30 – Medo e Obsessão

21 de setembro – Quarta-feira
18h – Palermo Shooting
20h30 – A Alma de um Homem



Serviço
Cinema: Wim Wenders – Imagens que Obedecem
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba (PR)
Data: de 14 a 21 de setembro de 2011
Horário: Consultar a programação
Ingressos: R$ 5 e R$ 2,50 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA). A sessão seguida da palestra que acontece sábado às 18h é gratuita e os ingressos devem ser retirados na bilheteria a partir das 17h.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12h às 19h, sábado e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: Consultar a programação.
Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)
www.caixa.gov.br/caixacultural